A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

27/08/2012 14:55

Dia do soldado brasileiro

Gilson Cavalcanti Ricci (*)

25 de Agosto é o dia do soldado brasileiro, em homenagem a Luiz Alves de Lima e Silva, o intrépido Duque de Caxias – lendário herói vencedor de todas as batalhas pela honra e pela glória do Brasil -. A figura impoluta de Caxias molda a conduta do soldado brasileiro na guerra e na paz, como exemplo digno de guerreiro e cidadão.

Veja Mais
Avaliação escolar: o peso de uma nota na vida do aluno
Comércio exterior: o que esperar de 2017

A História do Brasil retrata os feitos heróicos do destemido comandante, que enaltecem nossa Pátria perante o mundo. Nos campos de batalha, Caxias escreveu páginas épicas, muitas vezes pondo em perigo sua segurança pessoal, como fez na gloriosa passagem de Itororó, colocando-se à frente dos brasileiros diante da fragorosa fuzilaria paraguaia.

Nas guerras internas nacionais, Caxias sagrou-se vencedor graças à sua coragem e habilidade militar. Foi assim na Guerra dos Farrapos, no Rio Grande do Sul, e na Guerra da Balaiada, no Maranhão - episódios que lhe outorgaram o codinome de Pacificador. Da mesma forma, nas guerras travadas no interior da Argentina e do Uruguai, quando políticos sublevados colocaram em risco a soberania desses países.

Apesar de todo esse glorioso passado de lutas em prol do Brasil, Caxias caiu no esquecimento do governo e dos políticos da época, falecendo em 1880, deixando a seus compatriotas digno exemplo de soldado e cidadão, a ser seguido por todos quantos respeitem os valores da Pátria e da família.

A têmpera de Caxias levou os soldados brasileiros a escreverem páginas heróicas na segunda guerra mundial, em desagravo ao assassinato de milhares de brasileiros civis mortos no oceano Atlântico, quando catorze navios mercantes brasileiros foram covardemente torpedeados por submarinos alemães.

Fiel aos dogmas morais e cívicos de seu imortal patrono, o Exército Brasileiro esteve sempre a serviço da Pátria, mormente quando grupos ideológicos nacionais ou internacionais atentaram contra as instituições brasileiras, como ocorreu em 1964, quando o governo do comunista Jango Goulart tentou implantar no Brasil a ditadura comunista.

O Brasil viu-se seriamente ameaçado, quando Jango, apoiado pelos asseclas de Fidel Castro, sublevou a hierarquia militar das Forças Armadas, no preparo do golpe final para colocar nosso país sob a escuridão do comunismo. O Exército, ouvindo o clamor do povo brasileiro, e cumprindo sua missão constitucional, agiu rapidamente em defesa da democracia, pondo em fuga os inimigos da Pátria, que se homiziaram nas matas, praticando a guerrilha, financiados pelo dinheiro roubado dos bancos em vários assaltos sanguinolentos sob o comando dos comunistas, amplamente divulgados nos noticiários da época.

O soldado brasileiro merece respeito - jamais ser insultado pelos remanescentes da derrotada guerrilha comunista, que ainda sonham em jogar o Brasil nas garras do comunismo.

*Gilson Cavalcanti Ricci é advogado

Avaliação escolar: o peso de uma nota na vida do aluno
"Poderão esquecer o que você disse, mas jamais irão esquecer como os fez sentir." (Carl W. Buechner) Hoje, quero compartilhar uma grande decepção que...
Comércio exterior: o que esperar de 2017
Apesar das tintas carregadas com que alguns analistas têm pintado o cenário para o Brasil em 2017, em razão da crise política entre o Congresso e o P...
Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...



Olá! Gilson
 
Deacil de Oliveira Lopes em 18/03/2013 10:20:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions