A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

14/05/2014 16:40

15 de maio de 2014: Parabéns assistentes sociais

Por Ledi Ferla (*)

Contribuir para a melhoria da qualidade de vida de indivíduos e grupos, orientar, encaminhar para o acesso aos direitos, lutar por vida digna, numa sociedade marcada por desigualdades sociais, é o que torna os(as) assistentes sociais profissionais reconhecidos e respeitados.

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

Inseridos (as) nas lutas populares, no campo do ensino, em empresas privadas ou trabalhando nas diferentes políticas públicas sociais, como servidores(as) públicos(as), os(as) assistentes sociais, majoritariamente mulheres, atuam na perspectiva de garantir a proteção social, a dignidade humana e a justiça social.

A Proteção social passa pelo direito à moradia digna, a alimentação saudável, a renda, ao trabalho, ao bem viver, ao direito de ter uma família e a liberdade. Esta desafiadora profissão é que atrai muitas pessoas a estudar Serviço Social. Só é concedido o título de Assistente Social a pessoa que possui graduação, em nível superior, em Serviço Social, reconhecida pelos respectivos Conselhos Regionais de Serviço Social – CRESS.

A intervenção profissional requer abrangente conhecimento técnico, político - metodológico relativo à questão social. Portanto, desvendar as raízes que causam as desigualdades sociais e intervir nesta realidade de modo a transformá-la, constitui o principal desafio para a profissão.

A Política de Assistência Social, dentre as demais políticas sociais, é a que nos últimos dez anos tem demandado mais campo para os profissionais de serviço social. Conforme o SENSO SUAS 2012, são 120 mil Assistentes Sociais atuando na Assistência Social no Brasil. Este crescente número está relacionado à criação da Lei do SUAS, política pública de extrema importância na garantia da proteção social básica e especial.

Os Centros de Referência de Assistência Social – CRAS, os Centros de Referência Especializados em Assistência Social, as unidades de acolhimento a crianças, idosos e pessoas em situação de rua, são alguns serviços públicos, de caráter continuado, que possuem dentre outros profissionais, a exigência de um a dois Assistentes Sociais em cada unidade implantada. Hoje estes serviços estão inseridos na grande maioria dos municípios brasileiros.

Portanto, os(as) assistentes sociais tem muito a comemorar no sentido de novos campos de trabalho, porém ainda se deparam em muitos municípios e estados, com vínculos precarizados de trabalho, baixos salários, falta de estrutura digna e equipamentos de trabalho.

Comemorando o dia do Assistente Social, parabenizamos a todos(as) os(as) aguerridos(as) nesta luta por uma sociedade justa e igualitária, onde os direitos humanos sejam garantidos e respeitados.

(*) Ledi Ferla é assistente social e secretária de Assistência Social de Dourados - MS

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions