A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

23/04/2015 10:46

A importância do solo na qualidade de vida

Por Fernando Mendes Lamas (*)

A ONU estabeleceu o ano de 2015, como sendo dedicado à conservação do solo, isto devido a importância do solo para a produção de água, alimentos, fibra e energia, itens indispensáveis para a sobrevivência do homem que, em função do aumento exponencial da população, a cada dia, demanda em maior quantidade estes bens.

Veja Mais
Hoje eu me lembrei...
Sistema carcerário brasileiro clama por ajuda

Mato Grosso do Sul ocupa posição de destaque na produção de grãos, especialmente soja e milho, de celulose a partir do eucalipto, de açúcar e álcool a partir da cana-de-açúcar e de carnes, com destaque para carne bovina, de frango e de suínos.

A agricultura também é de alta importância na geração de empregos e renda, sendo por tanto, um das principais atividades econômicas do Estado. Os resultados da agricultura impactam diretamente em todos os outros setores da economia do Estado, nos 79 municípios.

Dada à importância da agricultura, o solo se constitui num mais importantes recursos para que possamos continuar produzindo e atendendo as necessidades da geração atual e também das futuras gerações. Desta forma, conservar o solo é uma tarefa para todos nós.

Para que o potencial produtivo de solo seja preservado faz-se necessário a adoção de práticas de manejo que perturbem o mínimo possível os atributos físicos, químicos e biológicos do solo.

Mato Grosso do Sul está localizada numa região do Brasil, onde há o predomínio de uma estação chuvosa que vai de outubro a abril e de uma estação seca que vai de maio a setembro. Na região mais ao sul do Estado, a estação seca não é tão definida como nas demais regiões, no entanto, ali verifica-se com maior frequência a ocorrência de veranicos no período de outubro a abril o que, muitas vezes, causa sérios prejuízos para a agricultura da região.

Dada as características climáticas predominantes em Mato Grosso do Sul, considerando que o solo é a base de todo sistema de produção agrícola, o melhor sistema de manejo a ser utilizado, é o SISTEMA DE PLANTIO DIRETO. Este sistema está fundamentado no tripé: 1- Não revolvimento do solo, a não o sulco onde é colocada a semente; 2- Solo permanentemente coberto com material palha; 3- Rotação de culturas: prática que consiste em não repetir numa mesma área o cultivo de uma mesma espécie vegetal.

Dentre outras vantagens, dado o acúmulo de carbono no solo proporcionado por este sistema, tem-se uma significativa redução de gases de efeito estufa, melhoria da capacidade produtiva do solo e maior estabilidade na produção, quando o adotamos.

O sistema de manejo do solo desempenha papel fundamental em reduzir o impacto dos eventos climáticos, em especial a chuva, tanto pelo excesso como pela falta. O sistema de manejo deve propiciar ao solo condições para absorver o impacto das gotas de chuva, evitando a sua desagregação, permitir que a agua infiltre e que ocorra o mínimo de escorrimento superficial e ainda que a água infiltrada fique retida no solo, de forma a garantir o adequado crescimento e desenvolvimento das plantas.

No momento em que a disponibilidade de água passa a ocupar destaque em todos os meios, mais uma vez a conservação de solo é algo a ser considerado. Produzir água de qualidade também é um atributo da agricultura. A produção e a qualidade da água dependem fundamentalmente do sistema de manejo de solo utilizado.

A degradação do solo também contribui de forma decisiva para o aumento da quantidade de gases de efeito estufa que são emitidos para atmosfera. O aumento do teor de matéria orgânica do solo, através de práticas de manejo adequadas, pode proporcionar melhoria da qualidade solo o que aumentaria a produtividade agrícola e a mitigação de gases de efeito estufa.

Em resumo pode concluir-se que, com adequado sistema de manejo de solo, é possível: melhorar a produtividade agrícola e pecuária; aumentar a disponibilidade e melhorar a qualidade da água; reduzir a quantidade de gases que vem sendo emitidos para a atmosfera e que provocam o efeito estufa, proporcionando com isso uma significativa melhoria na qualidade de vida das pessoas.

(*) Fernando Mendes Lamas é secretário estadual de Produção e Agricultura Familiar. 

Hoje eu me lembrei...
Nestes tempos conturbados que estamos vivendo, em que muitos buscam um culpado para eximir-se de suas responsabilidades, em que nos esquecemos que no...
Sistema carcerário brasileiro clama por ajuda
O ano começou com uma bomba relógio, que já ‘tic-tateava’ há muitos anos, explodindo. As rebeliões em presídios de todo o Brasil deixaram mais de 120...
Mais um ano difícil
A economia brasileira inicia 2017 com a combinação de otimismo moderado e preocupação. A perspectiva levemente otimista se fundamenta na expectativa ...
A atuação das empresas na era do talentismo
No atual cenário em que vivemos, com crise financeira em diversos países, catástrofes ambientais e diferenças sociais, engana-se quem acredita que es...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions