A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

14/07/2013 07:23

A surdez de Dilma

Por Nilson Leitão (*)

“No lugar de atender aos apelos da população, a presidente tenta se apropriar das manifestações para impor uma reforma política que o PT vem tentando impingir ao país há tempos”

Veja Mais
Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
A aviação e suas regras

A presidente Dilma emite sinais de surdez ou de que não quer ouvir o grito das ruas. O clamor dos manifestantes por um Brasil melhor fala claramente em “abaixo a corrupção”, “abaixo a incompetência administrativa”, temas que nem de longe Dilma quer discutir.

No lugar de atender aos apelos da população, a presidente tenta se apropriar das manifestações para impor ao Congresso Nacional uma proposta de reforma política que o PT vem tentando impingir ao país há tempos.

Primeiro, Dilma queria uma Constituinte exclusiva para tratar dessa reforma política. Diante da rejeição geral da proposta, ela voltou atrás. Veio, então, com outro casuísmo: o plebiscito. Além de desnecessário, é um desperdício de recursos públicos, de tempo, da energia da classe política e da população. Foi também rejeitado.

A reforma política que o PT quer, na realidade, é um projeto que perpetue o partido no poder e pelo qual tem lutado nos últimos dez anos.

O que o PT de Lula e Dilma tem feito até agora é dar curso à ocupação descarada das instituições públicas pela sujeição a interesses partidários, transformando-as em aparelhos petistas, ora pela submissão do Congresso, em afronta a suas prerrogativas legislativas, ora pela usurpação disfarçada da autonomia dos estados e municípios, subvertendo o saudável equilíbrio que deve existir entre as esferas de governo.

Dilma não ouve as ruas, está surda para os temas que preocupam e mobilizam o povo. Mais de 77% dos brasileiros, por exemplo, estão preocupados – e muito preocupados – com a alta do custo de vida. E não é para menos: a projeção de inflação medida pelo IPCA para 2013 subiu de 5,86% para 5,87%, de acordo com a última pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central.

Enquanto isso, a previsão de crescimento da economia brasileira em 2013 recuou de 2,46% para 2,40% em pesquisa do mesmo BC. Para 2014, a estimativa de expansão caiu de 3,10% para 3,00. Há quatro semanas, as projeções eram, respectivamente, de 2,77% e 3,40%. Para o FMI, o Brasil crescerá 2,5% e não mais 3% previsto em abril.

Crescimento em baixa, inflação alta e corrupção acelerada. O preço da corrupção custa para o Brasil R$ 69,1 bilhões por ano, em números de 2010. Com a inflação e a leniência do governo os assaltos ao dinheiro público prosperam e esse rombo aumenta a cada ano.

Os prejuízos decorrentes da corrupção giram entre 1,38% a 2,3% do PIB.

Esse dinheiro, se investido em educação poderia ampliar de 34,5 milhões para 51 milhões o número de estudantes matriculados na rede pública do ensino fundamental.

A quantidade de leitos para internação nos hospitais públicos poderia subir dos 367.397 atuais para 694.409.

O dinheiro desviado também poderia atender com moradias a mais de 2,9 milhões de famílias e levar saneamento básico a mais de 23,3 milhões de domicílios.

A corrupção levou, em 2009, o Brasil a ocupar a 75ª colocação em um ranking de 180 países.

As mudanças que o país quer são as reformas fiscal e tributária, que aumentam o controle sobre os gastos públicos e evitam o pagamento de propinas em empresas estatais. Avanços que punam mais rapidamente os casos de corrupção; que reduzam as nomeações dos 22.417 cargos de confiança ocupados por critérios obscuros em detrimento da meritocracia.

O que a rua exige é a execução plena do orçamento aprovado pelo Congresso Nacional que deveria ser aplicado em saúde, saneamento, educação e transportes, mas é sistematicamente contingenciado.

Já os gastos gigantescos com a máquina administrativa são realizados na totalidade e crescem a cada ano. E não é para menos: são 39 ministérios que consomem R$ 611 bilhões por ano.

Enfim, a burocracia na gestão petista cresceu corporativa e assustadoramente. O presidente Fernando Henrique Cardoso entregou a Lula um país com 24 ministérios. Lula criou 11 pastas e Dilma, mais quatro.

A cobrança de impostos vem batendo recordes sucessivos. No ano passado, a arrecadação tributária foi de R$ 1,59 trilhão para um PIB de R$ 4,403 trilhões, ou seja, 36,27% de tudo o que foi produzido no país.

Como mostram os números, a arrecadação de impostos no Brasil é de primeiro mundo e os serviços públicos são degradantes.

É este quadro de calamidade nos serviços públicos de saúde, na educação e segurança pública que emerge das ruas e Dilma Rousseff parece não ouvir. Ela ouve, sim. Apenas não considera o que ouve e oferece respostas que só atendem ao PT e a seu projeto de reeleição.

(*) Nilson Leitão é deputado federal (PSDB-MT) e líder da Minoria na Câmara.

 

Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
Ao fim de cada ano, realizo uma pesquisa com funcionários de empresas de todo o Brasil para avaliar quais foram as coisas que mais impactaram na prod...
A aviação e suas regras
A aviação conseguiu, em menos de um século, aproximar os continentes, as empresas e, principalmente, as pessoas. Foi uma evolução tão rápida que não ...
Lei Orgânica da Assistência Social – 23 anos
Nos últimos anos, a Assistência Social vem construindo uma nova trajetória, organizando-se sob novos padrões e afirmando-se como parte integrante do ...
Morre no trânsito o equivalente a 2 aviões da Lamia lotados por dia
Por dia, no Brasil, morrem em acidentes de trânsito o equivalente a ocupantes de dois aviões da Lamia, que transportava o time inteiro da Chapecoense...



Conta-se que um cidadão honesto candidatou-se à Câmara dos Deputados e ganhou a eleição. No dia em que tomou posse, encontrou na sua escrivaninha uma pasta recheada de dinheiro. Fez o maior "auê"..chamou a imprensa, disse que não estava á venda..etc.. A sua passagem pela Câmara foi pífia..todos os seus Projetos de Lei não passaram...No final de sua gestão, encontrou outra pasta na sua mesa...não tinha nada...só um bilhete, chamando-o de burro, e que seus colegas tinham aceitado o dinheiro e ele tinha pago o preço por sua burrice. Parece que o Sr. Nilson Leitão é como o personagem da história..tomara que consiga trabalhar naquele ambiente inóspito para pessoas sérias e honestas.
 
Eugênio de Souza em 15/07/2013 08:01:50
Muito estranho, quais os órgãos que deveriam fiscalizar estes gastos abundantes do governo com a corrupção? ninguém fiscaliza, todos fazem parte desta corrupção desenfreada que existe no governo do PT, nós temos que sair ás ruas novamente, só assim podemos ir acabando com essa corja.
 
itamar barbosa de almeida em 14/07/2013 10:04:31
CONSTRANGEDOR LER ARTIGO DE DEPUTADO TUCANO!!!

VCS QUASE DESTRUIRAM O PAÍS QUANDO ESTAVAM NO COMANDO, VENDERAM TUDO A PREÇO DE BANANA (ESTATAIS), ALINHARAM-SE COM A DIREITA

HOJE AS COISAS SÃO DIFERENTES, O POVO TEM VEZ E VOZ, SE DILMA QUER FAZER MUDANÇAS É PORQUE OUVIU AS VOZES DA RUA, E QUER MUDANÇAS E PELO QUE VEJO VCS TUCANOS QUE NÃO QUEREM!!!
 
Rúbio Ramos em 14/07/2013 10:04:00
Senhor Nilson Leitão um político honesto e como todo político honesto neste país ele sofre com a repreensão e boicote dos 95% dos políticos corruptos do país. Belo comentário Nilson. Romário, Tiririca (que os políticos corruptos tiraram sarro nas eleições) e o senhor deveriam apelar para programas de televisão para expor as criminalidades da política. Olhe o Romário que à 4 anos atras já havia dito que o dinheiro gasto com a copa seria 5 vezes mais que o anunciado (não por custos, mas sim pelo roubo de dinheiro público!), hoje já esta com o triplo do anunciado e tem muita coisa ainda sem fazer até ano que vem! A Dilma como todo político que se deu bem, foi graças aos corruptos. Duvido Romário, Tiririca ou Nilson virar presidente, os corruptos os derrubam!
 
Alexandre de Souza em 14/07/2013 09:58:37
Senhor Nilson Leitão que pena que você represente a minoria da Câmara, deveria ser da maioria pq o povo brasileiro está vendo isso que falou, mas temos um problema não fomos eleito para tal função, ou seja brigar por nós, mas vamos continuar nas ruas fazendo manifestações para ver se a nossa presidenta ouve o nosso clamor, o dinheiro usurpado do povo é evidente, a nossa educação por mais que os professores o façam da melhor maneira possível falta recursos, melhores salários e maior dignidade para eles e isso acontece também na saúde do Brasil que está cada vez mais precária e abandonada pelos governantes de todas as esferas. Isso só vem fazer que nas próximas eleições pensemos mais em quem vamos votar ou não votar, a maioria só sabe ganhar muito dinheiro e se esquecem do povo q o elegeu.
 
Claudia Moraes em 14/07/2013 09:13:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions