A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

17/02/2014 09:35

No caminho certo

Por Sérgio Longen (*)

O novo modelo de desenvolvimento que contempla a indústria tem demonstrado um crescimento vertiginoso nos últimos 8 anos e em 2013 os dados foram ainda mais positivos, retratando de forma clara o novo Mato Grosso do Sul, onde a indústria vem consolidando o desenvolvimento estadual. A atividade industrial já lidera a economia em aproximadamente 20 municípios e tem uma massa de quase 150 mil trabalhadores empregados com carteira assinada.

Veja Mais
Comércio exterior: o que esperar de 2017
Tédio é a falta de projeto

A soma de esforços para desenvolvermos a atividade industrial no Estado é uma realidade. Em 2013, a indústria estadual apresentou crescimento de até 19% em relação ao ano de 2012, enquanto nacionalmente o avanço foi mais tímido, com o setor assinalando uma expansão de 1,2%. Entre 2012 e 2013 a indústria sul-mato-grossense teve um salto de 19% na receita de exportação de produtos industrializados, de 17,47% no PIB Industrial, de 10% no número de estabelecimentos industriais, de 6,4% na quantidade de trabalhadores e de 5,7% no faturamento, que somou R$ 24 bilhões.

De janeiro a dezembro do ano passado, a receita de exportações de industrializados somou US$ 3,57 bilhões, enquanto o PIB Industrial atingiu o patamar de R$ 12,1 bilhões e o setor abriu 8.701 novas vagas, totalizando 143.197 trabalhadores com carteira assinada distribuídos por 11.600 estabelecimentos industriais. A expansão foi alavancada pelos segmentos de celulose e papel, alimentos e bebidas, sucroenergético, construção civil, couros e peles e extrativo mineral.

O salário pago pela indústria estadual acompanhou o desenvolvimento do setor, conforme o IBGE, tendo, em termos percentuais, o maior crescimento em nível nacional. Várias ações foram feitas para que isso se tonasse realidade, principalmente, em termos de qualificação profissional, com o Senai encerrando o ano com 70 mil trabalhadores qualificados.

É nessa tecla que temos batido, de levar até as pessoas a formação profissional, por meio dos containers salas de aula e das unidades móveis. Em Campo Grande, os nossos agentes de qualificação têm batido de porta em porta, oferecendo a oportunidade de qualificação e o trabalhador, quando capacitado, consegue melhores salários.

Para este ano, o desafio é encarar os gargalos do setor industrial, como os da área de logística de transporte, por exemplo, em que o Estado começa a evoluir com a privatização da BR-163. Mais do que nunca, precisamos criar e propor ações necessárias para a continuidade do crescimento industrial a dois dígitos. Esse é um grande desafio, mas que temos totais condições de alcançar. Que nossas ações possam evoluir, por meio das PPPs (Parcerias Público e Privadas), que darão mais velocidade na resolução dos nossos gargalos.

A nossa previsão é que 2014 também seja um ano bom e repleto de atividades, como as eleições para deputados estadual e federal, para governador, para senador e para presidente da República e a Copa do Mundo da Fifa no Brasil.

Entendemos que o setor vem caminhado mesmo com dificuldades e tenho certeza que com trabalho e planejamento vamos também crescer dois dígitos em 2014, mantendo os índices de crescimento da China. É um desafio, mas, com certeza, com muito trabalho e parcerias com prefeitos, deputados, senadores e Governo do Estado, vamos buscar resultados para o desenvolvimento estadual.

(*) Sérgio Longen é empresário do setor de alimentos e presidente da Fiems – Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul.

Comércio exterior: o que esperar de 2017
Apesar das tintas carregadas com que alguns analistas têm pintado o cenário para o Brasil em 2017, em razão da crise política entre o Congresso e o P...
Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions