A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

30/09/2012 09:22

Viver com qualidade é viver mais e melhor

Por Odilon Medeiros(*)

Há uma certa incoerência no nosso comportamento. Enquanto consumidores, exigimos qualidade em tudo. Entretanto, enquanto fornecedores nem sempre levamos isso em consideração.

Veja Mais
Um galo para Asclepius
Tiro no pé ou tiro na mão?

Enquanto fornecedor do seu próprio bem-estar físico, espiritual e mental, com qual grau de qualidade você está “trabalhando”? Muito provavelmente, está aquém do esperado.

Calma, há solução. E bem simples. Convido você a investir na sua qualidade de vida e também na dos seus colaboradores. Que tal?

Primeiro vamos definir o que é qualidade de vida: É “o conjunto das ações de uma empresa que envolve a implantação de melhorias e inovações gerenciais, tecnológicas e estruturais no ambiente de trabalho” e que tenham como foco a melhoria da condição de trabalho das pessoas.

O conceito de QVT (qualidade de vida no trabalho) refere-se ao cuidado com o bem-estar geral e a saúde das pessoas etem como objetivo gerar uma organização mais humanizada. Isso até parece utopia, não é mesmo? Mas, creiam, é um investimento seguro que a empresa faz e resulta em ganhos para todos os envolvidos.

Atualmente muitas empresasestão implantando esse tipo de investimento. E caso a sua empresa não disponha de um programa semelhante, você pode fazer a sua parte: proponha mudanças, apresente um projeto e destaque os benefícios.

Explique que as pesquisas comprovam que para se alcançar níveis consideráveis de qualidade e produtividade, é necessário que existam pessoas  que estejam bem física e mentalmente. O resultado é percebido pelo público interno e também pelo externo.

Se mesmo assim, as dúvidas dos gestores sobre a implantação deste programa persistirem, explique que existem duas maneiras de mensurar esses resultados: uma de maneira objetiva, que considera as condições materiais e outra de maneira subjetiva que investiga a percepção dos trabalhadores, classificando-as em satisfatórias ou não-satisfatórias. Assim eles poderão ter a certeza que fizeram um excelente negócio.  Com dados, tudo fica mais claros.

Recomende que seja contatado um profissional especialista no assunto para que ele seja responsável pela implantação do programa.

No programa a ser desenvolvido, deve ser considerado que as condições de trabalho devem ser seguras e saudáveis ou que busquem, no mínimo, reduzir os riscos de acidentes ou de danos à saúde do colaborador. Ainda que considerem outros aspectos e que estimulem o pessoal da empresa a refletir sobre as oportunidades de desenvolvimento humano e/ou sobre alguma ação social. Como você pode ver, é um programa bem amplo.

Assim, como esses argumentos, mostrando o que a empresa ganha, é difícil dizer não. Portanto, movimente-se e seja feliz. Que assim seja.

(*) Odilon Medeiros é consultor em gestão de pessoas, palestrante, professor universitário, mestre em Administração, especialista em Psicologia Organizacional, pós-graduado em Gestão de Equipes, MBA em vendas Contato: om@odilonmedeiros.com.br / www.odilonmedeiros.com.br

 

Um galo para Asclepius
Sócrates, o filósofo ateniense, cujos preceitos influenciaram o pensamento ocidental de forma muito marcante e definitiva, tinha uma característica: ...
Tiro no pé ou tiro na mão?
Embora a economia do País tenha dado tímidos sinais de recuperação nos últimos tempos, a verdade é que ainda precisamos avançar mais e com velocidade...
Avaliação escolar: o peso de uma nota na vida do aluno
"Poderão esquecer o que você disse, mas jamais irão esquecer como os fez sentir." (Carl W. Buechner) Hoje, quero compartilhar uma grande decepção que...
Comércio exterior: o que esperar de 2017
Apesar das tintas carregadas com que alguns analistas têm pintado o cenário para o Brasil em 2017, em razão da crise política entre o Congresso e o P...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions