A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

23/12/2010 19:52

Como escolher a escola de seu filho?

Por Fernando Cotrim (*)

Além da preocupação sempre presente no segundo semestre de todos os anos em relação aos preparativos das festas natalinas, o 13° salário, as promoções comerciais, as férias e a sempre presente expectativa de que tudo será diferente, acrescenta-se a tudo isso a instigante pergunta: Qual é a escola que devo escolher para o meu filho estudar no próximo ano?

Essa questão, sem dúvida, tem que ser fundamentada na primeira instituição que acolhe e abriga uma criança: a família. O pai e a mãe – ou os responsáveis que assumem tais papéis – têm que ser vistos não somente como progenitores, mas como pessoas que sonham e idealizam o melhor da vida escolar para seus filhos a partir da educação infantil. Você tem dúvidas sobre quais requisitos devem ser observados ou o que deve priorizar a escola? Citaremos, a seguir, alguns tópicos que deverão ser contemplados.

Em primeiro lugar, é fundamental escolher uma escola cujo projeto pedagógico preconize o respeito e a construção do conhecimento em todas as faixas etárias, sem nunca se esquecer da dimensão lúdica. A qualificação dos educadores que compõem a escola e se esses profissionais frequentam cursos de formação continuada no decorrer do ano letivo são outro item de grande valor e dizem respeito não apenas aos professores, mas também a toda equipe administrativa e a de apoio.

O acolhimento da criança no espaço físico escolar também é de extrema importância visto que, dependendo da situação, será neste lugar que ela passará a maior parte da sua rotina diária. Sendo assim, é importante verificar limpeza e higiene da escola, ventilação, luminosidade, espaços da biblioteca e dos laboratórios e se os locais de convivência são seguros – desde a recepção até a área de lazer.

Não se esqueça de também averiguar qual é o número de alunos por sala de aula para evitar que seu filho estude em uma classe superlotada e, consequentemente, receba pouca atenção dos professores.

Mais um ponto importante a ser analisado nesse momento de escolha é se o estabelecimento tem regras comportamentais que destaquem os valores humanos e sejam do conhecimento dos alunos e de seus pais. Além disso, vale checar se a escola faz reuniões periódicas de pais e mestres, quais são os critérios utilizados para as avaliações e como o acompanhamento do desenvolvimento escolar do seu filho pode ser feito.

E, para finalizar, é sempre bom conferir se o colégio incentiva e estimula as crianças a lerem e a fazerem uso de diversas linguagens (música, escrita, teatro, vídeo etc.) e sua aplicação tecnológica.

É de extrema importância a participação dos pais na escola, em um trabalho conjunto de construção da cidadania e da ética, visando à formação do sujeito social. Assim, teremos a certeza de que mundo estamos oferecendo e deixando aos nossos filhos.

(*) Fernando Cotrim é pedagogo.

Comércio exterior: o que esperar de 2017
Apesar das tintas carregadas com que alguns analistas têm pintado o cenário para o Brasil em 2017, em razão da crise política entre o Congresso e o P...
Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions