A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

14/10/2013 15:39

Palmas ao professor

Por Luiz Gonzaga Bertelli (*)

Em 15 de outubro, Dia do Professor, o CIEE promove a entrega do Prêmio Professor Emérito 2013 – Troféu Guerreiro da Educação – Ruy Mesquita, no Teatro CIEE, em São Paulo. O homenageado na 16.ª edição do prêmio é o médico William Saad Hossne, atual coordenador do curso de pós-graduação em Bioética do Centro Universitário São Camilo e Professor Emérito da Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu, pertencente a Unesp.

Veja Mais
Tédio é a falta de projeto
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?

Saad é uma figura importantíssima no meio acadêmico das ciências médicas e representa muito bem a ideologia do prêmio, que é consagrar personalidades que dedicaram uma vida à educação e que, de certa forma, trouxeram uma grande contribuição para a especialidade em que atua.

Por coincidência, Saad também conviveu com algumas das ilustres figuras que pertencem à galeria do prêmio, alguns dos quais já partiram, deixando-nos um valioso legado como o geneticista Crodowaldo Pavan e o biólogo Paulo Vanzolini. Com este último, uma amizade que perdurou por 60 anos.

Formado em 1951 pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), destacou-se como cirurgião gastroenterologista. Três anos depois de formado, já começou a ministrar aulas na universidade com muito sucesso e não parou mais. Em 1962, fundou, com alguns colegas, a Faculdade de Ciências Biológicas de Botucatu. Também foi reitor da Universidade Federal de São Carlos, de 1979 a 1983; e participou da criação da Fapesp, tornando-se seu segundo diretor-científico, entre 1964 e 1967, função que voltou a desempenhar entre 1975 e 1979.

Como um dos pioneiros da pesquisa experimental no país, o professor Saad formou muitos médicos e profissionais, até mesmo de outras especialidades, nos cursos ministrados de pós-graduação. Em 1987, com a autora Sônia Vieira, publicou um livro (Experimentação com seres humanos) em que mostrava os excessos da experimentação científica com seres humanos. A obra foi um marco histórico para a criação da Sociedade Brasileira de Bioética e para o aprofundamento do tema no país, elevando o médico ao reconhecimento internacional como um dos maiores especialistas mundiais no assunto. Saad é, portanto, um profissional que se dedicou de corpo e alma à vida acadêmica e ao ato de ensinar a seus mais de 10 mil alunos, durante essa longa trajetória de preocupação com o ser humano.

(*) Luiz Gonzaga Bertelli é presidente Executivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp.

Tédio é a falta de projeto
Recentemente, deparei-me com duas situações. Na primeira, eu almoçava com dois amigos, ambos na faixa dos 55 anos de idade, funcionários públicos bem...
Dólar alto: bom ou ruim para o agronegócio?
Claro, depende da hora e do mercado, exportação ou de mercado interno. Agora, falando da soja, o principal produto da pauta brasileira de exportações...
Marcas lutam diariamente para impactar as pessoas
Segundo pesquisas, temos contato com aproximadamente 2.000 marcas em um dia “comum” e menos de 300 delas ficam em nossa memória. Por isso, essas marc...
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions