A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 24 de Janeiro de 2017

22/04/2016 16:00

Novas regras da meia-entrada: pressupostos, características e possibilidades

Por Amanda Romero (*)

Em vigor desde 1 de dezembro de 2015, o Decreto nº 8.537/2015, que regulamenta o benefício da meia-entrada para acesso a eventos artístico-culturais e esportivos, para estudantes, pessoas com deficiência e agora, a jovens considerados de baixa-renda, trouxe novidades e peculiaridades em seu texto, o que traz a necessidade de conhecimento e melhor, entendimento, tanto para quem produz o evento, como para os beneficiados. Aqui já se verifica novidade, por estar incluído no benefício da meia-entrada o jovem de baixa renda, que é aquela pessoa com idade entre 15 e 29 anos que pertence a família com renda mensal de até dois salários mínimos, inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – CadÚnico.

Também foi garantido o beneficio ao acompanhante, que é entendido como aquele que acompanha a pessoa com deficiência, o qual pode ou não desempenhar as funções de atendente pessoal. Inicialmente, fica estabelecido que o organizador do evento deve destinar 40% do total dos ingressos do evento para atender aos benefícios de meia-entrada previstos nesse decreto.

Essa novidade beneficia os empresários, que não são mais obrigados a atender à meia-entrada durante toda a venda dos ingressos, e sim até atingir o limite de 40% dos ingressos colocados à venda. Atingido tal limite, a venda de meia-entrada poderá ser suspensa. Importante que se saiba que esse limite de 40% não inclui as meias-entradas garantidas aos idosos, por serem benefício que não é tratado nessa mesma legislação, e sim no Estatuto do Idoso.

A partir dessa nova regulamentação, o benefício da meia-entrada alcança todos os convites individuais de eventos artístico-culturais e esportivos, ou seja, estão incluídos nos benefícios, convites de eventos localizados em áreas de camarote, áreas VIP, ou até eventos “open bar” e “open food”. Por tratar o decreto apenas de convites individuais, o benefício não alcança convites vendidos de forma coletiva, como eventos com mesa, bangalôs, ou outras formas de venda que não permitem a compra de apenas um convite.

Novidade interessante diz respeito aos eventos “open bar” e “open food”, que como dito, passam também a ser obrigados à venda de ingressos respeitando o benefício da meia-entrada. Para esses casos, porém, não se terá a venda do convite pela metade do preço global, pois a meia-entrada incide apenas para o custo relativo à apresentação artística, excluindo-se os custos com produtos e serviços oferecidos. Na prática, isso significa dizer que em um evento “open bar”, por exemplo, que tenha ingresso com custo de R$ 100,00, o organizador deverá estabelecer, respeitando a peculiaridade de cada evento, qual valor seria relativo à apresentação artística/cultural, e qual diria respeito aos serviços e produtos agregados. Nesse caso, se o convite estabelecesse custo de R$ 60,00 para o evento e R$ 40,00 para o produto/serviço “open bar”, o desconto incidiria apenas sobre os R$ 60,00 do evento. De forma prática, o convite meia-entrada sairia por R$ 70,00 (40,00 relativos ao “open bar” e R$ 30,00 relativos à meia-entrada).

Esse percentual relativo ao serviço e à atividade cultural/artística, poderá variar, como dito, de acordo com a peculiaridade de cada evento, não havendo consenso ainda quanto a tal base. Atualmente, quem determina a distribuição de tais valores é o próprio produtor do evento, que deverá avisar de forma clara, tal distribuição no momento da venda. Um ponto interessante no Decreto, especialmente para os empresários e organizadores de eventos, diz respeito à restrição das entidades que podem fornecer as credenciais de identificação dos beneficiários da meia-entrada. Para estudantes, o Decreto determina que se incluem entre os beneficiados apenas aqueles que possuem a CIE (Carteira de Identificação Estudantil) que deverá ser emitida pela UNE (União Nacional dos Estudantes), ANPG (Associação Nacional de Pós-Graduandos), Ubes (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas), além de Diretórios Centrais de Estudantes e Centros Acadêmicos.

Os jovens de baixa renda terão direito ao benefício da meia-entrada mediante a apresentação da Identidade Jovem acompanhada de documento de identificação com foto. As pessoas com deficiência terão direito ao benefício da meia-entrada mediante a apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da pessoa com deficiência ou de documento emitido pelo INSS que ateste a aposentadoria por invalidez. No Estado de Mato Grosso do Sul, quem vem fiscalizando os eventos quanto ao cumprimento da Lei, é o Ministério Público, porém, como se trata de uma Lei nova, ainda existem muitas discussões e pontos para esclarecimentos sobre a matéria, devendo os beneficiários e os organizadores de eventos, ficarem atentos ao respeito à tal regulamentação, bem como à evolução dos entendimentos de sua aplicação, para evitar prejuízos.

(*) Amanda Romero é estagiária de Direito do escritório Resina & Marcon Advogados Associados; acadêmica do 9º semestre de Direito da Uniderp.

A força da mulher no campo
Em rotina de propriedade leiteira a mulher tem se destacado em alguns setores, ordenha e cuidados de bezerros já são áreas, na produção leiteira, que...
Sobre o mercado e o governo
O homem primitivo acordava de manhã, saía para coletar frutas, abater animais e pescar peixes, e assim ele se alimentava. Ao fim do dia, cobria-se co...
Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions