A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

24/01/2012 11:30

Os sindicalistas dificultam a vida dos trabalhadores

Por Júlio César Cardoso*

A revista Veja desta semana traz excelente matéria abordando “o engessamento dos empregos”.Um artigo acrescentado à CLT, no fim do ano passado, afirma que a utilização de celular e de e-mail para tratar de assuntos do emprego caracteriza relação de trabalho mesmo fora do ambiente da empresa. Tal artigo abre uma brecha para ainterpretação de que o uso de celular ou e-mail, mesmo que de forma pontual, configura jornada suplementar, o que pode acarretar custos enormes de horas extras – escreveu Veja.

Veja Mais
Chacina e colapso nas prisões brasileiras
Em busca da competitividade sustentável para o agronegócio

A matéria chama atenção para o grau de incompetência de nosso Congresso Nacional, eivado de ex-sindicalistas em desempenho de mandatos, com ideias retrogradas diante do desenvolvimento tecnológico do trabalho. Os pelegos (ex) sindicalistas comportam-se como se estivessem na época de Getúlio Vargas, em que o patrão, considerado rico, queria explorar o trabalhador. Esquecem-se de que estamos em pleno século 21, em que as relações trabalhistas deveriam ser as mais amplas e flexíveis para que o mercado de trabalho não fosse um obstáculo, mas o caminho natural do desenvolvimento do país onde patrão e trabalhador pudessem ajustar os seus interesses.

Como muito bem escreveu a revista Veja: “Sob pretexto de proteger os funcionários, nova lei ameaça criar entraves à saudável expansão do trabalho feito em casa. Hoje, os funcionários de uma empresa moderna precisam estar conectados – com seus chefes, colegas e clientes. Essa tecnologia, além da interconexão, permite que um número crescente de pessoas trabalhe, ao menos em parte de seu expediente fora do escritório. Estima-se que 11 milhões de brasileiros sejam adeptos do “teletrabalho”, como é conhecida a prática de trabalhar em casa.Mas que uma comodidade para os funcionários, essa prática está associada, em diversos países, ao aumento da produtividade. Os empregados deixam de perder horas preciosas e desgastantes no trânsito e podem ficar mais perto de seus familiares.”

Mas os inflexíveis e incompetentes legisladores (ex) sindicalistas, de visões obtusas, não têm inteligência necessária para enxergar os avanços das relações trabalhistas em nosso tempo, e continuam dificultando a vida dos trabalhadores. E assim, em plena era do desenvolvimento tecnológico, o uso de celular e e-mail, em casa, para tratar do trabalho, poderá ser considerado como hora extra.

Senhores parlamentares (ex) sindicalistas, segundo o Fórum Econômico Mundial, entre 142 nações avaliadas, o Brasil fica na posição de número 121 no que diz respeito à flexibilidade das leis trabalhistas. Enquanto isso, três em cada dez trabalhadores seguem na informalidade – informa Veja.

Lamentavelmente, o país é inviabilizado pela gestão de um Parlamento inflado, incompetente e caro, onde os parlamentares (ex) sindicalistas desfrutam o cabide de emprego político e dificultam a vida dos trabalhadores brasileiros.

(*) Júlio César Cardoso é bacharel em Direito e servidor federal aposentado

Chacina e colapso nas prisões brasileiras
Nestes poucos dias do Ano da graça de 2017, o Brasil e o Mundo viram estarrecidos o massacre brutal de cerca de pelo menos 134 detentos, dentro das p...
Em busca da competitividade sustentável para o agronegócio
O papel da sanidade animal e vegetal Há décadas as questões sanitárias de plantas e animais integram a lista das preocupações do agronegócio brasilei...
Elementos da teoria da decisão
A propósito do fim do ano de 2016 (terrível na política e na economia) e com o ano de 2017 (com esperanças de que as coisas melhorem), participei de ...
O diálogo inter-religioso
Desde a declaração Nostra Aetate, do Concílio Vaticano II, a Igreja busca manter o diálogo inter-religioso. Aí surge a pergunta: Por que o diálogo co...



Sr. Julio César o senhor só é aposentado no serviço público federal com regras extremamentes mais vantajosas que a dos trabalhadores da iniciativa privada e remuneração bem melhor que a dos demais mortais,graças ao sindicalismo que o senhor culpa injustamente.
O problema do país é muito mais compleo que sua singela constatação.
 
ronaldo franco em 24/01/2012 12:43:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions