A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017

11/07/2011 08:13

Política: descrença generalizada

Por Nelson Valente (*)

Depois das denúncias de corrupção é um erro levantar a bandeira da ética e da moralidade. A impressão que fica é de uma quadrilha desorganizada e atrapalhada.

Nos dias de hoje, há uma descrença generalizada. Os escândalos no Congresso, as falcatruas no governo, a falta de lisura em alguns membros do Judiciário, tudo isso faz crer que a ética está em pane, promovendo a prevalência da tristemente famosa “Lei de Gerson” (a vida é dos espertos).

A presidenta Dilma e seu projeto de governo,estão presos a ásperas condições sociais e seus sonhos e de pouca relação com a realidade brasileira.

A presidenta está em boa companhia, com relação a esse equívoco, pois os demais planos de governo (pelo menos os conhecidos) também parecem feitos para um país que não é o nosso. Certamente fiel ao axioma: “Palavras loucas, ouvidos moucos”.

Não adianta o PT se refazer. É preciso encontrar a “síndrome” causadora de atos de corrupção e de outras mazelas individualizadas, que não adianta tratar isoladamente. Não é tarefa para uma só pessoa, mas para a sociedade e especialmente a comunidade científica. Estamos perdendo uma imensa chance de colaborar com o Brasil e com o mundo.

É do tipo “não aprendi nada”, que diz à população: vocês tinham razão de esperar muito do PT porque nós somos a reserva moral da Nação. Houve um “probleminha” entre nós, mas continuamos sendo a reserva moral da Nação. Essa “cegueira pessoal” pode ser solução imediata para o partido, mas a médio e longo prazo não funciona.

Não descarta a possibilidade de o grupo de petista que assumiu a condução do partido nos últimos anos tenha chegado ao poder já com más intenções (mas exclui dessa turma o ex-presidente da República), não sendo apenas resultado da corrupção do poder.

O Brasil encontra-se frente a um desafio maior do que fazer uma faxina moral como propunha Tarso Genro e de novo um gaúcho se apresentava como bastião da moralidade. Antes era um ex-guerrilheiro e até mesmo o ex-presidente da República, que construiu recentemente uma frase questionável lógica.

Lula havia dito, e sempre repete, que é filho de analfabetos, sofreu muito na infância, percorreu uma trajetória socialmente baixa até alcançar a Presidência da República, “logo” não há no Brasil pessoa mais ética do que ele. Esse “logo” não liga nada a nada, a frase de Lula foi de “uma infelicidade absoluta”.

Todos os homens supõem possuí-lo no mais alto grau e da melhor qualidade. Não faço exceção à regra. Devo reconhecer, entretanto, que um cigarro mofado me infelicita.

Se exprimo, persuasivamente, em tons de sinceridade, as ideias nas quais acredito e que almejo transmitir aos outros, aceito e agradeço que me inclua entre os bons escritores. Interessa-me a classe dos escritores, pelas mesmas razões que me vinculam aos intelectuais e até aos jornalistas.

Aqui, não participo do pessimismo, nem leio pela gramática latina. Acredito na juventude, particularmente na brasileira. Descresse dela, a minha atividade restaria sem sentido, objetivo, inane e estulta. Convido-o a não impor lemas ao futuro na expectativa de que ele se revele generoso, à hora de compor os nossos epitáfios.

Nesse sentido, a queda de um partido que se comportou o tempo todo como um termômetro moral, uma bússola moral, foi atacado exatamente nesse ponto e se transformou em biruta ao sabor das negociatas, coloca o País frente a duas possibilidades: quando o ex-ministro da Justiça, atual governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro assumiu interinamente a presidência do partido e seu primeiro discurso é sobre a faxina moral, é evidente que a sociedade espera que os corruptos, enganadores, manipuladores, que são muitos, sejam apenados conforme a lei; no entanto, ideologizar isso e novamente propor à Nação um projeto de pureza moral, é novamente criar ilusão.

Uns afirmam que o Brasil, apesar de tudo, está progredindo. E eu direi que não é o país que está progredindo, mas alguns cavalheiros que estão prosperando à custa do Brasil.

- “O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.” ( Martin Luther King)

Cuidado com as ditaduras do neoliberalismo!

As exercidas em nome de uma classe traem-lhe as prerrogativas mais elementares. Negam-lhe a liberdade de trabalho. Destroem-lhe os sindicatos. Proíbem-lhe a luta pelo acesso legítimo. Convertem em crime o que é de direito. Cerceiam a livre expressão do pensamento. Suprimem as assembleias. Desmancham a família. Subtraem, ao convívio humano, o calor da amizade e a ternura da confiança.

Os pronomes não aguardam a ética para que se coloquem nos seus lugares. Estão sempre neles. A boêmia dos verbos é que mutilam a boa ordem das frases. Há que lhes perdoar. Não se desgrudam da ideia de movimento.

Os substantivos boêmia e boemia, que nomeiam a “vida desregrada”, “despreocupada”, “vadia”, são formas variante e podem ser empregadas indistintamente.

A boêmia levou-o à ruína.; “Boemia aqui me tens de regresso... (Adelino Moreira).

"De que importam as legendas neste país. O que significam elas. Têm conteúdo programático, ideológico ou filosófico"

Jânio da Silva Quadros, sobre os partidos, em 01/11/1981.

Até de repente !

(*) Nelson Valente é professor universitário, jornalista e escritor.

Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...
19 anos de Código de Trânsito Brasileiro
No dia 22/01/17, o atual Código de Trânsito Brasileiro completa 19 anos de vigência. Após 31 Leis que o alteraram, com o complemento de 655 Resoluçõe...
Previdência Social: verdades e mentira
Com a reforma da Previdência, e já que acabaram com o Ministério da Previdência, vários ministros dispararam versões sobre o tema, mas como não sabem...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions