A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 17 de Janeiro de 2017

24/03/2015 09:44

Olha aí ele de novo ...

Por Heitor Freire (*)

O outono voltou. No dia 20 de março. E com o outono, que considero a estação mais bonita do ano – neste período vou completar 75 outonos –, volta a floração das paineiras, embelezando ainda mais a nossa Campo Grande.

Veja Mais
Sistema carcerário brasileiro clama por ajuda
Mais um ano difícil

O outono tem uma característica espiritual que o torna diferente das demais estações. É a estação da transitoriedade, da renovação, da transformação. Tudo muda. Nietzsche afirmou: “Repare que o outono é mais estação da alma do que da natureza”.

O momento é de outonear. De curtir o outono. É a estação do silêncio, do recolhimento, da meditação, da reflexão. É a chegada da serenidade. Saber esperar é uma virtude. Aceitar sem questionar, que cada coisa tem seu tempo certo para acontecer...é ter fé!

Mestra pela PUC/SP em Semiótica – a linguagem de todas as linguagens –, Marina Gold se aplicou no estudo da Psicologia, assim como também da psicanálise, filosofia e antropologia, a fim de melhor desvendar os mistérios da trajetória humana no nosso planeta.

Aqui reproduzo um texto de sua autoria que retrata com fidelidade o que penso sobre o outono: “A exuberância ardida do verão vai declinando para temperaturas mais amenas. A sinfonia da vida desce uma oitava. O cotidiano abaixa do galope ao passo. O coração é inundado por comoventes serenidades. O mundo desacelera.

Depois de tanto calor, a beleza do mundo se renovará diferente, mais contida, em tons pastéis: outras cores, outros aromas, outros sabores. O coração desaquecerá, abrandando o ritmo, mudando o compasso no vivenciar de uma temporalidade que se alonga como se os dias, horas, minutos passassem mais devagar.

No outono, com menor velocidade e pulsação ao redor, podemos contemplar as coisas – todas as coisas: materiais, psicológicas e espirituais – com maior riqueza de detalhes. Visitamos as mesmas paisagens, já nossas conhecidas, e nos surpreendemos com coisas que ainda não tínhamos notado, outros contornos.

No outono a escala de viver, mais introspectiva, se torna diferente da anterior. Rodeados por energias próprias dessa estação do ano, podemos aproveitar para resolver uma série de questões que misticamente só podem ser abertas e acertadas nesses dias.

Este período, menos agitado e congestionado, é o momento indicado para o autoconhecimento, exploração interior, diálogo com nossa subjetividade, reequilíbrio correto das polarizações espirituais e valorização dos processos de crescimento e libertação pessoal.

Deixando para trás a pulsação juvenil do verão, dirigindo-se para o resguardo do inverno, o momento é de transição, feito sobre medida para encontrar serenidade, prazer e felicidade mesmo diante dos inúmeros problemas e obstáculos que se colocam como nossos adversários.

Quando chega o outono, inspirada pela imensa harmonia de um céu cristalino, lembro-me de uma profunda lição de sabedoria: é pessoal e intransferível a responsabilidade de cada um de nós em buscarmos o melhor regime, a melhor experiência, a melhor forma de vida.

Que bom que retornou essa oportunidade de encontro íntimo, que convida nossa espiritualidade a afastar a ignorância e o sofrimento, desmascarar as aparências, buscar conforto, mostrar que estamos destinados ao bem e à felicidade”.

Assim, vamos outonear, aproveitando a oportunidade que a estação mais espiritualizada do planeta nos proporciona.

(*) Heitor Freire – Corretor de imóveis e advogado.

Sistema carcerário brasileiro clama por ajuda
O ano começou com uma bomba relógio, que já ‘tic-tateava’ há muitos anos, explodindo. As rebeliões em presídios de todo o Brasil deixaram mais de 120...
Mais um ano difícil
A economia brasileira inicia 2017 com a combinação de otimismo moderado e preocupação. A perspectiva levemente otimista se fundamenta na expectativa ...
A atuação das empresas na era do talentismo
No atual cenário em que vivemos, com crise financeira em diversos países, catástrofes ambientais e diferenças sociais, engana-se quem acredita que es...
Criptografia: de arma de guerra a pilar da sociedade moderna
A estratégia permitiu que vitórias impossíveis pudessem acontecer ao longo da história. São vários os casos de pequenos exércitos vencerem batalhas c...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions