A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

19/06/2014 16:00

Os 97 anos do Dr. Wilson Barbosa Martins

Por José Tibiriçá Martins Ferreira (*)

Dia 21 de junho desse ano, quando se inicia a estação do inverno, é o aniversário do nosso ilustre conterrâneo, doutor Wilson Barbosa Martins, o homem de Vacaria, atualmente chamado de Rio Brilhante que completa 97 anos. Nasceu na Fazenda São Pedro, na época Município de Campo Grande, é advogado, escritor, imortal da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL).

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

Com mais de nove décadas de vida tem muitas histórias para contar. Foi o primeiro governador de Mato Grosso do Sul, eleito pelo voto direto e passou a ocupar na ASL a cadeira que foi de sua esposa, a escritora Nelly Martins.
Iniciou a carreira política pela UDN, eleito deputado federal pelo Estado de Mato Grosso, reeleito em 1966, foi cassado com base no Ato Institucional número 5 em 7 de fevereiro de 1969. Foi presidente da OAB, Ordem dos Advogados do Brasil, secção Mato Grosso do Sul. Quando do advento do bipartidarismo no país, aderiu ao MDB, que ajudou a fundar em nosso Estado, retornando à política elegeu-se Governador de Mato Grosso do Sul em 1982.

Antes do fim de seu mandato, desincompatibilizou-se para disputar em 1986 a uma vaga ao Senado da República, tendo sido eleito. Na ocasião, esteve na nossa residência no Distrito da Picadinha, acompanhado do ex- deputado Anis Faker, nosso companheiro hoje do PSD numa vista a meu pai Abílio Ferreira, cartorário, em companhia do também candidato ao Senado, Rachid Saldanha Derzi, primeiro médico do meu irmão Francisco Paraguassu Martins Ferreira, falecido em 18/03/2011, nascido em Ponta Porá-MS.

A família Derzi é muito grande e sempre foram amigos da família de minha mãe e na juventude participaram de muitas festas juntos na fronteira, região de Porteira Ortiz.

Minha mãe, faleceu com mais de 95 anos comentou naquele dia ao doutor Wilson que seu sogro, Vespasiano Martins, era o médico da sua avó Carlota Almirón Lopes Gomes, paraguaia de nascimento. Ele sempre ia atendê-la na Fazenda da Resignação, hoje Colônia Militar dos Dourados, Município de Antonio João, propriedade herdada do seu esposo Major João Luiz Gomes que foi o último diretor da Colônia, falecido em 1901. Em 1994 novamente doutor Wilson disputou o Governo do Estado e se elegeu no primeiro turno.

Doutor Wilson Barbosa Martins representa um pouco da história viva do nosso Estado, nasceu em 21 de Junho de 1917 em Vacaria, região que pertenceu a Campo Grande e hoje faz parte do Município de Rio Brilhante, antes de ser denominado também de Entre Rios e Cayuás, em homenagem aos índios que ali habitavam. O Município de Rio Brilhante foi criado por força da Lei Estadual Nº 136, de 30 de setembro de 1948.

Num ato de grandeza o ex-governador Wilson Barbosa Martins, se antecipou à decisão da Justiça e entregou pessoalmente ao governador Andrea Puccinelli uma carta em que renunciou a aposentadoria vitalícia de cerca R$ 24 mil, valor equivalente ao salário atual do governador. Ele expôs que diante da decisão judicial ter sido julgada ilegal, como homem público abria mão da pensão e que os demais fizessem o mesmo. Não sabemos se o ex-governador Marcelo Soares Miranda e Pedro Pedrossian fizeram o mesmo. Amélia França Santana Costa, esposa do primeiro governador de Mato Grosso do Sul, Harry Amorim Costa, também recebeu o benefício, que foi extinto em outubro de 2004, com a morte dela.

O doutor Wilson resolveu abrir mão da pensão diante da decisão da Ordem dos Advogados do Brasil, da qual foi presidente em Mato Grosso do Sul, que encampou uma ação contra o pagamento de todas as aposentadorias de ex-governadores, anteriores ou não à atual constituição.

Em 2007 o Supremo Tribunal Federal, a partir de iniciativa da OAB/MS, cassou a aposentadoria do ex-governador Zeca do PT. Os ministros do Supremo acataram os argumentos da Ordem dos Advogados, com base no parecer do advogado André Borges de que o benefício concedido a Zeca era inconstitucional “devido a inexistência de amparo legal, ausência de simetria com a Constituição Federal e de violação aos princípios administrativos”. As atuais aposentadorias podem ser até legais com base numa previsão da Constituição de 1969 do governo militar, mas imorais, afinal nenhum deles contribuiu com nenhum centavo para a previdência.

Este é o doutor Wilson Barbosa Martins, exemplo de homem público e que deveria ser um exemplo para os demais, cujo nome Martins vem do latim, significa: Guerreiro, combativo, corajoso.

Parabéns pelo seu aniversário!

Dourados-MS, 18 de junho de 2014.

(*) José Tibiriçá Martins Ferreira, advogado, produtor rural no Distrito de Picadinha e Secretário Geral do PSD em Dourados

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions