A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

27/08/2014 08:00

Em busca de qualidade de vida, endinheirados mudam de bairro

Eduardo Penedo
Em busca de qualidade de vida, endinheirados mudam de bairro
Os moradores do bairro tem o Parque das Nações como vizinho e cartão postal.(Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Os moradores do bairro tem o Parque das Nações como vizinho e cartão postal.(Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

Mesmo tendo o nome de bairro chique como o de São Paulo, o Jardim dos Estados, tradicional bairro de pessoas endinheiradas de Campo Grande perdeu o status de bairro Classe A para o Chácara Cachoeira. Agora os novos ricos e ricas da capital morena não querem ficar num bairro comercial e buscam qualidade de vida e zonas verdes.

Veja Mais
Campo Grande tem ipê, mas outras flores também embelezam a cidade
Fechado e inquieto, campo-grandense ganha em religião novos amigos

No ranking do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), os bairros de Campo Grande com maior valor de rendimento nominal médio mensal das pessoas de 10 anos ou mais de idade são em primeiro lugar Chácara Cachoeira que tem rendimento médio de R$ 4.344,48, seguido do Itanhangá Park com R$ 4.063,25. Em terceiro lugar está o Jardim dos Estados com R$ 3.996,73, que sempre liderou o ranking da maior renda per capita de Campo Grande.

O Bairro São Bento com R$ 3,572,59, que sempre foi área nobre e estava em segundo, ficou em quarto.. Já em quinto lugar no ranking está o Bairro Carandá Bosque, com R$ 3.222,68.

Pela proximidade da região central os endinheirados fugiram do Jardim dos Estados e migraram para o Chácara Cachoeira (Foto: Arquivo)Pela proximidade da região central os endinheirados fugiram do Jardim dos Estados e migraram para o Chácara Cachoeira (Foto: Arquivo)

Para as pessoas que querem ter a qualidade de vida e morar perto do verde que seria a região do Chácara Cachoeira que é próximo do Parque das Nações indígenas - o Parque Ibirapuera dos campo-grandenses - terá que ter uma conta bancária um pouco mais recheada que o normal.

Em pouco menos de dois anos a valorização do metro quadrado da região foi de 57%, conforme dados do Secovi/MS (Sindicato da Habitação). Hoje, para morar no entorno do parque, só quem tiver, no mínimo, R$ 2 milhões na conta. Atualmente, o metro quadrado da região vale R$ 5,5 mil e deve chegar daqui a no máximo um ano a R$ 7 mil.

O presidente do Sindimoveis (Sindicato dos Corretores de Imóveis), James Antônio Gomes, explicou que esse êxodo de ricos e novos ricos do Jardim do Estado é em função da supervalorização do local e superpovoamento que não dá espaço para os emergentes. Ele explica ainda que outro fato que é preponderante para perda do status de bairro rico é em função da concentração de clinicas e escritórios.

“O Jardim dos Estados tem um problema e que de um lado está o fórum da cidade e do outro a Unimed e isso fez com que várias clinicas e escritórios de direito migrassem para a região. Com isso aumentou o fluxo de veículos, não tendo locais para estacionar e comercializou o bairro fazendo com que as pessoas migrassem para bairros onde pudessem ter qualidade de vida um dos bairros que virou classe A em Campo Grande foi o Chácara Cachoeira, pois é perto do Parque das Nações Indígenas e do Shopping “, explica Gomes.

A design de interiores Daisy Metello, 50 anos, que mora no Chácara Cachoeira há mais de 10 anos só tem elogios pela região. “Tem tudo aqui. Academia, mercado, farmácia padaria, salão de beleza nem preciso sair daqui do bairro”, explica.

Ela conta que no bairro é possível ter qualidade de vida, pois tem áreas verdes. Segundo ela, é até mais fresco do que centro da cidade. A design explica que o bairro cresceu muito. "Antes aqui era cheio de chácara", diz. Agora tem tudo. Eu vou pra academia na rua de cima de casa, na volta passo para comprar bolo tudo isso andando”, conta

Daisy Metello explica ainda que o marido é pecuarista e vai andando para a Famasul. Os filhos iam sem problema para escola. "Meus filhos quando eram mais novos iam andando para escola. Eu ia para fazenda e não ficava preocupada em deixá-los aqui, pois eles podiam ir andando para escola sem perigo, podiam ia para padaria e para o supermercado sem problemas”, argumenta.

 

Além de toda a beleza do Parque das  Nações os moradores do bairro vão ter ainda o Aquário do Pantanal para embelezar mais ainda a paisagem.(Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Além de toda a beleza do Parque das Nações os moradores do bairro vão ter ainda o Aquário do Pantanal para embelezar mais ainda a paisagem.(Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

Para a design de interiores,que é apaixonada pelo bairro e não pensa em trocar de local de moradia, até as árvores que rodeiam o bairros são adotadas. Ela conta que comprou um terreno no bairro em função de um árvore de Cambará que é o xodó da designer.” Eu comprei o terreno porque tinha essa árvore, fiz a casa ao redor dela e cuido todos os dias. Nós temos ainda ali na Praça Paulo Freire outro árvore que nós do bairro já tombamos como patrimônio histórico e todo mundo cuida”, argumenta.

Daisy Metello brinca ainda que nem precisa ir a show que acontecem no Shopping Campo Grande e nem no Parque das Nações Indiginas, pois ela consegue ouvir em casa. “ Eu lembro que o Erasmo Carlos tocou no estacionamento do shopping e eu aqui de casa pude apreciar a música. Eu sou apaixonada pelo bairro e não troco aqui por nada”, garante.

Já fisioterapeuta Elisabeth Medeiros, 48 anos, trocou o bairro Jardim dos Estados pelo Chácara Cachoeira diz que fez uma troca certa. “ Eu morei no Jardim dos Estado por 10 anos, sempre gostei , mas de uns tempos para cá estava muito movimentado. Estava cheio de comércio. Não conseguia nem estacionar o carro. Eu não consegui nem estacionar o meu carro em frente de casa de tanto movimento que tinha. Agora me mudei faz um ano para o Chácara Cachoeira e é calmo, tranquilo. Não tem movimento de carros. Agora tenho mais qualidade de vida”, comenta.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions