A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

04/11/2016 16:45

Metrologia e as fábricas do futuro

Por Juliano Moraes (*)

Atualmente a metrologia, definida como ciência da medição, é uma das áreas do conhecimento científico com maior aplicabilidade nos meios industriais, presente em inúmeros processos de tomada de decisão. Por representar um dos mais importantes instrumentos de desenvolvimento tecnológico, oferece grande contribuição para o aumento da competitividade na indústria.

Veja Mais
Comércio exterior: o que esperar de 2017
Tédio é a falta de projeto

Com a chegada da chamada Internet das Coisas e o crescimento da automatização, um novo cenário se desenha dentro das fábricas em todo o mundo. A indústria 4.0 promete revolucionar as linhas de montagem e gerar produtos inovadores e customizados já em futuro próximo, com robôs cada vez mais colaborativos no processo.

Diante deste cenário, novas tecnologias de medição surgem com a missão de reduzir os tempos de análise e aumentar a precisão dos resultados. Exemplo de inovação são os sistemas de medição integrados a linhas de produção (medição in line), que geram vantagens operacionais como a oportunidade de realizar o diagnóstico dimensional da peça logo após a fabricação.

Para a adoção desta e outras tecnologias, a tendência é que aumente a demanda por pessoas com alta qualificação no mercado porque logo o metrologista passará a ter uma função muito mais analítica do que operacional, o que certamente impulsionará a produtividade, de modo a minimizar erros e aumentar a qualidade.

Quem quiser garantir espaço nas fábricas do futuro deverá buscar o aperfeiçoamento de suas competências para desenvolver mais habilidades. Este profissional mais do que nunca precisará estar aberto a mudanças, ter flexibilidade para se adaptar a novas funções e se habituar a uma aprendizagem multidisciplinar e contínua.

Embora ainda um pouco distante do Brasil, esta nova aprendizagem ainda será ditada por uma maior cooperação entre as autopeças e montadoras, organizações que já possuem uma expressiva interdependência e devem desenvolver um relacionamento mais próximo do que somente relações comerciais, em razão da necessidade do desenvolvimento em conjunto das tecnologias.

Esses e outros assuntos serão debatidos por especialistas durante o Simpósio SAE BRASIL de Metrologia 2016, que será realizado na Meritor, em Resende (RJ), dia 30 de novembro. Este é um convite para deixar um pouco de lado a rotina pesada, olhar para frente e se preparar para a competitividade da nossa indústria, que demanda rapidez com qualidade.

(*) Juliano Moraes é chairperson do Simpósio SAE BRASIL de Metrologia 2016 e supervisor de Qualidade da MAN Latin America; mestre em Engenharia de Produção pela Unesp, pós-graduado em Gestão de Projetos pela FGV e Gestão de Negócios pela Fundação Dom Cabral e graduado em Engenharia de Produção Mecânica pela PUC-Rio.

Comércio exterior: o que esperar de 2017
Apesar das tintas carregadas com que alguns analistas têm pintado o cenário para o Brasil em 2017, em razão da crise política entre o Congresso e o P...
Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions