A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

31/07/2013 08:45

Esse papa...

Por Heitor Freire (*)

Na última semana, o Brasil todo acompanhou com muito interesse a programação da visita do papa Francisco para presidir a Jornada Mundial da Juventude. Ele, que desde o anúncio do seu nome para o exercício do papado, chamou a atenção de todos e não unicamente dos católicos, impressionou muito pela simplicidade, pela escolha do nome, por ser o primeiro papa jesuíta e pela maneira com que está conduzindo a Igreja Católica. É também o primeiro papa oriundo da América Latina

Veja Mais
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo

Ao decidir a dispensa de um avião só para conduzi-lo e embarcar em avião de carreira, subindo a escadaria conduzindo a sua maleta de viagem, já causou novo impacto. O homem realmente tem uma postura muito diferente dos papas anteriores.

Ao chegar ao Brasil, decidindo por um percurso diferente do que havia sido programado enlouqueceu, os homens encarregados de sua segurança: com os vidros do carro abertos saudando a todos com simpatia, conquistou de vez aqueles que tiveram o privilégio de assistir a essa Jornada que, longe de ser um acontecimento voltado unicamente para a juventude católica, se transformou num mega evento.

Inclusive mudou toda a grade de programação da mídia, que se viu obrigada a deslocar equipes para o acompanhamento dos trabalhos. A Rede Globo deixou de transmitir a corrida de fórmula 1 da Hungria para não deixar de acompanhar, ao vivo, todo o evento.

Na chegada ao Palácio Guanabara sendo recepcionado pela presidente Dilma, que já o havia acolhido ao descer do avião, o papa marcou a sua maneira de agir, com o seu discurso: “Não tenho ouro nem prata, mas lhes trago o que tenho de mais precioso: Jesus Cristo”.

Nesse episódio, registrei um fato que considero lamentável: a atitude do ministro Joaquim Barbosa que, ao ser apresentado ao papa pela presidente, ignorou-a olimpicamente, demonstrando dessa maneira um comportamento agressivo e que não tem a dignidade do cargo. Perdeu muitos pontos. Enfim, cada um dá o que tem.

Nestes tempos de intensa e movimentada manifestação pública por todo o país, em que todas as autoridades se recolheram, o papa, ao contrário, se expôs de forma explícita e total. Partiu de forma espontânea e franca ao contato direto com o povo, recebendo presentes, beijando crianças, aceitando até um solidéu que lhe foi ofertado e que imediatamente trocou pelo que usava.

É interessante também a orientação que deu para um pedido a Santa Clara para que não chovesse. Quando minhas filhas eram pequenas e o domingo se apresentava chuvoso, como queriam ir à piscina do Rádio Clube, elas colocavam um ovo na janela do lado de fora. Sempre deu resultado.

Participou ativamente de toda a programação. Apesar de sua idade, em nenhum momento demonstrou cansaço. Pelo contrário se percebia claramente em sua expressão facial a alegria de que estava tomado, do entusiasmo em todos os lugares.

É interessante que apesar da programação extensa, em nenhum momento se observou uma saída sua para ir ao banheiro, manteve-se firme e atento a tudo o que acontecia, demonstrando assim uma firmeza e uma disciplina exemplares.

Para fechar com chave de ouro, a entrevista que concedeu a jornalistas no vôo de volta para Roma: uma hora e vinte minutos. A maior entrevista que um papa já concedeu à imprensa e sem perguntas selecionadas, respondeu a todas, sem tergiversar, sem enrolar, sendo muito claro e objetivo em todas as questões que lhe foram apresentadas. Por exemplo, a posição da Igreja com referência aos gays, acolhendo-os como filhos verdadeiros de Deus que são, sem nenhuma discriminação. Respondeu também às questões de pedofilia e sobre os problemas do Banco do Vaticano.

Enfim, um papa que está fazendo história e que, certamente, vai contribuir e muito para uma nova abordagem da forma de agir da Igreja Católica.

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis e advogado.

Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...
Educação e o futuro da alimentação
Educação deve colaborar na preparação de todos para o pleno exercício da cidadania e, especialmente, formar os jovens para uma vida profissional que ...
Convenções internacionais e competitividade
O Brasil precisa atuar com mais critério na hora de analisar e ratificar convenções multilaterais, especialmente as negociadas no âmbito de entidades...



Você está “certissimo” Marco.
Realmente você acha que é o papa quem “comanda” a igreja católica???

“A polícia italiana está investigando o Banco do Vaticano (IOR), suspeito de violação de uma nova lei contra lavagem de dinheiro.”

“Um dos principais órgãos de direção do banco é a comissão formada por cinco cardeais nomeados pelo Papa.”

“A justiça já ordenou a apreensão de 23 milhões de euros do IOR.”

“Grande parte da soma, ou seja 20 milhões de euros, seria transferida para uma agência do JP Morgan, em Frankfurt...”

certíssimo...
 
Marcelo Rodrigues em 31/07/2013 11:24:10
Não acho que seja Marketing, basta olhar a obra anterior desse homem na Argentina. As favelas o conhecem intimamente, é conhecido como o pai dos pobres. Tem várias fotos dos menos favorecidos com fotos com eles e o atual papa em seus casebres. Quando uma pessoa é produto de mídia não se abre a perguntas dos jornalistas por uma hora inteira, respondendo a tudo sem se esquivar. Acho que a igreja católica perdeu muito com o Bento e agora voltou ao caminho certo que é a humildade, a simplicidade, e colocando Jesus Cristo no centro.
 
Célio Rosa em 31/07/2013 10:29:12
A opinião de todos tem que ser dada, mas Marcelo pelo amor de Deus, deixa de ser descrente, como o próprio papa disse, todas as religiões que falam de um só Deus são iguais, agora se você é um descrente tudo bem, mas pense bem antes de dizer bobeira e ser passado por uma pessoa ridícula.... Respeite os outros para que você possa ser respeitado.
 
Marco Silva em 31/07/2013 10:25:14
Realmente os “marqueteiros” católicos estão tendo trabalho.
Após a decadência acentuada da Igreja Católica, não é de se espantar a repentina mudança de postura perante seus fieis.
Assim como “qualquer outro negócio”, o Vaticano precisa fazer a manutenção de sua imagem.
E com vocês... o papa Francisco!!!
 
Marcelo rodrigues em 31/07/2013 09:57:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions