A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

26/08/2015 11:17

Autônomos aproveitam para dobrar renda em desfile de aniversário da Capital

Caroline Maldonado
José chegou por volta das 8h para vender algodão-doce (Foto: Fernando Antunes)José chegou por volta das 8h para vender algodão-doce (Foto: Fernando Antunes)
Enquanto moradores comemoram o aniversário da Capital, Elisabeth fatura com pastéis (Foto: Fernando Antunes)Enquanto moradores comemoram o aniversário da Capital, Elisabeth fatura com pastéis (Foto: Fernando Antunes)

Nesta manhã, teve quem foi para a Rua 14 de Julho para se divertir e entreter os filhos, quem foi prestigiar um parente que estava entre os 6 mil que desfilaram e até gente curiosa para ver o regresso do prefeito Alcides Bernal (PP), mas quem comemora mesmo são os ambulantes. Entre as 20 mil pessoas, os autônomos aproveitaram para aumentar e até dobrar a renda.

Veja Mais
Bernal quebra protocolo e faz novo discurso após “enterro” de Olarte
Com “víuva de Olarte”, enterro simbólico pega carona em desfile

As vendas dobram no evento, segundo a feirante Elisabeth Kammer, 60 anos. “Toda vez que a gente vem aqui, vende muito mais do que na feira. Isso ajuda na renda”, comenta ela, que ofereceu pastel durante o desfile. Ela conta que em uma semana, vende em 30 feiras junto com os filhos. Ela trabalha nas regiões da Vila Jacy, Buriti, Piratininga.

O dia é de comemoração, mas de muito trabalho também para o autônomo José Maria Santos, 62 anos. Ele chegou por volta das 8h no Centro da cidade e começou a oferecer algodão-doce. Antes das 10h30, ele já se preparava para voltar satisfeito para casa, por ter vendido tudo. Em menos de três horas, se foram as mais de 80 unidades.

“Sempre venho no aniversário de Campo Grande, porque é muito bom para vender”. A lucratividade chega a R$ 200 durante o evento, segundo José. Em dias normais, o algodão de R$ 3 não dá esse lucro todo, por isso o autônomo já se prepara para a comemoração da Independência do Brasil, no dia 7 de setembro.

Oferecendo salgado e pastel frito na hora, Benedita dos Santos, 56 anos, diz que as vendas aumentaram cerca de 20%, em relação aos dias normais. “É muito melhor vender aqui, vende muito mais. É bom porque gente consegue renda extra”. Diariamente, ela trabalha em várias feiras, nos bairros Colibri, Rouxinol e Tiradentes. “Nos bairros, a feirante, nem de longe lucra como em eventos como esse, com o pastel que sai por R$ 2,50.

Desfile – Marcado por protestos de professores da rede municipal e entidades que reclamavam uma solução para o caos na saúde pública, o desfile foi aberto pelo prefeito, as 8h30 após a Corrida do Facho, que teve participação de 60 atletas.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions