A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

04/01/2012 12:40

Farinha pouca, meu pirão primeiro!

Por Raimundo Edmário Guimarães Galvão*

Fafá de Belém recebe cachê de R$ 38 mil em show beneficente. Abria a manchete da última terça-feira, dia 3 de Janeiro de 2011, do jornal eletrônico, a Folha de São Paulo, criando assim uma polêmica das muito engraçadas nesse começo de 2012. O Memorial da América Latina pagou cachê de R$ 38 mil para uma apresentação beneficente que Fafá de Belém fez no local, no último dia 18. O ingresso era um quilo de farinha para o projeto Padaria Artesanal, que a primeira-dama de São Paulo, Lu Alckmin comanda no Fundo Social de Solidariedade. A informação, segundo o jornal, é da coluna de "Mônica Bergamo". Prossegue: procurada, a assessoria de Fafá diz que ela não foi informada de que o show era beneficente. “Não sabia que era beneficente? Vamos devolver o cachê, então!” – com essa , de um leitor, estava armado o circo do país da piada pronta. “Ué, porque não pegaram os R$ 38.000,00 e compraram tudo de farinha?” – questionava outro, dentre mais pérolas que eu relaciono abaixo, pois penso que serve como um pequeno termômetro de das interpretações dos brasileiros, sobre qualquer assunto:

Veja Mais
Educação e o futuro da alimentação
Convenções internacionais e competitividade

- Era mesmo beneficente! Beneficiou a Fafá, ué!

- Não me digam que só agora descobriram que cantores e jogadores recebem cachês milionários em eventos beneficentes?

- Assim é a defensora do "Parazão". Resta saber se o pacote também inclui choro e o hino nacional!

- Imagino a gargalha que a Fafá costuma dar. Depois deste show não para de rir. Ha ha ha ha ha ha hiii hiiiiiiii

- Segundo o site do próprio Memorial, a capacidade do auditório onde foi realizado o show é de 1.600 pessoas - 1,6 ton de farinha, portanto. Seria muitíssimo mais econômico ter pegado o cachê da cantora da terra onde Jesus nasceu e ter comprado tudo em farinha. Daria prá comprar umas 19 ton de farinha, se se considerar R$2 ,00/kg de farinha.

- No final do show, a dona Lu Alckmin fez as contas: "gastamos 200 mil para fazer o show e arrecadamos 50 mil. Ou seja, os pobres estão nos devendo 150 mil".

- Lu Alkmin, organizadora do evento, pessoa com muito amor no coração, cuidando dos pobres; governo do estado , show quase de graça para o povão, que ainda foi solidário doando a farinha. Suspeito que a farinha será usada na fabricação de pizzas!

- "Pão e Circo". Pão para o povo, Circo para os artistas e a grana que alguém está ganhando em cima da "boa ação"! Não tem sentido pagar artistas em show beneficentes. Alguém está tentando subestimar minha inteligência.

- Já vi gente escondendo dim dim na cueca, mas agora nos seios foi demais, rsrsrrss e olha que pelo tamanho dava pra colocar bastante dim dim beneficente nele ssrsrrsrs!

- Ela até poderia receber um dinheiro se fosse por exemplo pra cobrir o custo de deslocamento dela, mas por R$ 38.000 só se ela estivesse em turnê pelo Afeganistão!

- Será que ela não pensou que o show era em beneficio aos artistas em decadência?

- O molho saiu mais caro que a carne.

- Pois é, até ela já até entrou na moda do "eu não sabia"!

- Nessa, a Fafá meteu os peitos pelas mãos...

- Pagar 38 mil para a Fafá de Belém cantar: Isto sim é caridade!!!

- Olha, a farinha é só para o ventilador do eleitor.

- Não sei o que é pior, ela ter cobrado, ou alguém da produção do "show" ter lembrado dela..

- A primeira dama do Estado faz a média dela com a população, pedindo voto indireto pro marido, garantindo o emprego dele como político e vocês queriam que a Fafá cantasse de graça, batendo palma pro macaco pular?

- Não sou católico, mas tenho uma bronca da Fafá por ela ter abraçado o Papa. Falta de respeito para com os catolicos.(sobrou pro Papa...)

- E o padre (isso mesmo, eu disse padre!) Fábio de Melo, que cobrou 70.000 para fazer um show beneficente para o Hospital do Câncer em Uberaba? (....pro padre....)

- Caetano Veloso, Maria Betânia e agora Fafá de Belém. Tudo farinha do mesmo saco!(... e pro Caetano)

- Alguns fazem shows beneficentes de verdade, como Xuxa, Chitão e Xororó e outros que já fizeram para o hospital de

Barretos, agora essa turma nova, não tem valores...

- E a Fafa é nova?

- "Criança Esperança" , sempre fez escola...

- E eu que sempre considerei a Fafá de Belém amiga do peito!!!

- Cobrou barato! Cantar pra pobre é complicado, primeiro que eles não entendem nada da música e segundo ela também tem que comer...ou só pobre come? E todo mundo tem de trabalhar de graça para eles? Coloquem-nos pra trabalhar na lavoura, está sobrando milhares de vagas! Mas, trabalhar é ruim, é mais fácil ganhar...

- Esse fato me lembrou aquela música "Comprei um quilo de farinha prá fazer faro-Fá-Fá" (de Belém)...

de Belém)...

Humor à parte, não custa vez em quando lembrar por onde a anda o público e o privado, afinal é melhor sorrir do que chorar! Um bom comecinho de ano pra todos!

(*) Raimundo Edmário Guimarães Galvão é músico e jornalista

Educação e o futuro da alimentação
Educação deve colaborar na preparação de todos para o pleno exercício da cidadania e, especialmente, formar os jovens para uma vida profissional que ...
Convenções internacionais e competitividade
O Brasil precisa atuar com mais critério na hora de analisar e ratificar convenções multilaterais, especialmente as negociadas no âmbito de entidades...
A Odisseia da Chape
Não tenho dúvidas de que o esporte funciona como uma metáfora da vida. As mazelas e dramas humanos estão presentes em todas as etapas da trajetória d...
Comunicação da qualidade dos alimentos
É importante que as notícias do agro cheguem de maneira correta aos moradores dos grandes centros urbanos. A maioria destes consumidores de alimentos...



Esse negócio de caridade é tudo papo furado, esquema de golpistas malandros que querem tirar alguma vantagem explorando os bons sentimentos do povo. Tem golpista que quer ganhar dinheiro, outros, como a primeira dama que organizou essa palhaçada, quer ganhar votos para o marido. Isso é lógico, porque se o real objetivo fosse ajudar os pobres, muito melhor seria usar o dinheiro e comprar a farinha.
 
Christoffer Yuri em 05/01/2012 08:03:27
Gostei da matéria, mostra a diversidade de pensamentos do povo brasileiro. E que mesmo quando indignado mantém o bom humor.
 
Renan Balyero em 04/01/2012 05:25:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions