A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

03/03/2015 16:09

Coerência

Por Heitor Freire (*)

O comportamento do ser humano é tão variável quanto o número de estrelas que compõem o Universo. E por que?

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

Simplesmente porque o que influencia o comportamento depende dos interesses de momento. Que podem variar de um extremo a outro e de momento a momento.

No entanto, apesar disso, todos estamos, constantemente, dizendo para uns e outros o que fazer, como fazer, porque fazer. Sem que nossas atitudes sejam coerentes com o que dizemos.

O ser humano é um composto de tantas complexidades que, para que ele se entenda, é necessário um número imenso de encarnações.

O que se faz necessário para definir o comportamento compatível com o que se propaga como desejável para a evolução mental e espiritual é exatamente a coerência. Nós todos sabemos dos valores eternos: moralidade, espiritualidade e ética.

E pouco fazemos para despertar a consciência para esses valores. Esse despertar deve começar em cada um, depois na família, a seguir na comunidade e por último no país e no planeta.

De que vale expormos os nossos pensamentos, os nossos valores, quando na nossa vida o nosso comportamento e as nossas atitudes são completamente contraditórios?

A atitude é mais importante do que as palavras. Não faz sentido defendermos valores que não pomos em prática na nossa vida. É fundamental sermos coerentes, pois só assim seremos credíveis.

A incoerência é a marca do ser humano. Quando cada um de nós começar a agir com responsabilidade, cumprindo a palavra dita, respeitando o direito do outro, cumprindo horários, dedicando-nos ao trabalho como atividade dignificante, começaremos a contribuir para a evolução da humanidade.

Nosso olhar é sempre para fora e poucas vezes para dentro. E assim somos influenciados pelo que vemos, criando situações de confronto, de comparações que nos levam ao julgamento dos outros causando distorções porque cada um de nós é original, individual, único.

O que vemos é a prevalência da matéria sobre o espírito, quando o contrário é o ideal. A preocupação com o comportamento dos outros tem como efeito uma sociedade viciada e pessoas corruptas.

Quando elegermos como ideal de comportamento a ética, a integridade, a responsabilidade, o respeito às leis e regulamentos pelo direito do outro, o amor ao trabalho e a prática da pontualidade, contribuiremos para um aperfeiçoamento da humanidade como um todo.

A coerência, assim, passa a ser o farol a iluminar nossas vidas.

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis e advogado.

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions