A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

01/07/2011 06:02

Quem nega o homossexual nega a si próprio

Por Edson Moraes (*)

O título deste artigo é uma frase que proferi enquanto conversava com dois amigos que queriam saber minha opinião sobre as polêmicas manifestações de rua realizadas no Brasil este mês. A primeira, no dia 18, batizada de Marcha da Maconha, liberada pelo STF para ser um ato pelas liberdades e contra todo tipo de discriminação. A segunda no dia 26, a 18ª Parada Gay, em São Paulo, uma das maiores do gênero no planeta.

A curiosidade dos meus dois amigos sobre minha opinião repousa num detalhe: o de eu ser evangélico, membro de ministério pentecostal, convertido do catolicismo faz pouco mais de três anos. A resposta que dei aos dois curiosos é a mesma que todo dia me reacende na consciência, no coração e na alma a determinação de buscar o máximo de comprometimento com o Deus em quem acredito. O Deus único, que não é só meu, é o criador de todas as criaturas e quem nos ensinou a amá-lo sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Quando respondi ser favorável às duas manifestações, meus amigos pensaram me acuar contra o paredão, questionando minha fidelidade às Escrituras, nas quais está expressa a condenação ao pecado. E foram incisivos, sugerindo estranheza sobre que tipo de evangélico seria eu por apoiar a maconha e defender o homossexualismo.

Não fiquei na parede, nem me sentiria acuado. Primeiro, porque antes de ser evangélico, sou cristão. Poderia aqui equipar-me com um versículo bíblico, mas recorro a Santo Agostinho, um símbolo do catolicismo, para descomprimir meu argumento. É do celebrado bispo de Hipona – ou a ele atribuída – a frase "odeie o pecado, ame o pecador". Considero tão definitivo que a meu ver este pensamento pode ser o liame entre todas as vertentes do cristianismo, desde que algumas, evidentemente, se proponham a permeabilizar sua couraça fundamentalista.

Sim, disse a meus dois amigos: não só eu, mas todos os democratas e todos os cristãos deveriam dar apoio às manifestações de homossexuais e dos que postulam a descriminalização da maconha. O democrata segue o livro da Constituição e esta dá amparo à perfeita forma jurídica do instituto conceitual de que a lei é igual para todos, sempre, não casuisticamente. O cristão acompanha a sentença de Deus que está em relevo em todos os livros da Bíblia, tanto a traduzida para os católicos quanto a traduzida para os evangélicos: amai o próximo como a ti mesmo.

Ora, o que chamamos de democracia é o núcleo de um dom que veio por obra de Deus no início dos tempos e serviu de dote mais precioso ao Homem: a liberdade. Nela, o indivíduo pode conhecer e reconhecer o que quer de sua vida. Está contemplado pelo livre arbítrio, concedido por Deus. E humano algum revoga essa lei. Compete ao Homem, se cristão, denunciar o pecado e lutar contra ele, mas sem contribuir com a sanha de uma sociedade hipócrita que tenta submeter homossexuais, negros, índios, imigrantes, mulheres e deficientes à chibata do preconceito, do estigma, da intolerância.

Entendo, assim, que está consagrado nas Escrituras e nos estatutos jurídicos e constitucionais dos povos livres o direito de todas as pessoas de dizer o que querem e o que pensam. Se querem ser racistas, que assumam esse querer. O querer é sentimento espontâneo e precisa ser respeitado. Mas entre ser racista e praticar a discriminação há diferenças, há limites por lei estabelecidos. Nada impede o dono de uma empresa de não gostar de negros. Ele é livre para pensar assim e essa liberdade, por mais que incomode, deve ser respeitada, mas nunca utilizada para, por exemplo, proibir ou dificultar o acesso de negros à empresa. É crime, previsto em lei.

A vontade e o direito da pessoa de unir-se a outra do mesmo sexo é decisão de foro individual e tem resguardo da lei em diversos países. Só há proibições jurídicas em países ou comunidades cujos governos guiam-se por preceitos religiosos. E cada religião tem procedimentos específicos para tratar da homoafetividade. Todas, porém, deveriam curvar-se aos direitos civis e entender que isto não é sacrilégio, nem violação do compromisso com Deus. É o contrário. Além disso, vigora para cada vivente o instituto divino do livre arbítrio. E é o mesmo critério de escolha que garante a livre expressão de pessoas que acreditam nos benefícios da descriminalização da maconha ou no uso dela. Antes que se armem as aljavas com o inquirir sobre a apologia às drogas, prefiro entronizar a apologia à livre manifestação e à livre escolha como direitos inalienáveis de cada um e cada uma.

Assim como aqueles que desfraldam a bandeira da descriminalização da maconha, os homossexuais, negros, índios, mulheres, brancos, amarelos, imigrantes, todos são seres humanos, vivem do mesmo oxigênio, são regidos pelas mesmas leis, têm iguais deveres e direitos, mas não gozam das mesmas oportunidades. É o direito deles à manifestação do que pensam, do que defendem e do que vivem que eu defendo, sem que isso signifique defender o que pensam, defendem e vivem todos.

Na Parada Gay, havia pessoas simplesmente gritando para defender o direito de ser o que querem. E havia pessoas urinando nas calçadas, usando drogas, ingerindo bebida alcoólica. Nem por causa disso aquelas devem ser confundidas com estas. A sociedade das pessoas livres é a sociedade da coexistência pacífica, sem máscaras, limitada pela ordem jurídica. Contudo, a hipocrisia e o falso moralismo causam mais danos aos valores cristãos e éticos de uma sociedade cada vez mais deteriorada pela volúpia consumista do TER.

(*) Edson Moraes é jornalista.

Morre no trânsito o equivalente a 2 aviões da Lamia lotados por dia
Por dia, no Brasil, morrem em acidentes de trânsito o equivalente a ocupantes de dois aviões da Lamia, que transportava o time inteiro da Chapecoense...
Um galo para Asclepius
Sócrates, o filósofo ateniense, cujos preceitos influenciaram o pensamento ocidental de forma muito marcante e definitiva, tinha uma característica: ...
Tiro no pé ou tiro na mão?
Embora a economia do País tenha dado tímidos sinais de recuperação nos últimos tempos, a verdade é que ainda precisamos avançar mais e com velocidade...
Avaliação escolar: o peso de uma nota na vida do aluno
"Poderão esquecer o que você disse, mas jamais irão esquecer como os fez sentir." (Carl W. Buechner) Hoje, quero compartilhar uma grande decepção que...



Excelente artigo.
Infelizmente não posso dizer o mesmo de alguns comentários!
 
Marcondes Vieira de Oliveira em 01/07/2011 12:02:07
Só mais um arremate, me perdoem os amigos, mas nossa luta e defesa, não é contra os homossexuais, lesbicas e etc, hoje são tantas designações, será que eles se entendem?.
Bom, nossa defesa é que podemos ter que se sujeitar a ter pessoas no nosso meio (CRISTÃO), que não tem os prequesitos, ou se encaixe nos nossos estatutos, esses enraizados na palavra de DEUS.
Não nos importa o que eles são, ou fazem, de maneira nenhuma, desde que possamos ter a escolha de quem frequenta nosso meio. Longe de forçar alguem a ser CRISTÃO, temos o tal livre arbitrio, dado por DEUS, respeito dado por DEUS. ""A QUESTÃO É A FORÇAÇÃO DE BARRA PRA ACEITAÇÃO DESSE MODO DE VIDA"". É isso amigos.
 
roberto dos reis em 01/07/2011 11:43:59
Todos os comentários de religiosos sobre esse artigo é notado um certo tom de ira de indignação. Tenho a certeza que ao mesmo tempo que a Bíblia condena o homosexualismo ela diz que devemos amar ao próximos como a ti mesmo. Hoje os evangélicos estam condenando tanto os homosexuais, que realmente passa essa visão que se eles pudessem apedrejariam eles em praça pública junto com o Dep. Jair Bolssonaro que é outro que não faz seu papel de lutar pelo interesse comum do povo. Por falar em não fazer o seu papel, os evangélicos deveriam "abraçar" os homosexuais (quando falo "abraçar" quero dizer acolher e não concordar) e não agir como agem, repudiando e afastando cada vez mais esse público até de suas próprias igrejas.
Se DEUS deu uma vida para cada um por que se preocupar tanto com o que o outro faz ou deixa de fazer? Por que os evangélicos estam tão preocupados se os homosexuais podem casar ou não?
O que diz a Bíblia sobre julgar? E sobre quem é o "acusador"?
Quando eu não gosto de algo ou não concordo eu não me interesso por nenhum assunto referente a esse algo.

 
Eduardo Pistório em 01/07/2011 11:10:17
Caro Edson, você se diz um cristão, mas o que se depreende do seu "artigo" é que você escolheu a porta larga, o caminho espaçoso.... (você entende o que estou falando!!!), e sabe muito bem para onde ele leva. Meu conselho é só um, não perca seu tempo alisando banco de igreja, companheiro, pois conhecemos a árvore pelos seus frutos, e aqui não quero nem classificar em que categoria se encaixa esse seu "artigo".
 
Renato Moura em 01/07/2011 10:49:55
Quanta ignorância e quanta intolerância presentes em alguns dos comentários. É curioso notar como a maioria das pessoas que se dizem religiosas acham que todos devem agir como elas, sentem-se modelos de virtude. Como seria bom viver em um mundo em que os religiosos pudessem receber em suas celebrações irmãos de toda e qualquer fé e até ateus, sem se preocupar se são brancos, negros, índios, amarelos, ou qual sua preferência sexual ou política. Infelizmente isso ainda não é possível no atual estágio da humanidade, pela intolerância, fruto da ignorância, que leva as pessoas a acharem que o diferente é errado e deve ser combatido. A maioria das guerras que assolaram a humanidade tiveram sua origem na não aceitação do diferente e ainda hoje podemos ver evangélicos condenando as imagens dos santos católicos, católicos tentando desacreditar espíritas, muçulmanos contra judeus e vice-versa. Em resumo, muitos dos assuntos que hoje são preocupação das religiões na realidade são de foro íntimo e portanto não deveriam ser objeto da condenação religiosa, portanto acho que o autor do texto polêmico traz um pouco de luz às mentes primitivas.
 
Carlos Regio em 01/07/2011 10:35:24
Edson, gostei muito do seu artigo. Gostei da sua forma educada de expressar sua opinião. Educação está em falta ultimamente. Dessa mesma forma aproveito a oportunidade de também me expressar. Com relação ao título do seu artigo, ele "Quem nega o homossesual, nega a si próprio", me lembrou uma fala de Jesus. O mestre dizia: "Quem quizer vir após mim, dia-a-dia, NEGUE-SE A SI MESMO, tome sua cruz e siga-me". Isso está também nas Escrituras. Não é fácil se negar ao sexo livre, como também é difícil abster-se de vícios, álcool, fumo, mentira, roubo, cobiça, inveja. Essa negação diária pode ser da nossa opinião, dos desejos, e até mesmo para decidirmos fazer o 'bem', já que precisamos ser regenerados antes de negar o egoísmo pessoal. Por isso sei que você entende que ser cristão é seguir a Jesus, do jeito que Ele quer ser seguido, e não do jeito que EU quero viver. Afinal de contas, não é fácil ser honesto, ser trabalhador, ser fiel na vida conjugal, ser sincero. E ser cristão só é possível com a ajuda do próprio Cristo que nos livra do pecado. Que a iluminação do Espírito da Verdade nos conduza, sim, a um mundo sem preconceitos e sem discriminações. Mas também espero ver que a Igreja de Cristo, evangélicos ou não, estejam decididos a viver a integralidade do Evangelho, e não apenas a parte do amor que 'justifica' toda forma de vida. Deus é amor, sim, e é justo, e é soberado. E por isso podemos expressar nossas idéias com liberdade, e podemos agir com arbítrio livre. Mas a minha liberdade não muda o conceito de certo e errado. Eu posso até matar alguém se eu quizer, mas possivelmente irei para o cárcere, pela lei brasileira. Aquilo que eu praticar de erro, cedo ou tarde, terei que aprender, e assim estarei realmente vivendo o AMOR de Jesus, em cada aprendizado. Um grande abraço pra vc, e sucesso na sua caminhada com Deus.
 
Bruno Abrahão em 01/07/2011 10:33:38
Amigo Deus é tão maravilhoso que o sol brilha para todos , Deus não faz acepção de pessoas e para ele não existe meio termo, temos mesmo o livre arbítrio e nossas atitudes é feito pelas nossas escolha, se você tem conhecimento dos ensimamentos de Deus e da sua palavra então não precisa se defender de nada, porque Deus não trabalha na vida do ser humano por meio de engano , a bilbia diz que JESUS É O UNICO E SUFICENTE SALVADOR.
 
ivanete camargo em 01/07/2011 10:24:33
Srs. hoje o maior problema com o mundo é exatamente esse, achar que por causa da chamada DEMOCRACIA, todos podem tudo. E o que é pior, os que se intitulam EVANGÉLICOS, estão caindo nessa. Por favor, a BÍBLIA que é verdadeiramente o mandado de DEUS pra nós, nos diz em tom de puro rigor que odiemos o pegado, afastemos do pegado, que repudiemos o pegado. Quanto a amar o pegador, sim amemos o pegador, desde que se arrependa de seus pecados, e que diante de DEUS peça perdão, pra dai sim ter uma vida dígna ao lado de quem tem comunhão com DEUS.
Negros. Índios, Imigrantes, Deficientes, JAMAIS podem ser igualados, comparados, com homossexuais, prostitutas, viciados, por que atráz desses 1º, estão essa classe, que denigrem até mesmo os (sérios), GAYS, que a muito estão em nosso meio, tem gays sérios, mas agora essas outras definições, que estão se escondendo atráz de pessoas sérias, querem a todo custo, por meio de textos tirados de um contexto, muito amplo, se infiltrar em nossas famílias, em instituições sérias.
E não ponham palavras na boca de DEUS, por que ele é duríssimo sim quanto a pecadores, escarnecedores, assassinos, mal dizentes, beberrões, adoradores, carnais, em fim. Deixemos de ser políticos e vamos tomar posição sim, agora se intitular EVANGÉLICO , e tomar atitudes de um fariseu, por que é mais fácil?..
DEUS é misericordioso sim, mas com os ARREPENDIDOS.
 
roberto dos reis em 01/07/2011 09:45:12
Bom dia!

Num comentário a outro artigo sobre o assunto, disse que daqui a pouco seriamos obrigados a ser homossexuais ! Não vejo ninguém negar o homossexual, mesmo porque ele é um cidadão que deve cumprir a lei e ser resguardado por ela. O que acontece na verdade é o inverso; estão querendo NEGAR A NATUREZA para criar relacionamentos anti natural. Portanto não tem a ver com religião - o não aceitar como casal e família- o que não é. Não é preconceito ! É realidade! A homossexualidade não é um mal em si só, mas se torna um mal quando quer que se torne algo "natural", que não será jamais, pois quem afirma isso é a natureza- e contra fatos não há argumento.
Não acredito que quem quer ser reconhecido, respeitado use métodos totalmente opostos aos que reinvidica. Levar imagens representando santos da Igreja, não é respeitoso e muito menos educado- é sim provocação! Mas por que provocar , enxovalhar algo que para a maioria é intocavel - as coisas Santas.
Essa parada do "orgulho" gay (orgulho de que?), na verdade é um movimento que quer impor sua opção de vida a todos. Quem for contrário, mesmo com respeito a eles, são considerados hipócritas, fariseus etc... etc...
Nunca vi a Igreja atacar a nenhum homossexual. O oposto não é verdadeiro!
A Consciência acusa, mostra que o caminho não é certo, dai então acusam tudo e todos de preconceito, mas na verdade a natureza ja grita; isso não é possível!!!!!!!!!!
Quanto ao escritor do artigo, creio que ele não se converte a nada a não ser a ele mesmo e suas idéias, pois quando alguém se converte, não importa suas idéias, mas sim as daquele a quem se converteu.
Ninguém nega o homossexual, ele nega-se a si mesmo nas opções que faz!
Vá e não peques mais disse Jesus! Nunca disse viva na sua escolha errada e convença a todos de que isso é certo.
Convertei-vos e crede no Evangelho!
Não quer saber de religião?
Convertei-vos e obedecei as leis naturais e não satisfaçais apenas seus apetites!
 
Ana Cristina Fernandez em 01/07/2011 09:28:02
Concordo plenamente com a frase: "livre manifestação e livre escolha como direitos inalienáveis de cada um e cada uma".
Livre arbitrio, use-o e deixe que os outros façam o mesmo....
 
Keila Godoy em 01/07/2011 08:58:12
Texto bonito, muito bem escrito e argumentado. Porém, sou de opinião que você deveria fazer uma escolha em sua vida, coisa que ainda não fez. Como não sou religiosa, não sei em que livro está escrito, mas sei que em algum lugar na bíblia diz que não se pode servir a dois senhores. Se a religião que você escolheu para ser sua profissão de fé condena o homossexualismo como prática abominável aos olhos de deus, ao tê-la escolhido, você deve submeter-se a seus dogmas e suas doutrinas. Pelo que se apreende do seu texto, você quer as benesses da vida religiosa, sem abrir mão das práticas que ela condena. Isso não é livre arbítrio, caríssimo, isso é canalhice em mais alto grau.
 
marly siqueira caramalack em 01/07/2011 08:57:52
eu acho que cada um faz o que bem entender do seu corpo,se um homenn quer beijar outro homen problema e dele,se uma mulher quer beijar outra mulher problema e dela o erro dos tais esta em querer que todos achem que isso e correto.se eles tem o direito fazerem o que quer dos seus corpos, eles tambem tem que aceitaren as opiniões contrarias des de que essas sejam sem violencia fisica ou verbal ou moral. achei estranho ser catolico e evangelico ao mesmo tempo nunca tinha visto isso antes.
 
nilton da costa benites em 01/07/2011 08:56:23
Parabéns pelo artigo.
 
Marcus Matos Fernandes em 01/07/2011 08:45:48
Se uma pessoa quer ter um relacionamento com outra do mesmo sexo , problema é dela, só não venham me obrigar a aceitar e achar isso bonito , a instituição chamada FAMÍLIA está às vésperas de extinção , uma coisa é respeitar a integridade moral de cada um, sim todos devem ser respeitados, a outra é achar que direito é algo que simplesmente achamos que temos e podemos manipular o sistema em prol de esta ou aquela classe e ponto final , o Brasil não pode se tornar uma ditadura das minorias !
 
Nilton F C Cicalise em 01/07/2011 08:44:08
Artigo bobo, não deu para aproveitar nada. Mas o cara sabe escrever !!!!
 
jose antonio em 01/07/2011 07:53:58
Belo artigo Edson, parabéns, esse texto deveria ser difundido em todos os meios de comunicação, e em todos os templos religiosos, principalmente naqueles aonde repousa a hipocrisia e a intolerância!
 
Ari Lopes da Rosa em 01/07/2011 07:41:26
Já que Vsa pessoa não inseriu referência bíblica, que é o que mais importa, aqui vai duas:

"Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; o seu sangue será sobre eles." Levítico 20:13

"Todavia, nem o homem é sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor." 1Coríntios 11:11

Entendi seu ponto de vista sobre o livre arbitrio e concordo, mas que fique enfatizado o fim de quem pratica tal pecado, como no primeiro versículo acima.
 
Márcio Patrocinio em 01/07/2011 07:16:33
ola, como vamos dizer ótima sua colocação pena que entre envagélicos maioria acho eu quase 99% apedrejaria homossexuais, como fosse pecado, mesmo que a colocação está totalmente equívoca, pois pecado mesmo é a discriminalização, como diria Jesus Cristo atire a primeira pedra quem não possuir pecado....mesmo assim até alguns países querem adotar pena de morte, puro absurdo....
 
Sasuke Uchiha em 01/07/2011 07:15:47
Voce disse bem! Sou evangélico. Evangélicos, muitos dizem ser, agora, CRISTÃO poucos são, porque como foi citado no comentário do BRUNO ABRAHÃO , Jesus disse que prá seguilo voce iria aborrecer pai, mãe, filho, conjugue e até a si mesmo, e isto por que? Porque somos classificados como fanáticos, hipócritas, preconceituosos até mesmo por nossos familiares, e tudo porque pregamos a verdade, e quem tem ouvidos ouça e quem tem olhos veja, isto também Jesus falou.
 
Marcia Maria em 01/07/2011 01:48:11
Faço aqui meu apelo para que o site Campograndenews comece a selecionar um pouco mais os seus articulistas.
Este artigo está pobre em português e informações, prolixo e profundamente relativista.
Não vejo aqui um pingo sequer de doutrina Cristã!
 
Lucas Serrou Queiroz Botelho em 01/07/2011 01:15:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions