A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

05/12/2012 09:12

Você é o senhor do seu próprio destino?

Por Eliane Quintella (*)

Gosto de observar o olhar de quem se olha no espelho. Ele diz muito. O olhar mais comum é aquele que chamo “senhor do próprio destino”, que é feito normalmente de peito estufado e com um sorriso suave de lado que mostra confiança. Sempre que vejo esse olhar eu me pergunto: Será que encontrei?

Veja Mais
A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Educação e o futuro da alimentação

A maior parte das pessoas é capaz de lançar esse olhar, mas a verdade é que poucas o fazem com legitimidade.

Sei que para conduzir o próprio destino é preciso usar luvas de aço, saber suportar tempestades com brilho de esperança nos olhos e não se esquecer de onde quer chegar.

No caminho da vida, é muito fácil nos esquecermos das luvas e a mão calejar demais a ponto de perdermos qualquer firmeza. Também acontece de desistirmos frente a uma tempestade e de entre tantas curvas da estrada perdermos nossa própria direção.

Tudo isso acontece muito. O resultado qualquer que seja o caso é que você deixou de ser senhor do seu destino. Não é mais você quem conduz seu barco? Quem é? Não sei, dependerá de quantas vezes você acreditou que era fraco demais para comandar sua própria vida, que não tinha chances de dar as cartas, e, no fundo mesmo, que era vítima.

Se é o seu caso, sinto informá-lo que não existe uma vítima, pois só é vítima quem se coloca nessa posição. A realidade, ainda que as vítimas insistam em dizer que somente elas são vítimas, é que todos enfrentam dificuldades e justamente quem você é diante das agruras da vida que o definirão. É fácil manter as próprias convicções na calmaria, mas é no terror das piores tempestades que elas precisam ser mantidas.

Faça um favor a você mesmo e na próxima vez que se olhar no espelho procure apenas ser honesto, caso tenha esquecido de vestir as luvas, resolvido parar diante de uma tempestade ou se perdido no caminho, reconheça e acerte o curso.

Se fizer isso sempre, o seu caminho será seu, como imortalizou Elvis com sua voz inesquecível na canção My way.

(*) Eliane Quintella é formada em Direto e mestre em Direito Processual Civil. Trabalhou em escritórios de advocacia e foi gerente jurídica de uma grande empresa alimentícia. Pediu demissão do cargo após o lançamento do seu livro Pacto Secreto (Ed. Novo Século), para se dedicar de corpo e alma à vida de escritora.

A modernização das leis do trabalho: oportunidade, não oportunismo
Crises econômicas em qualquer país do mundo ensejam debates sobre reformas. São nos cenários de recessão prolongada que as nações se defrontam com se...
Educação e o futuro da alimentação
Educação deve colaborar na preparação de todos para o pleno exercício da cidadania e, especialmente, formar os jovens para uma vida profissional que ...
Convenções internacionais e competitividade
O Brasil precisa atuar com mais critério na hora de analisar e ratificar convenções multilaterais, especialmente as negociadas no âmbito de entidades...
A Odisseia da Chape
Não tenho dúvidas de que o esporte funciona como uma metáfora da vida. As mazelas e dramas humanos estão presentes em todas as etapas da trajetória d...



o que falta às pessoas é saber a força que existe dentro de cada um e saber que o mais importante é aquilo que alguem pensa e nao o que os outro dizem de voce.
 
luis claudio de quadros em 05/12/2012 10:01:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions