A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

08/03/2012 06:38

Medidas provisórias

Por Alicio Mendes (*)

Li, dias atrás , como faço todos os dias na coluna “Jogo Aberto” deste Jornal, parte do discurso do Deputado Fábio Trad, sobre a visão que ele está tendo do funcionamento da Câmara Federal nos dias de hoje.

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

Sob a égide de uma linguagem pictórica e irrepreensível, ele define com perfeição o comportamento tacanho da maioria dos nossos representantes. Ali, com raras exceções, eles chegaram para se transformar em meros teleguiados a serviço do poder. Ao se ajoelhar para dizer amém, o parlamentar o faz, virando as costas para os seus sagrados compromissos assumidos com seus eleitores.

Suja o seu diploma, confunde sua missão e anda no sentido de se corromper. Não se interessa por elaborar projetos, nem por estudar os que são apresentados.

Ali eles chegaram para cuidar de seus interesses, para agradar eleitores com benesses e para ostentar seu status. Ali eles chegaram para agradar seus favorecedores e ali permanecem ansiosos para conhecerem as próximas Emendas Provisórias que diariamente chegam ao Congresso. Nossa Constituição está mais remendada do que qualquer cobertor de retalhos.

Esse regime de emendas outrora tão combatido pelos mandatários atuais, se transformou num corriqueiro instrumento para governar ao bel prazer. A Câmara hoje não tem mais identidade. Ela ali está como mera homologadora das vontades do Palácio do Planalto. Quem sabe, isso ainda não possa ser mudado.

Quem sabe à voz solitária do nosso deputado sul-mato-grossense que demonstra ser verdadeiro herdeiro político do Lendário Pai, não venham se juntar outras tantas, capazes de conscientizar os incautos a começarem a acreditar que o país precisa que eles cumpram com o seu verdadeiro papel.

(*) Alicio Mendes é educador ambiental e médico veterinário

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions