A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

15/04/2011 06:01

O bandido tem a proteção; a vítima, o caixão!

Por Jeovah de Moura Nunes (*)

Avança a criminalidade em todo o Brasil e isto vai ficando muito parecido com uma guerra sem quartel. Nenhum dos congressistas e legisladores fazem leis mais severas, duras e com suporte para verdadeiramente punirem os culpados.

No fundo, os culpados não são os criminosos, mas os que fazem as leis. Leis que protegem os criminosos, mas não protegem os cidadãos honestos. O Brasil está cada dia virando de cabeça para baixo. Tudo está às avessas e nós, cidadãos, nada podemos fazer, porque quem realmente pode não o faz. Nosso País vai ficando parecido com a Alemanha nazista dos anos trinta do século passado.

O bandido tem a proteção; a vítima tem o caixão. E nada se faz. E ainda tem gente que bate no peito e diz: “amo o meu País, chamado Brasil”. Ora, ama enquanto não for a vítima. Mas, acredito que mesmo quem é roubado e assassinado ainda deve amar o Brasil. Eu não amaria. Até amo, enquanto não for assassinado. Depois de morto voltarei para assombrar meu assassino. É a única forma de mostrar que ainda existe a desforra, porque no Brasil inteiro parece que as pessoas gostam de serem assassinadas, já que não voltam para assombrar seus carrascos. E é exatamente por isso que a criminalidade avança a olhos vistos.

Em pleno século 21 o Brasil se tornou um lugar de assassinos frios, violentos e até mesmo de pessoas sem um mínimo de arrependimento, ou capaz de lembrar das vítimas com comiseração. Será que os nazistas estão se reencarnando no Brasil? Ora, os assassinatos são muito parecidos com os da Alemanha nazista dos anos 30 do século passado. Nada se pode fazer. Os congressistas têm ouvidos moucos e não querem fazer leis que favoreçam os cidadãos honestos, mesmo porque nem mesmo os congressistas são tão honestos assim.

Estamos mesmo num beco sem saída. Ou eletrificamos nossos muros e telhados com fios de tensão 220, ou estamos porcos definitivamente. O interessante é que este avanço da criminalidade surgiu no governo do barbudo Lula. Talvez seja uma enorme coincidência. Mas, lembro-me perfeitamente que no ABC havia muitos bandidos e ladrões noturnos nos tempo do Lula lá. Atualmente convivemos com um criminoso que possui status e privilégio presidencial.

O governo lulista parece que aprecia criminosos e acabou concedendo status de refugiado político ao italiano Cesare Battisti em janeiro deste ano. A decisão provocou reações da Itália, que pediu a extradição do ex-ativista de esquerda acusado de quatro crimes no país. Com o status de refugiado político, Cesare não pode ser extraditado. Isto demonstra claramente que o Brasil é o país da criminalidade, já que apóia os criminosos de dentro e também os de fora.

Nós nascemos honestos e com lições cristãs, somos as vítimas dos criminosos que nascem maus e vão morrer demônios levando a gente de roldão. É o fim da picada, ou do país?

A criminalidade, quando instalada num país democrático, vai aos poucos modificando as liberdades pessoais, a vida vai ficando perigosa e tudo começa a se modificar, desde os nossos direitos adquiridos, quando nós começamos a sentir que tais direitos estão indo para o brejo.

Foi assim na Alemanha nazista dos anos trinta; foi assim na Rússia em 1910 a 1917 com a instalação do comunismo vermelho. Normalmente é o próprio povo que assume as supostas novidades políticas. Apaixonado pelos discursos eloqüentes e repletos de promessas de uma individualidade, que traz consigo uma característica física chamando a atenção e o povo acaba perdendo o uso da razão e se emociona numa índole caprichosa e desequilibrada.

Foi assim com Hitler. Foi assim com Mussolini. Foi assim com Stalin. Este último até fez uma ótima tarefa: acabou com a Alemanha nazista e com o louco Adolph Hitler. Tudo isto brota quando vai surgindo num país qualquer uma violência cada vez mais fora de controle. No México estava ocorrendo isto, mas com a ajuda americana e um presidente mexicano de pulso forte a criminalidade está aos poucos desaparecendo.

Aqui em nosso País está crescendo dia a dia, mês a mês e ano a ano. Tudo devagar, mas crescendo. São assassinatos cruéis. Estupros absurdos. Crimes hediondos sem leis que possam castigar! O Brasil está se acostumando com a terrível criminalidade e não temos leis, nem homens corajosos que façam leis mais sofisticadas e duras. Tais como prisão perpétua e pena de morte!

O que resta saber é se essa criminalidade “democrática” é ou não é uma preparação para uma grande revolução como ocorreu na Rússia em 1917. Afinal temos no poder um partido político de bandeira vermelha, que até agora tem sido carismático, mas possui uma gama enorme de pessoas que são vidradas no poder que o partido, através de Lula, conquistou.

Esperamos que realmente tudo seja como foi o Lula, entregando o cargo democraticamente. Mas, que vivemos num lugar perigoso como se estivéssemos num mato sem cachorro isto é a pura verdade. A morte cavalga para nós, os desamparados, vítimas de leis fajutas produzidas apenas para a proteção do criminoso.

(*) Jeovah de Moura Nunes é escritor e jornalista. Autor de “Versos à Revelia”, entre outros livros.

Cinco ações que devem ser evitadas em 2017
Ao fim de cada ano, realizo uma pesquisa com funcionários de empresas de todo o Brasil para avaliar quais foram as coisas que mais impactaram na prod...
A aviação e suas regras
A aviação conseguiu, em menos de um século, aproximar os continentes, as empresas e, principalmente, as pessoas. Foi uma evolução tão rápida que não ...
Lei Orgânica da Assistência Social – 23 anos
Nos últimos anos, a Assistência Social vem construindo uma nova trajetória, organizando-se sob novos padrões e afirmando-se como parte integrante do ...
Morre no trânsito o equivalente a 2 aviões da Lamia lotados por dia
Por dia, no Brasil, morrem em acidentes de trânsito o equivalente a ocupantes de dois aviões da Lamia, que transportava o time inteiro da Chapecoense...



Quero agradecer a todos esses leitores que produziram seus textos. Seus nomes são para mim nomes de pessoas corajosas que sofrem o receio como a maioria dos brasileiros sofrem, caso contrário não teriam vontade nenhuma de dizer alguma coisa como fazem a maioria da população. Célia Regina de Campos; Ricardo M. Santos; Antônio Cordeiro; Lindomar Afonso Vilela; Lincoln S. Cristovão; Marco Aurélio Alves e Luís Arantes. A todos vocês o meu conforto e alegria, parabenizando-os pelo mesmo pensamente meu, que é de todos, porque realmente estamos vivendo os dias terríveis que viveu a Alemanha Nazista em 1933, quando iniciaram a matança de alemães que não comungavam com o nazismo de Hitler. Eram honestos sendo mortos como ocorre atualmente no Brasil. Um abraço a todos!

Jeovah de Moura Nunes
Jaú - SP
 
Jeovah de Moura Nunes em 22/04/2011 07:25:17
O que me deixa com medo é que meu filho de 15 anos me disse: Calma mamãe se adapta com esse mundo, pois daqui a 8 anos dentro e fora da prisão sera tudo igual. Medo tenho, porque as crianças que devem ter uma educação baseada no ato de afetividade não existe dentro das escolas,fico confusa, o Brasil ´para mim não significa mais nada, só vejo o que voce escreveu e fico muito triste com o meu Pais.Jovens com armas, jovens sem rumos, colocam a culpa nos pais, e a escola, a sociedade fazem o que?Formam esses meninos para serem o que?
 
Célia regina de campos em 15/04/2011 10:58:56
Mas a que o povo brasileiro pode se apegar, somente a deus ia sorte. A lei no brasil não funciona, no caso do estuprador da faculdade , o meliante ja tinta estuprado, matado sua namorada.Oque ele estava fazendo na rua, tinha q estar morto desde os 16 anos quando estuprou uma menina de9.Não podemos mais sofrer por acreditar na recuperação desses marginais. Segundo entrevista q li de 10 presos 8 volta a ao crime. por que nao matar os 10 , seria mais acerto q eros.E uma vergonha o cidadão de bem não poder ter uma arma.( não em casa mas consigo). Sou a favor do porte de arma , cada cidadão de bem , que conseguir comprovar sua honestidade se quiser pode compra uma arma de fogo. Vivemos em jaulas e os bandidos livre. Hoje vivemos em um mundo que não podemos nen compra um carro melhor, porque somos asaltados ,familia feita de refen temos que escolher oque os bandidos não gostam.E uma vergonha, mas não vejo solução se não for uma mudança , transformar as policias militar,civil, federal tudo em EXERCITO BRASILEIRO . E acabar com os advogados de porta de cadeia, exercito prende exercito julga. Exterminar os direitos humanos. so tem direito aos direitos humanos pesoas humanas e não assasinos .
 
ricardo m santos em 15/04/2011 09:47:30
É a mais pura verdade, esperar que bandidos do poder, faça leis pra punir bandido é pura ilusão. Desarmamento para os de homens de bem e vista grossa para os fora da lei que buscam até arma de guerra lá fora e via correios até. Esse é o país da pouca vergonha isso sim, mas como se diz o povo tem o governo que merece.....
 
Antonio Cordeiro em 15/04/2011 09:19:27
Concordo com o autor do artigo a respeito da matéria, especialmente em relação à conivência do Governo com a prática criminosa, mas peço-lhe vênia para acrescentar que penso que a criminalidade no Brasil não é fruto somente das leis que os políticos fazem e da abertura do regime democrático "lulista", mas principalmente pela péssima criação que a maioria dos brasileiros dá a seus filhos, ensinando-lhes desde cedo a levar vantagens indevidas sobre os outros, advindo a desonestidade do próprio berço.
É da natureza da grande maioria dos brasileiros corromper e ser corrompidos, cujo vício se aprende na infância pelo filho que vê os pais sendo desonestos em pequeninas coisas, como por exemplo deixar de devolver o troco a mais que receberam no mercado ou estacionar o carro em lugar não permitido.
A solução é só uma, ensinar às nossas crianças, desde o nascimento, os bons costumes e conceitos de cidadania e honradez, convencendo-lhes de que é "bonito" e "compensa" ser honesto.
Lindomar Afonso Vilela
(advogado)
 
Lindomar Afonso Vilela em 15/04/2011 08:40:08
Excelente artigo, espero que o legislativo federal e nosso judiciário que concede (é claro pautado em nossa lei penal atualizadíssima) as progressões de pena a estupradores e sequestradores leiam...
 
Lincoln S. Cristóvão em 15/04/2011 08:31:24
Gostaria que este comentário fosse respondido pelo presidente da OAB.
Cadê a OAB, para defender as pessoas que foram prejudicadas com o atentado da escola do Rio de Janeiro, cadê os advogados que vão auxiliar as familias a tentar receber as indenizações de que tem direito?
Pois tenho certeza de que se tivesse acontecido em um presidio, ela com certerza estaria lá para defender os "pobres" coitados, injustiçados e blah, blah, blah!
 
Marco Aurélio Alves em 15/04/2011 07:59:22
Parabens meu amigo, pela coragem e palavras sábias acima de tudo lúcidas, nosso pais e nosso estado estão uma vergonha e quem deveria nos proteger na verdade é quem nos mais sacaneia.
 
LUIS ARANTES em 15/04/2011 07:54:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions