A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2017

30/06/2015 08:23

Comprar à vista dói, mas protege o seu futuro

Por Lélio Braga Calhau (*)

Pesquisas recentes têm apontado que o brasileiro gosta de usar o crediário, cartão de crédito e financiamento quando vai fazer compras no comércio. É verdade que quando tudo dá certo isso não gera grandes problemas.

O caso é que na vida nem tudo dá certo em 100% das vezes. Podemos ficar desempregados, doentes ou acidentados, o que para muitos acarreta perda de renda imediata. Também é possivel que aconteçam imprevistos como, por exemplo, recebermos uma ou duas multas de trânsito pelo correio, sermos notificados pela Receita Federal por conta de um tributo calculado errado e recolhido a menos, termos um parente próximo precisando de uma ajuda financeira urgente, etc.

De um ano para o outro, o setor econômico pode sofrer uma virada. Cabe a nós termos maturidade para entender isso e olhar para esses problemas, não como uma visão excessivamente otimista ou com pânico, mas com uma visão realista de que os problemas da economia são cíclicos e que todos nós, uns mais outros menos, temos que nos precaver para os momentos de dificuldade econômica.

Comprar sempre à vista dói. Diminui nossa capacidade de adquirir produtos e consumir serviços, mas a adoção e a manutenção dessa boa prática financeira tem tudo a ver com o que é ser realista num mundo de viradas econômicas tão abruptas como o que vivemos.

Quem compra sempre à vista leva vantagem em todos os sentidos. Ele entra numa negociação numa situação claramente mais vantajosa que a outra parte. Tem poder para dizer que não compra se não houver um bom desconto. Quem tem liquidez, pode dizer se compra ou não compra. Não fica dependendo de taxas de juros obscuras, como as praticadas por alguns grandes magazines, e não se endivida.

Compre sempre à vista, e exija descontos, sob pena de procurar outro estabelecimento. É, sem dúvida nenhuma, um dos melhores investimentos que você pode fazer para o seu futuro.

(*) Lélio Braga Calhau é promotor de Justiça de defesa do consumidor do Ministério Público de Minas Gerais. Graduado em Psicologia pela UNIVALE, é Mestre em Direito do Estado e Cidadania pela UFG-RJ e Coordenador do site e do Podcast "Educação Financeira para Todos".

Uber e o vínculo de emprego com o motorista parceiro
A integração das novas tecnologias no cotidiano e nas relações trabalhistas tem criado novos litígios. A Uber, desde seu início, tem instigado intens...
Tudo é marketing
Segundo Luciano Modesto, da Agência Sete, o marketing está em tudo na empresa. Afinal, marketing não é apenas o desenvolvimento de marcas e produção ...
Maré favorável
Como diriam os dirigentes do Partido Comunista Brasileiro, o velho Partidão, de Prestes e Hércules Correia, há, no momento, condições objetivas para ...
Uma nova educação superior
Somos lentos, inclusive para acompanhar a rapidez da nossa própria tecnologia. A maior parte dos jovens brasileiros hoje já tem acesso a celulares e ...



"Comprar sempre à vista dói. Diminui nossa capacidade de adquirir produtos e consumir serviços," Aqui o autor faz um erro básico, e das grandes. Comprar a vista NUNCA diminui a capacidade de adquirir produtos. Ao contrário, aumente-a.

Quem compra a prazo, de um jeito ou outro (por exemplo por não poder pedir maior desconto no preço do produto) paga juros. O dinheiro gasto em juros não pode ser usado para compras. Quem não gasta um centavo em juros tem mais para gastar. E quem não gasta um só centavo com juros? Exato: somente quem compra à vista!

Pode ser que eu compro meus bens um pouco mais tarde que o vizinho. Mas comprando a vista eu consigo comprar mais, pois não comprometo parte da minha renda financiando bancos ;)
 
Marc em 30/06/2015 12:03:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions