A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017

28/01/2014 09:01

A busca incessante

Por Heitor Freire (*)

Desde que o mundo é mundo, desde quando o homem se sentiu como um ser dotado de vontade, de desejos e de consciência, há uma busca incessante em procura da sua origem, do seu Deus, da explicação para a sua existência.

Desde o princípio foram sendo criadas leis, religiões, filosofias, todas com a finalidade de proporcionar ao ser humano um código de conduta que lhe permitisse conviver com seu semelhante de forma harmônica e igualitária ou deturpada para conceder a alguém, o domínio de um povo, de um país, de uma comunidade, de um continente.

O mais antigo código que se conhece é o Código de Hamurabi promulgado em 1752 antes de Cristo pelo imperador da Babilônia (Mesopotâmia), e que leva o seu nome. Ele teve como base a lei do talião: “Olho por olho, dente por dente”, dele se derivaram diversos outros documentos. Essa penalidade não tinha recurso, era determinativa. Com a evolução da humanidade esses mecanismos foram sendo suavizados. A lei mosaica adotava o mesmo princípio. Até que veio Jesus e nos deixou como orientação o mandamento maior: “Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a vós mesmos”.

Entendo que a Alta Espiritualidade, a Ordem Maior que rege todo o Universo, dentro de seus propósitos suscita a encarnação de seres de elevada estirpe, para ao longo dos tempos, em cada época, em cada país, em cada povo, para conduzir a humanidade. Daí o nascimento das diversas religiões.

As filosofias que tiveram o seu auge na Grécia antiga no século V antes de Cristo, tendo como expoentes máximos Sócrates, Platão e Aristóteles se constituíram na base do pensamento ocidental. E tinham como ensinamento básico o: “Conhece-te a ti mesmo”. Esse período, as imediações do século V, foi uma época de ouro na história da humanidade. Viveram nesse período, Hipócrates, Sócrates, Platão, Aristóteles e Pitágoras na Grécia, na Índia, Buda, na China, Lao-tsé e Confúcio.

As religiões conhecidas e que permanecem no tempo e no espaço, são a tradicional chinesa, o hinduísmo, o judaísmo, o budismo, o cristianismo e o islamismo.

Essa busca, ao longo dos tempos, foi se cristalizando nas diversas denominações religiosas que compõem o universo humano. Todas elas propiciam a seus adeptos um ordenamento que buscam oferecer basicamente um código de conduta.

O cristianismo foi se dividindo inicialmente entre católicos, protestantes e ortodoxos. O islamismo logo depois da morte do profeta Maomé se dividiu entre sunitas e xiitas, divisão que permanece até hoje. As demais religiões permaneceram mais ou menos compactas ao longo dos tempos. Mas, a interpretação de suas doutrinas variaram naturalmente.

O cristianismo foi abrigando novas mudanças como aconteceu com o espiritismo, codificado pelo professor Hippolyte Léon Denizard Rivail, que ficou conhecido como Allan Kardeck. O espiritismo, que se difundiu por todo o mundo, abriu um novo entendimento da vida e da sua evolução na espiritualidade, dando um alento ao ser humano e através da revelação da reencarnação libertou-o do medo da morte, dando-lhe uma certeza da continuidade após este evento.

Enfim, vários são os caminhos que o ser humano tem percorrido na busca incessante em direção à verdade. A mesa está posta, cada um pode se servir como melhor lhe aprouver.

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis e advogado.

Sobre o mercado e o governo
O homem primitivo acordava de manhã, saía para coletar frutas, abater animais e pescar peixes, e assim ele se alimentava. Ao fim do dia, cobria-se co...
Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...
19 anos de Código de Trânsito Brasileiro
No dia 22/01/17, o atual Código de Trânsito Brasileiro completa 19 anos de vigência. Após 31 Leis que o alteraram, com o complemento de 655 Resoluçõe...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions