A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

14/05/2013 07:18

Avanço estratégico

Por Luiz Gonzaga Bertelli (*)

O Brasil vive um momento inusitado na sua história. Houve um avanço considerável da posição brasileira no cenário mundial nos últimos anos – muito pela crise que passou como um tsunami nos gigantes Estados Unidos e Japão e se concentra agora em importantes países da União Europeia, como Espanha e Itália.

Veja Mais
Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
A aviação e suas regras

Na ordem interna, boa parte da população das classes D e E emergiram, engordando a nova classe média, o que fez explodir o consumo, mantendo o mercado interno aquecido. No entanto, a educação não acompanhou esse crescimento.

Continuamos com problemas crassos na qualidade do ensino público; baixa quantidade de jovens nas salas de graduação, principalmente em áreas estratégicas como ciência e tecnologia; além do pouco investimento em pesquisa. O impacto disso afeta diretamente a indústria e comércio: a falta de mão de obra qualificada no mercado de trabalho.

Para tentar conter as dificuldades e melhorar a formação do profissional brasileiro, o governo federal criou o Ciência Sem Fronteiras (CSF), um programa que visa a formação de jovens talentos em universidades do exterior. Após uma visita da presidente Dilma Rouseff à Casa Branca, as principais universidades do planeta – Harvard e Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), anunciaram uma reserva de 1,5 mil bolsas de estudo integral até 2015 para estudantes brasileiros cursarem o doutorado completo. As bolsas serão financiadas pelo governo federal. No entanto, o inusitado da história: existe até agora uma baixa procura pelos cursos oferecidos.

Uma das dificuldades encontradas é a proficiência na língua. Os cursos exigem domínio do inglês, o que ainda costuma ser um entrave preocupante para profissionais brasileiros. No entanto, especialistas em línguas estrangeiras acreditam que o estudante que tiver nível básico de inglês precisaria estudar diariamente por um ano e meio para alcançar o patamar exigido pela seleção.

A presença de pesquisadores brasileiros nas principais universidades pode fazer o país avançar em áreas estratégicas para o crescimento econômico e colocar o Brasil na rota definitiva do desenvolvimento. Não se pode mais desperdiçar oportunidades como essa.

(*) Luiz Gonzaga Bertelli é presidente Executivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp.

Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
Ao fim de cada ano, realizo uma pesquisa com funcionários de empresas de todo o Brasil para avaliar quais foram as coisas que mais impactaram na prod...
A aviação e suas regras
A aviação conseguiu, em menos de um século, aproximar os continentes, as empresas e, principalmente, as pessoas. Foi uma evolução tão rápida que não ...
Lei Orgânica da Assistência Social – 23 anos
Nos últimos anos, a Assistência Social vem construindo uma nova trajetória, organizando-se sob novos padrões e afirmando-se como parte integrante do ...
Morre no trânsito o equivalente a 2 aviões da Lamia lotados por dia
Por dia, no Brasil, morrem em acidentes de trânsito o equivalente a ocupantes de dois aviões da Lamia, que transportava o time inteiro da Chapecoense...



Isso mesmo Luis, temos a nossa disposição várias ferramentas para auxiliar o conhecimento, no entanto o povo ainda não reconhece qual é a chave para esse caminho. Chave essa, claro no meu entender, basta vontade do povo em buscar esse conhecimento.
 
Adriano Volpini em 14/05/2013 10:43:49
Eu estudei, me formei, me especializei, sem ajuda dos meus pais, sem nenhuma ajuda de governo e sempre em Escola e Faculdade particular; não tinha internet e quase tudo fazendo pesquisa manual. Hoje o governo paga tudo, mastiga tudo e o povo ainda reclama para engulir. O problema se resume em um só, Cultura, isso governo não muda. Eu diria que o brasileiro tem hábitos ruins e tradicionalmente ruins, na maioria herdados dos pais. Não aceita mudar, não aceita conselho e são difíceis de transformação. Nem Deus ajuda a quem não quer mudar.
 
luiz alves em 14/05/2013 07:41:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions