A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

12/12/2013 15:59

A (in)segurança pública e o medo dos moradores do Santa Carmélia

Por Marco Antônio dos Santos Araújo (*)

Vocês sabem o que é chegar em casa, no fim de tarde, cansado do trabalho, e encontrar tudo revirado, quebrado, sujo e faltando coisas? Pois é, passei por isso novamente nesta semana. Há alguns meses, bandidos pularam o muro de um terreno baldio que faz divisa com minha residência, na Vila Santa Carmélia, em Campo Grande (MS). Quebraram a porta de ferro da cozinha e fizeram a festa, levando até os botijões de gás.

Veja Mais
Convenções internacionais e competitividade
A Odisseia da Chape

Registrei Boletim de Ocorrência na Polícia Civil e os atendentes se resumiram a dizer: “é assim mesmo, tem que colocar cerca elétrica”. E, nunca mais vi minhas coisas. Na semana passada, de novo! Como briguei com o dono do terreno do fundo e o fiz cercá-lo com rigor, os bandidos subiram pelo muro da frente, escalando a frondosa árvore da minha rua.

Aí, quebraram a janela do meu quarto e levaram meu notebook, um som de USB do “parmera”, com pen drive contendo muitas músicas que eu gosto (de Bach a U2, passando por Fito Paes e Jorge & Mateus). Levaram também meu Playstation, com os jogos!!!

Além disso, fizeram questão de revirar tudo e, se algo não os tivesse interrompido, levaram minhas roupas, pois tudo estava sobre a cama.

Chamei a polícia, pelo 190, sendo que a atendente relutou em mandar uma viatura, dizendo que eu teria que registrar B.O. na Delegacia de Atendimento ao Cidadão, no centro da cidade, já que passava das 18 horas. Insisti pela presença da PM, pois meus vizinhos sabiam como era o ladrão, a direção para onde ele fora e até sua provável residência.

UMA HORA DEPOIS veio a viatura. Os “guardas” entraram, viram o estrago, anotaram o que havia sumido e se limitaram a repetir o que o policial civil havia me dito na ocorrência anterior: “você tem que pôr uma cerca elétrica ou ter um cachorro”. Oras, meu primo comprou um pitbull recentemente e, no mesmo bairro, entraram na casa dele e levaram uma TV de LCD novinha E O PITBULL!

Depois, quando os policiais já haviam saído, chegou uma testemunha que disse ter visto um elemento conhecido como MARCOLA, que mora no bairro Manoel Taveira, próximo da saída de Rochedo. Liguei novamente para a polícia, relatei o fato e a atendente disse que mandaria a viatura de novo. Algum policial passou na sua casa? Pois é, nem na minha!

Tentei registrar o Boletim de Ocorrência pela Delegacia Virtual da Polícia Civil, pois é importante que se registrem os crimes. Mas, o sistema cai na metade do preenchimento dos dados.

Pois é. Estamos todos abandonados pela (IN)segurança pública. O policial que foi até minha casa disse que “é assim mesmo, o bairro está cheio de drogados invadindo as casas”. E NINGUÉM FAZ NADA? Teremos que viver entre hordas de drogados bandidos? Alguém terá que ser assassinado para que tomem alguma providência? Sim, assassinado, pois se um louco drogado desses invade uma casa com uma idosa sozinha? Ela não corre o risco de ser morta por um louco? Ou, como ouvi muito de vizinhos, será que os moradores vão ter que organizar uma chacina para viverem em paz? Com a palavra o Governador.

P.S.: Num mundo perfeito, a polícia investigaria o crime e encontraria minhas coisas, então vejamos...levam um notebook Toshiba prata, um som USB do Palmeiras e um Playstation 2. O resto (pen drives, carregadores de celular e sei-lá-mais-o-que, deixa quieto, pois não dá pra identificar mesmo).

(*) Marco Antônio dos Santos Araújo, ou Marco ASA, é jornalista e publicitário.

Convenções internacionais e competitividade
O Brasil precisa atuar com mais critério na hora de analisar e ratificar convenções multilaterais, especialmente as negociadas no âmbito de entidades...
A Odisseia da Chape
Não tenho dúvidas de que o esporte funciona como uma metáfora da vida. As mazelas e dramas humanos estão presentes em todas as etapas da trajetória d...
Comunicação da qualidade dos alimentos
É importante que as notícias do agro cheguem de maneira correta aos moradores dos grandes centros urbanos. A maioria destes consumidores de alimentos...
Ponte com o futuro
O agronegócio brasileiro é carta importante no jogo geopolítico mundial. De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agri...



É amigo Marcos, enquanto os bandidos fazem arrastão nas residencias do bairro, a policia que nos pagamos e caro com nossos tributos está protegendo o comércio de algumas pessoas, tudo interesse financeiro. Pode observar, em alguns comércios da região é constante a presença de viaturas militares.
 
Waldemiro da Silva Carvalho em 12/12/2013 21:13:32
Esse fato então é normal, pois a alguns meses atras tbm entraram a minha residencia em questão de 40 minutos que eu havia saido, a e lembrando la em casa tem cerca eletrica, a policia a unica coisa que disse foi, olha iremos investigar, pois o bairro esta cheio de drogados e isso é comum. Local bairro Tijuca.. Pelo menos ate o exato momento nada apareceu, quem sabe hoje não sege uma noite de sorte e a policia ligue né, hum me esqueci tbm roubaram o celular.....
 
MARCIO SILVA em 12/12/2013 18:27:14
Marco, o jeito eh comprar tudo de novo, pois o que é furtado ou roubado, esses nunca mais, apesar de quando vc está registrando o caso, ouve dos policiais de plantão que esse ou aquele ladrão, a gangue do fulano ou do cicrano é que age em tal região. Te entregam o BO e um abraço.
Também passei pelo mesmo prejuízo que vc, cheguei e apontar ao menos um dos prováveis ladrões, perito lambusou a casa inteira colhendo digitais e só isso.
E toma curso disso e daquilo, farça nacional, milhões em armas, computadores,discursos, tanto lero lero, mas gente pra investigar que é bom, o governo não contrata, mal tem efetivo pra cuidar de delegacia e olhe lá, pois no interior tem até delegacia sendo arrombada, quartel de PM assaltado e sabe-se lá o que mais que ninguém fica sabendo.
 
avelino neto em 12/12/2013 17:19:36
Não se trata de má vontade da Polícia Civil ou Militar, mas sim de falta de instrumentos legais para manter furtadores encarcerados depois da edição da lei 12403/11. A população precisa acompanhar mais de perto a edição das leis e influir junto ao Poder legislativo para que a polícia tenha instrumentos para manter a popualação segura. De nada adianta "desconfiar" de onde estão escondidos os bens subtraídos porque a polícia só pode entrar na residência de alguém mediante ordem judicial ou em flagrante. É um munus necessário para salvaguadar a democracia e os direitos fundamentais.
 
Reginaldo Salomão em 12/12/2013 17:02:39
Pois é Marco, quando no campo vivemos esta mesma situação de insegurança e desamparo, a cidade não visualiza o problema....mas agora você coloca as coisas como são. Pau que dá em Chico, dá em Francisco também.
Estamos vivendo uma terra sem leis, onde as pessoas de bem só tem direitos, os demais fazem o que querem, contra quem quiserem e não são punidos. Vamos reagir, antes que seja tarde demais.
 
Mônica Corrêa em 12/12/2013 16:29:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions