A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

25/07/2013 15:38

Os jovens e os idosos

Benedicto Ismael Camargo Dutra (*)

Os jovens também têm de se comprometer em mudar a realidade que os cerca. Mas isso começa no próprio indivíduo, mudando a maneira de enxergar a vida e o sentido maior dela, ajustando-se à essência humana. Por que e para que estamos aqui? Temos de saber aonde deveríamos chegar como seres humanos.Temos a liberdade de decidir, mas há os efeitos das decisões anteriores se interpondo, travando. Temos de despertar a força do espírito humano para resistir com coragem e alcançar a evolução integral sob a Luz da Verdade.

Veja Mais
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo

Quem quer aprender deve ter humildade. A receita para realizações eficientes foi dada por Lao-Tse, no livro Tao Te Ching (O livro do caminho e da virtude), um clássico da literatura chinesa: “O sábio não empreende grandes coisas e nisso está sua grandeza. Quem promete facilmente merece pouca confiança. A quem acha tudo fácil, tudo será difícil. Por isso, o sábio em tudo considera a dificuldade, e em nada a encontra”.

É necessário examinar atentamente o que vamos dizer antes de emitir opinião a respeito de qualquer assunto, principalmente se isso representa um julgamento sobre atitudes de outros. Com toda a simplicidade, Cora Coralina (poetisa goiana que viveu até seus 95 anos), enunciava leis básicas da vida, que são a simplicidade, a importância do movimento certo, o uso correto dos pensamentos e palavras.

Disse a poetisa: “Eu não tenho medo dos anos e não penso em velhice. E digo pra você: não pense. Nunca diga estou envelhecendo ou estou ficando velha. Eu não digo. Nada de palavra negativa. Quanto mais você diz estar ficando cansada e esquecida, mais esquecida fica. Você vai se convencendo daquilo e convence os outros. Então silêncio! O importante é semear, produzir milhões de sorrisos de solidariedade e amizade. Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça. Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço com fé. Faço o que devo fazer, com amor. Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende."

Da mesma forma se expressou o Papa Francisco durante seu voo para o Rio de Janeiro a um grupo de 70 jornalistas que disputavam espaço entre as poltronas da classe econômica para vê-lo e ouvi-lo: "Os jovens, neste momento, estão em crise. Estamos acostumados a uma cultura descartável. Fazemos isso frequentemente com os idosos e, agora, com essa crise, estamos fazendo o mesmo com os jovens. Algumas vezes, fomos injustos com os mais idosos, que deixamos de lado, como se não tivessem nada para nos dar. É verdade que os jovens são o futuro de um povo porque têm energia, mas não são o único futuro. Os jovens são o futuro porque são jovens e, os idosos, porque têm a sabedoria da vida".

Acrescentaria a esse discurso que a juventude sempre atuou como a grande força renovadora, mas não pode se deixar envolver pela indolência. Precisa movimentar-se permanentemente. Não deve ficar pensando que não tem nada para aprender com os mais idosos porque estes, durante séculos, cultivaram muitas mentiras, forjando um viver distante da naturalidade da Criação e da real finalidade da vida.

A mudança deve começar pelo eu interior de cada indivíduo, com o desejo sincero de melhorar as condições de vida e embelezar o mundo desfigurado por atitudes e pensamentos negativos de cobiça, ódio e descontentamento. Para que a civilização possa ser beneficiada pela atuação efetivamente humana, a educação deve instruir e inspirar as novas gerações para feitos que enobreçam e dignifiquem a espécie humana, longe das mentiras, propondo alvos nobres e elevados de forma a aproveitar todo o vigor renovador dos jovens e a experiência dos mais idosos.

(*) Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, e associado ao Rotary Club São Paulo. Realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros “ Conversando com o homem sábio”, “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”, “O segredo de Darwin”, e “2012...e depois?”. E-mail: bicdutra@library.com.br

Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...
Educação e o futuro da alimentação
Educação deve colaborar na preparação de todos para o pleno exercício da cidadania e, especialmente, formar os jovens para uma vida profissional que ...
Convenções internacionais e competitividade
O Brasil precisa atuar com mais critério na hora de analisar e ratificar convenções multilaterais, especialmente as negociadas no âmbito de entidades...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions