A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017

09/12/2013 17:40

Desafios e oportunidades do PT em 2014

Por Vander Loubet (*)

No último final de semana, encerramos com êxito o Processo de Eleições Diretas (PED) do PT, com a posse dos eleitos nos diretórios municipais e regionais. Hoje somos 1,7 milhão de filiados, sendo que quase 500 mil votaram e foram votados nas eleições internas. Em Mato Grosso do Sul, participaram 10 mil pessoas, tendo o ex-presidente regional Marcus Garcia cumprido papel decisivo em todo o processo de construção do consenso na nova direção estadual.

A cada quatro anos, o PT faz o processo de renovação das direções partidárias, com eleições internas diretas. A composição final dos diretórios se dá de forma proporcional com base nos resultados das eleições, onde todas as posições políticas internas - as chamadas correntes - têm espaço.

Esse processo é democrático e renovador, pois permite a oxigenação do partido por meio de novas lideranças nos municípios e nos estados. Trata-se de uma etapa importante no sentido de sempre trabalhar para estar à altura dos desafios que são impostos ao PT.

Dessa forma, entendo que, depois desse processo, temos duas grandes oportunidades para 2014 em nosso estado: dar continuidade e acelerar o processo de renovação de práticas e ideias partidários; e definir as estratégias políticas e o conteúdo programático do nosso plano de governo, tendo em vista a pré-candidatura do senador Delcídio do Amaral ao governo do Estado.

Quanto à construção partidária, o desafio é renovar de forma permanente as propostas para que continuemos a ser uma legenda que incorpore os anseios populares e capitaneie as profundas transformações da nossa realidade. Entendo ainda que nosso novo presidente regional, o prefeito Paulo Duarte, de Corumbá, tem todos os atributos para que possamos estar atentos à necessidade de incorporação, pelo nosso partido, das novas camadas da sociedade, que não têm tradição de militância política, de maneira que possamos debater com novos interlocutores e agentes. A renovação do ideário e das práticas petistas é uma necessidade premente.

Quanto à estratégia e à orientação programática para 2014, a pré-candidatura de Delcídio está solidificada. Por isso não podemos errar na construção de alianças, devemos agregar o maior número de lideranças e partidos. Por outro lado, mais do que nunca, temos que construir um programa de governo que efetivamente traga proposições que venham ao encontro dos novos anseios da nossa sociedade.

O PT não pode abdicar de continuar a ser um partido de vanguarda, fato que o colocou na condição de maior e mais admirado partido do Brasil. Nosso partido, tanto em Mato Grosso do Sul quanto no Brasil, garantiu avanços inegáveis em áreas diversas, notadamente na inclusão social e na geração de emprego e renda. Mas novos desafios estão colocados, com novas agendas e bandeiras e não podemos nos furtar de, mais uma vez, oferecer à sociedade as respostas a esses novos desafios.

(*) Vander Loubet é deputado federal pelo PT-MS.

Sobre o mercado e o governo
O homem primitivo acordava de manhã, saía para coletar frutas, abater animais e pescar peixes, e assim ele se alimentava. Ao fim do dia, cobria-se co...
Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...
19 anos de Código de Trânsito Brasileiro
No dia 22/01/17, o atual Código de Trânsito Brasileiro completa 19 anos de vigência. Após 31 Leis que o alteraram, com o complemento de 655 Resoluçõe...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions