A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

26/06/2011 10:09

A raiva homofóbica

Por Emiliano José (*)

Eu fico a me perguntar de onde vem tanta raiva homofóbica, ódio aos homossexuais, tanta intolerância, tanta aversão aos que pretensamente escapam aos padrões da dita ou mal dita normalidade. Não sei responder. Por incapacidade. Será que recorrer a Freud ajudaria, explicaria? Talvez. E se algumas correntes dedicadas a essa cruzada, de matriz medieval, fossem a Freud talvez se surpreendessem com as descobertas, se quisessem descobrir o fundo de tudo isso.

Esse tsunami conservador, afora o que vem de mentes castrenses situadas ainda nos tempos da ditadura, é proveniente de setores considerados cristãos, e nem adianta nominar todos eles, porque conhecidos. Constituem um amplo espectro, a juntar-se numa frente destinada a combater os homossexuais e a incentivar a homofobia, por mais que alguns jurem não fazê-lo. Estariam apenas salvando a família brasileira de quaisquer anomalias, como pretendem rotular as orientações sexuais diversas das pessoas.

Talvez, quem sabe, devêssemos pensar historicamente. Não seria razoável imaginar a necessidade de voltarmos ao menos ao Iluminismo? Não seria o caso de avocarmos ao menos os princípios da Revolução Francesa? Não seria o caso de pensarmos na afirmação do Estado laico no Brasil? De afirmar o princípio de que o Estado laico não se mete na vida privada, que respeita as escolhas de cada um, desde que tais escolhas não prejudiquem a comunidade? Seria pedir demais depois de passados bem mais de dois séculos de uma revolução que pretendeu sepultar a idéia de supremacia religiosa sobre o Estado? Seria pedir demais depois que o medievo trevoso deixou de amedrontar o mundo?

Nesses dias recentes, foram várias as iniciativas que agrediram a liberdade das pessoas. Não exagerei quando falei em cruzada. Os estandartes de diversas cores circularam por várias partes do País demonizando todos os que defendessem o movimento LGBT, a decisão do STF estendendo direitos aos casais homossexuais, o projeto que criminaliza a homofobia e os que pretendessem que houvesse educação, inclusive visando os cuidados com a saúde, para os que tivessem orientação sexual que não seguissem o padrão homem/mulher simplesmente.

Houve protestos na Câmara, e esses protestos tiveram, em alguns casos, a marca da chantagem, sempre liderados por grupos religiosos de variada extração, todos, como havia dito, de matriz cristã e envolvendo parlamentares de várias siglas partidárias. Não sei se recolhem inspiração da Inquisição, de triste memória, ou de Constantino e de sua mãe, Helena, esta uma espécie de precursora da intolerância religiosa. Eu não imaginava mais ver esse tipo de ação político-religiosa, pressões de credos religiosos pretendendo constranger o Estado a se curvar diante de suas crenças e convicções.

Para que possa fazer respeitar o princípio constitucional da liberdade de crença, para que possa garantir a liberdade de expressão de todos, para que possa assegurar o direito constitucional de expressão das diferenças de toda e qualquer natureza, o Estado não pode dobrar-se a quaisquer pressões emanadas do mundo religioso, venha de onde vier, dessa ou daquela matriz, sob pena de, ao fazê-lo, abdicar de seus conteúdos mais nobres.

Embora não devesse me arriscar, já o faço: não creio seja do bom cristianismo esse tipo de procedimento, sobretudo o de demonizar quem quer que seja por sua orientação sexual.

Ao menos, e valho-me de meus parcos conhecimentos nesse terreno, não era da natureza do próprio Cristo essa demonização ou a exclusão de quem quer que seja. Se nos inspiramos no Novo Testamento, nós veremos um Cristo próximo de miseráveis, de prostitutas, de pecadores, clamando contra os fariseus, criticando os sepulcros caiados.

Talvez, aí sim, os ardorosos cruzados ainda estejam no tempo do Velho Testamento, daquele Deus cruel e vingativo que emerge dele. Mas, isso é da religião, da interpretação religiosa, que não me compete, por insuficiência. A mim me basta que o Estado continue laico, que se dê a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. É pouco: voltar à Revolução Francesa e a seus princípios fundadores.

(*) Emiliano José é jornalista, escritor e deputado federal (PT/Bahia).

Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...
Educação e o futuro da alimentação
Educação deve colaborar na preparação de todos para o pleno exercício da cidadania e, especialmente, formar os jovens para uma vida profissional que ...



Internauta, até uma pessoa bem simples consegue que este deputado não pensa direito, chegando a inverter as coisas, pois que tem raiva são os gays e os que, como ele, apoiam o movimento gay; são eles que desejam por na cadeia os que discordam da prática homossexual; são eles os intolerantes; são eles os 'intocáveis' que não admitem nenhum questionamento (pode-se questionar tudo menos os homossexuais), sendo que eles 'descem a lenha' nos discordantes fazendo uma verdadeira cruzada contra os cristãos querendo colocá-los na cadeia pelo simples fato de dizerem, baseados na Bíblia, que o homossexualismo é pecado.
Agora, já vi homossexuais dizendo todo o tipo de impropério contra os cristãos numa parada gay em Campo Grande. Então, quem está com raiva? quem quer punir? quem quer por na cadeia? quem não admite o contraditório? quem é o intolerante?
Não vamos nos deixar enganar!
Espero que a própria imprensa esteja atenta e não se deixe enganar.
Homossexaulismo é contrário à vida, pois a vida está na dualidade do sexo, ou seja, homem e mulher. Além disso, a relação entre dois homens pode causar incontinência fecal, ou seja, doença.
E quanto à questão da laicidade do Estado, com a qual concordo, a mesma está sendo violado pelo Estado brasileiro por defender esta prática que é nociva à saúde. O governo, no mínimo, deveria ficar neutro, pois se toma partido pelo homossexualismo, tem que se opor ao cristianismo e aí fer o princípio do Estado laico, pois a Constituição Federal diz que o Estado não deve "embaraçar" as atividades das igrejas.
Quem está com raiva são os gays e quem está ferindo o princípio do Estado laico é o governo.
 
Carlos Osmar Trapp em 26/06/2011 09:03:41
Bom dia !

"Raiva homofóbica"?
Quem tem demonstrado raiva?
Homofóbica? (?) Creio que até esse termo está incorreto, pois o que é fobia? e o que é Homo?
Algum entendido de gramática poderia socorrer aí?
Os que sofrem de aracnofobia, claustrofobia, Balistofobia — medo de mísseis
Basofobia ou basifobia — medo de andar ou cair (inabilidade de ficar em pé)
Batofobia — medo de profundidade; Amatofobia — medo de poeiras
Amaxofobia — medo mórbido de se encontrar ou viajar dentro de qualquer veículo de transporte.
Ambulofobia — medo de andar
Amnesifobia — medo de perder a memória.... A lista é enorme!

Por que Raiva Homofóbica?

Pelo que entendo a tal da "homofobia", é a única "fobia" que estão tentando aplicar punição, pois as demais são tratadas por profissionais capacitados.

Afinal de onde vem a raiva?


O estado é laico, mas as pessoas não, portanto são os brsileiros que não aceitam o que a natureza já não aprovou desde o principio... Ser laico é uma coisa, laicista é outra e é justamente isso que estão querendo fazer com o Povo Brasileiro; que sejam um povo ateu, atoa sei lá o que... Isso não é conservadorismo não, mas viver e obedecer as leis naturais, já que as de Deus estão sendo desprezadas.

Se o sr Emiliano citou o novo Testamento da Bíblia Sagrada, deve ver bem que Jesus condenou o farisaismo, a hipocrisia, mas não deixou por isso de condenar o pecado.
Jesus não disse aos pecadores, pequem porque existem fariseus hipócritas e está tudo bem. A todos que Ele encontrou disse : Teus pecados estão perdoados, vá não tornes a pecar; Sua Fé te salvou.... Nunca deu aval para pecar ou contrariar a natureza!
O Novo testamento também diz: . 9 Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos,
10. nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus. (I Cor 6,9s)

Jesus que Salva as peostitutas (arrependidas), os ladrões (arrependidos), os hipócritas (arrependidos)... Não diz que os que teimam em trilhar caminhos contrários a sua doutrina se salvarão... Portanto não usemos as Sagradas Escrituras para justificar faltas e rumos pecaminosos pois isso somente traria desgraça sobre desgraça sobre quem os pratica e a quem ensina a praticar !
Por favor se alguem quer se jogar na "fogueira", que se jogue sem com isso querer convencer uma nação que isso é coisa boa e aceitável.

Mas o que é homofobia mesmo?

O que é raiva homofóbica?


 
ANA CRISTINA FERNANDEZ em 26/06/2011 02:13:06
O autor do texto esqueceu de comentar que Cristo, pregava o arrependimento e sempre orientava o homem a se afastar do pecado Ele nunca compactuou com o pecado, o autor do texto acima deveria ler e contextualizar melhor a Bíblia e não colocar apenas as citações de que o importante é Amar e o resto é o resto. Será que os fins sempre justificam os meios. Olha uma coisa eu sei que Cristo esta vivo a destra do Pai, contemplando as nossas atitudes e um dia irá nos jugar conforme nossas ações(Boas ou Ruins).
 
José Carlos Barros em 26/06/2011 01:13:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions