A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017

13/01/2016 10:35

Mobilização contra pacote trabalhista e previdenciário do governo

Por Júlio César Cardoso (*)

O senador Paulo Paim (PT-RS) propõe mobilização contra pacote trabalhista e previdenciário do governo. Tão logo sejam retomados os trabalhos legislativos, em fevereiro, a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado deverá se reunir para discutir a reforma trabalhista e previdenciária que o governo pretende conduzir em 2016. A informação é do presidente da Comissão, senador Paulo Paim, que emitiu nesta terça-feira (5) nota para defender que “a sociedade civil se mobilize contra esta barbárie”. Fonte: Agência Senado.

O senador Paulo Paim merece respeito. Este jamais se meteu em politicagem ou se posicionou contra os trabalhadores, como a maioria fajuta de parlamentares petistas, que não faz outra coisa senão defender um governo corrupto, que não cumpriu as promessas de campanha da reeleição, que afundou o Brasil em recessão econômica e que cometeu pedaladas fiscais para se reeleger, portanto, governo que demonstrou toda a sua irresponsabilidade e incompetência.

Novamente o governo tenta alterar regras e conquistas trabalhistas. O governo Lula, por exemplo, já aplicou um golpe ao instituir a cobrança de 11% sobre as aposentadorias dos servidores federais e seus pensionistas, ferindo direitos adquiridos.

O governo jamais abriu a Caixa-Preta da Previdência Social para mostrar o Livro Caixa de entrada e saída da Previdência. Ninguém sabe como o dinheiro da Previdência Social é administrado e para aonde vai. O governo fala que a Previdência Social é deficitária, mas não demonstra contabilmente a real situação, assim como nunca divulgou um laudo técnico-contábil auditado por serviço de auditoria idônea para atestar o quadro deficitário da Previdência Social.

A cada ano de incompetência administrativa do governo petista, vem ele propor alteração nas regras das aposentadorias dos trabalhadores e tentar mexer nas conquistas trabalhistas. Mas o governo não corta a monstruosa despesa pública com o inchado número de ministérios e outras mordomias na ilha da fantasia Brasília.

O problema do Brasil está no dinheiro que escorre para o bolso de políticos corruptos e apaniguados, e por isso a sociedade padece de qualidade nas áreas da educação, saúde e segurança pública. A prova mais recente da orgia de dinheiro público está no maior escândalo de corrupção política de que se tem notícia na República (petrolão), muito maior que o mensalão, em que estão arrolados os presidentes do Legislativo Federal, o ex-presidente Lula, o governo Dilma, deputados, senadores, governadores e ex-ministros.

Assim, enquanto não se varrer a sujeira corrupta política e de governo, que delapida o Erário, pondo na cadeia essa quadrilha que se apoderou do país, sequestrando os seus bens e cassando a maioria de seus mandatos para sempre, o Brasil dificilmente encontrará o caminho do desenvolvimento sustentável, e os governantes continuarão a interferir nas conquistas trabalhistas, na aposentadoria dos trabalhadores, bem como inexoravelmente persistirá a aumentar a carga tributária, como agora ao pretender retornar a cobrança da CPMF, já recusada pela sociedade.

(*) Júlio César Cardoso é bacharel em Direito e servidor federal aposentado – Balneário Camboriú-SC

Sobre o mercado e o governo
O homem primitivo acordava de manhã, saía para coletar frutas, abater animais e pescar peixes, e assim ele se alimentava. Ao fim do dia, cobria-se co...
Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...
19 anos de Código de Trânsito Brasileiro
No dia 22/01/17, o atual Código de Trânsito Brasileiro completa 19 anos de vigência. Após 31 Leis que o alteraram, com o complemento de 655 Resoluçõe...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions