A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

26/10/2011 12:30

Educação em Dourados a beira do caos. Até quando?

Por Ivo Campos

Continua muito difícil de ser equacionada a situação embaraçosa em que a Prefeitura de Dourados colocou a educação. Parece que as coisas estão caminhando muito na base do improviso e na falta de compromisso com a qualidade do ensino. Pensamos que não deveria estar assim, tendo em vista que esta é uma das pastas administrativas que possui recursos próprios, basta apenas o Poder Público administrar com responsabilidade o recurso oriundo do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FUNDEB e aplicar corretamente os 25% dos recursos arrecadados no município, conforme o estabelecido por lei.

Para se ter uma idéia, vários professores que trabalham com contratos temporários estão desde o mês Agosto com seus salários atrasados, muitos foram obrigados a pegar dinheiro emprestado em bancos para honrar seus compromissos. Alegando falta de recurso, a Prefeitura de Dourados dispensou vários educadores que atuavam como professores assistentes nos Centros de Educação Infantil de Dourados - CEIMs espalhados pelos bairros da cidade. Para amenizar a situação, os gestores públicos disseram que iriam colocar estagiários para suprir tal necessidade, no entanto, nem isso ocorreu.

Portanto, o funcionamento dessas Unidades de Educação Infantil está muito aquém do que deveria ser. Ressaltamos que, todas essas atitudes vêm contrariando a Resolução 001 do Conselho Municipal de Educação- COMED/2008 que estabelece que, para cada turma de crianças no CEIMs deve ter um professor e um assistente.

Vejam o que disse uma educadora e mãe de uma criança de um CEIM: “nos CEIMs, já chegamos ao limite, falta o essencial para o atendimento das crianças, e por ser a primeira etapa da educação básica deveria ser vista com mais cuidado e atenção!!! Nossos pequeninos merecem mais”.

Na última Assembléia da categoria, profissionais que trabalham nas creches denunciaram a falta de alimentos, material de limpeza, entre outros itens. A situação está à beira do caos, tanto que as professoras estão solicitando que as famílias tragam de casa materiais como sabonete e papel higiênico. Para complicar ainda mais a situação, os contratos da maioria das servidoras dos serviços de limpeza estão se encerrando. Cá pra nós, nem mesmo a desastrosa “administração Artuzi” conseguiu tamanha façanha!!!

Outro fato que também está deixando os educadores de cabelo em pé é a questão do pagamento do 13º salário, já que até agora a Prefeitura não deu nem um sinal de quando irá depositá-lo.

Dia 26 de outubro (quarta-feira) é o Dia da Mobilização Nacional pela aplicação de 10% do Produto Interno Bruto - PIB na Educação e pela aprovação do Plano Nacional de Educação. Neste dia, nós que atuamos na Educação em Dourados, vamos parar e apoiar a Marcha dos Educadores em Brasília. Todos devem ir às ruas para demonstrar sua indignação e cobrar das autoridades locais mais compromisso e, sobretudo, respeito com a Educação em nosso município.

(*) Ivo Campos é professor da Rede Municipal de Educação em Dourados

Maré favorável
Como diriam os dirigentes do Partido Comunista Brasileiro, o velho Partidão, de Prestes e Hércules Correia, há, no momento, condições objetivas para ...
Uma nova educação superior
Somos lentos, inclusive para acompanhar a rapidez da nossa própria tecnologia. A maior parte dos jovens brasileiros hoje já tem acesso a celulares e ...
Como manter o engajamento na sua rede de franquias?
Não é de hoje que temas como motivação e produtividade estão em pauta nas organizações. O motivo é simples. A diferença entre o sucesso e o insucesso...
Agricultura familiar, um estímulo à economia brasileira
O agronegócio está entre as principais atividades responsáveis por movimentar a economia brasileira. De acordo com um levantamento feito pelo Centro ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions