A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

22/08/2014 10:52

Campo Grande, Campo Grande!!!

Por Heitor Freire (*)

A nossa querida cidade está em festa. Estamos comemorando mais um ano de existência desta terra maravilhosa, abençoada por Deus e que proporciona a todos nós, seus habitantes, a oportunidade de convivermos neste local sagrado.

Veja Mais
Em busca da competitividade sustentável para o agronegócio
Elementos da teoria da decisão

A pujança de Campo Grande conseguiu se manter em alta apesar dos desacertos da administração municipal anterior. O atual prefeito, Gilmar Olarte, tem correspondido, em certa medida, aos anseios da população colocando a prefeitura novamente nos trilhos da normalidade.

Porém, algumas atitudes do prefeito têm deixado uma grande interrogação quanto ao seu desempenho. Por exemplo, a locação do Hospital Sírio-Libanês, que visa permitir um certo desafogo na área da saúde, e que ele o rebatizou com o nome de seu pai, Evaldo André Olarte.

Quais são os serviços que o pai do prefeito prestou à comunidade, ou à área da saúde? Se existem, devem ser divulgados para que se possa avaliar essa decisão. O prefeito não deve nomear próprios da municipalidade a seu bel-prazer.

Outra atitude é a que se refere à agora famosa “Quinta Feira Gospel”, um evento musical evangélico. É preciso que alguém da assessoria do prefeito o informe que o estado, em nosso país, é laico, laico. LAICO. Porque parece que ele não sabe. A Constituição da República é claríssima neste ponto, no artigo 5º, VI e no artigo 19, I.

Não se pode admitir que recursos públicos sejam destinados a financiar eventos que tenham um fundamento religioso. Toda e qualquer denominação religiosa tem todo o direito de divulgar sua cultura, sua música, seus cantores. Mas desde que o façam com recursos próprios.

Quando foi empossado, o prefeito proferiu o seguinte compromisso: “Prometo manter, defender e cumprir as constituições federal e estadual, a lei orgânica do município, observar as demais leis, promover o bem geral do povo campo-grandense e sustentar a integridade e autonomia do município’’. Parece que esqueceu o seu compromisso ou então não o entendeu.

Outro fato que me chamou a atenção é a denominação com que o prefeito se apresenta: Pastor e Prefeito de Campo Grande. Até hoje não vi nenhum prefeito se apresentar assim, declinando sua profissão. Seguindo esse exemplo, Lúdio Coelho poderia dizer Pecuarista e Prefeito. O dr. Wilson Barbosa Martins: Advogado e Prefeito, e assim sucessivamente. Fica esquisito, não fica?

Mas Campo Grande se destaca no cenário nacional como uma das capitais que conta com uma maior aprovação de seus habitantes. O orgulho de morar aqui é, por centímetro quadrado, um dos mais elevados. A nossa cidade, como já disse o consagrado historiador Edson Contar, é a babel que deu certo, tantas e tão variadas são as origens dos que aqui aportaram e aportam, para somar-se aos que aqui já habitam. Dá para sentir no ar o clima que predomina: o sentimento de consciência do que significa viver num lugar abençoado como este.

A letra do hino de Campo Grande é de autoria do vereador Trajano Balduíno de Souza e foi cantado pela primeira vez no dia 7 de setembro de 1918, numa comemoração pela Independência do Brasil. Ele soube com muita inspiração e premonição interpretar e traduzir a vocação da nossa cidade. A melodia é do Maestro Vitor Marques Diniz.

O hino foi adaptado pelo professor Hildebrando Campestrini ao novo status da cidade e do nosso estado, com a criação de Mato Grosso do Sul, e que em seu estribilho expressa com muita propriedade:

“A cidade onde todos vivemos,

Aprendamos fiéis defender!

Nosso afeto a ela sagremos

E felizes assim hemos ser.

Nosso afeto a ela sagremos

E felizes assim hemos ser”.

Nesta semana em que comemoramos os 115 anos da nossa cidade, cantemos a Campo Grande, parafraseando o seu hino:

“Nosso afeto a ela sagremos

E felizes assim hemos ser”.

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis e advogado.

Em busca da competitividade sustentável para o agronegócio
O papel da sanidade animal e vegetal Há décadas as questões sanitárias de plantas e animais integram a lista das preocupações do agronegócio brasilei...
Elementos da teoria da decisão
A propósito do fim do ano de 2016 (terrível na política e na economia) e com o ano de 2017 (com esperanças de que as coisas melhorem), participei de ...
O diálogo inter-religioso
Desde a declaração Nostra Aetate, do Concílio Vaticano II, a Igreja busca manter o diálogo inter-religioso. Aí surge a pergunta: Por que o diálogo co...
Embarque comprometido
O Brasil está entre os cinco melhores mercados de aviação doméstica, mas há quase dois anos vem perdendo demanda por conta do cenário econômico. Só e...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions