A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

12/08/2013 13:41

A mulher na história sul-mato-grossense

Por Heitor Freire (*)

Tendo como tema o título deste artigo, o Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul, realizou o seu 8º Seminário de Desenvolvimento Institucional, nos dia 5 e 6 últimos. Foram momentos vividos com muita emoção e alegria.

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

Quando a Vera Tylde de Castro Pinto, diretora executiva do Instituto, propôs o tema, de imediato percebemos as dificuldades que teríamos para escolher as pessoas que seriam homenageadas tantas e significativas são e foram as mulheres que fizeram a diferença em nosso estado.

A realização teve como objetivo iniciar o resgate da participação da mulher na nossa história, que sempre foi muito rica e poucas vezes reconhecida. Assim, no programa constavam palestras, depoimentos e uma homenagem à professora Maria da Glória Sá Rosa, um dos grandes ícones da nossa cultura.

O seminário começou com uma apresentação artística do Centro de Arte Viva, iniciando pelo hino de Mato Grosso do Sul, interpretado pela soprano lírica Clarice Maciel, mulher das mais destacadas em nossa cultura, tendo inclusive, cantado a Ave Maria para o papa João Paulo II, em visita ao Vaticano em 2008.

A seguir, Clarice homenageou Chiquinha Gonzaga, mulher símbolo da história nacional pela sua participação nas artes no fim do século 19 e começo do século 20, interpretando de sua autoria, Lua Branca. Chiquinha Gonzaga foi a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil. Foi também participante ativa pela libertação dos escravos e pela proclamação da República. A apresentação musical teve como tecladista o maestro Nillo Cunha que também regeu o Coral Arte Viva.

A palestra do presidente do Instituto professor Hildebrando Campestrini versou sobre a atuação histórica da mulher em Mato Grosso do Sul. O escritor e associado do Instituto, Samuel Xavier Medeiros homenageou a mulher do século XIX na pessoa de Senhorinha Barbosa, mulher histórica da Guerra da Tríplice Aliança que foi também mulher do Guia Lopes da Laguna.

O professor Paulo Cabral, também associado efetivo, discorreu sobre a vida e a obra educacional de Oliva Enciso, educadora emérita, criadora da Sociedade Miguel Couto dos Amigos do Estudante, do Ginásio Barão do Rio Branco, foi também a primeira vereadora de Campo Grande e primeira deputada do estado de Mato Grosso.

No dia seguinte constavam na programação o depoimento de três mulheres de destaque em suas atividades. Assim, Moreli Teixeira Arantes deu o seu testemunho e trabalho como produtora rural. A empresária Irany Caovilla, sobre a mulher no comércio e serviços e Márcia Raquel Rolón, vice-prefeita de Corumbá e presidente da Fundação de Cultura daquela cidade, falou sobre a mulher no terceiro setor. Todas elas foram generosas nas suas falas homenageando também mulheres na área de atividade de cada uma.

O professor Américo Calheiros, presidente da Fundação de Cultura do estado, falou sobre arte e cultura, abrangendo a atuação de diversas mulheres daqui que se destacaram, como Lídia Baís, Conceição Ferreira, Conceição dos Bugres e Glauce Rocha.

Sobre esta artista nascida em Campo Grande e que teve grande expressão nacional no teatro, no cinema e na televisão, discorreu sobre a sua importância não só na sua ação profissional, mas também como defensora dos direitos da mulher, que foi sempre muito corajosa, nunca se deixou intimidar principalmente nos anos de chumbo do período da ditadura militar.

Lembrou também da escritora e poetisa Raquel Naveira, campo-grandense e que hoje brilha no cenário paulistano. Terminou fazendo uma apoteose sobre a professora Maria da Glória Sá Rosa que recebeu o título de associada emérita do Instituto.

A entrega do título para a professora Maria da Glória foi feita pelo também associado emérito, Francisco Leal de Queiróz, que foi passageiro de bonde junto com ela nos idos de 1949, quando ambos eram estudantes no Rio de Janeiro. O doutor Leal, em seu improviso, demonstrou com muita propriedade porque é considerado um dos maiores oradores do nosso estado.

Foi um evento de gala.

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis e advogado.

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



Mulheres importantes homenageadas
 
Eliana Rodrigues em 12/08/2013 16:30:27
Esse evento foi de grande relevância.
Houve a participação de Mulheres distintas, importantes que muito fizeram para nós.

Eliana
 
Elliana Rodrigues em 12/08/2013 16:29:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions