A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017

18/04/2013 13:20

4G começará com o pé esquerdo

Dane Avanzi (*)

Segundo informações da maior operadora do país, a Vivo, até 30 de abril de 2013 teremos a tecnologia de quarta geração da telefonia móvel, ou simplesmente 4G, implantada nas cidades sede da Copa das Confederações. Sem dúvida a tecnologia possibilitará maiores velocidades para aqueles que acessam a internet através de smartphones, desde que a implantação seja bem dimensionada e a quantidade de antenas seja equivalente a quantidade de linhas em funcionamento. A questão é: foram instaladas antenas suficientes para suprir a demanda atual pelo menos? Os clientes possuem aparelhos com capacidade de navegação na tecnologia 4G a preços viáveis para a maioria dos brasileiros? A resposta a ambas as perguntas é não.

Ao que parece, os mesmos erros cometidos na implantação do 3G se repetirão agora. Podemos citar entre as falhas o mau dimensionamento da quantidade de infraestrutura para suportar o enorme tráfego de dados e voz em face da quantidade de linhas e serviços vendidos, que torna a internet lenta e inoperante em alguns casos e regiões, bem como a falta de concorrência entre as operadoras que de fato beneficiem o cidadão brasileiro.

Onde o Brasil errou na privatização? Nos países de primeiro mundo há muitos anos foi abolida a cobrança de taxa de assinatura nas contas de telefonia fixa. Contratar a instalação de uma linha é simples e rápido. A competição entre as operadoras não afeta a qualidade do serviço. No passado tínhamos qualidade, mas não tínhamos linhas. Hoje temos linhas, mas não temos serviço satisfatório a preços justos. Penso que o desafio é criar regras que possibilitem uma maior competição e punições efetivas para as operadoras que não levarem a sério seus compromissos.

Ao invés de se estimular mais "players" atuando no mercado de telecomunicações, na telefonia móvel e fixa, assistimos a criação de oligopólios mediante a fusão das duas maiores empresas do setor em faturamento, a Vivo e a Telefônica, sendo que ambas possuem problemas de qualidade e atendimento ao consumidor. Será que a lei antitruste e as autoridades competentes não são capazes de prever que o serviço a população tende a cair de qualidade e o preço tende a aumentar ao se criar oligopólios?

E o desafio de levar telefonia fixa e móvel nas regiões do Brasil em desenvolvimento, Norte, Nordeste e Centro Oeste? Cumpre salientar que as concessionárias de telecomunicações exercem uma função social e devem também atuar visando o desenvolvimento social dessas regiões, não somente nas grandes capitais, com maior quantidade de consumidores e maior renda per capita.

E se as operadoras esquecessem o 4G e se preocupassem somente em melhorar o 3G? Talvez essa fosse a melhor solução para a maioria dos clientes que ambicionam somente falar ao telefone sem a linha cair a cada 10 segundos. Ocorre que a inauguração do 4G ensejará a venda de novos aparelhos, smartphones, modems e toda uma série de acessórios que movimentaram bilhões de reais. Ou seja, mexe com os interesses do setor.

Uma reflexão mais profunda nos leva a conclusão que a raiz do problema não está somente nas operadoras e nas regras de regulação, mas também na imaturidade do consumidor, que cairá no mesmo conto mais uma vez.

(*) Dane Avanzi é advogado, empresário do Setor de Engenharia Civil, Elétrica e de Telecomunicações e Diretor Superintendente do Instituto Avanzi, ONG de defesa dos direitos do Consumidor de Telecomunicações

Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...
19 anos de Código de Trânsito Brasileiro
No dia 22/01/17, o atual Código de Trânsito Brasileiro completa 19 anos de vigência. Após 31 Leis que o alteraram, com o complemento de 655 Resoluçõe...
Previdência Social: verdades e mentira
Com a reforma da Previdência, e já que acabaram com o Ministério da Previdência, vários ministros dispararam versões sobre o tema, mas como não sabem...



SURPRESA SERIA SE O 4G ESTIVESSE FUNCIONANDO COMO PROMETERAM. AQUI É BRASIL, SÓ TEMOS UMA SOLUÇÃO, ABANDONAR ISSO AQUI.
 
Cyro Chan em 28/11/2013 10:10:24
Ricardo Farias, se esse seu "vários países" seja paraguai e bolivia nao conta em!!
estou em MS tem 8meses vindo do japão e lá o acesso tanto a preços como qualidades tem diferenças absurdas com relaçao a daqui.
pra quem vai receber uma copa do mundo dentro de 12meses estao simplesmente atrasados.
 
Mario S. Takashi em 18/04/2013 16:00:59
Sinceramente, conheço vários outros países e a situação das redes de telefonia lá não é tão diferente daqui não. Velocidade de conexão abaixo do contratado, interrupção de serviço, etc. Ainda assim, temos que cobrar!
 
Ricardo Farias em 18/04/2013 14:05:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions