A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

26/08/2015 09:35

Manifestantes invadem desfile e reclamam de saúde para políticos

Caroline Maldonado e Filipe Prado
Manifestantes lembraram morte de homem com problemas cardíacos, horas depois de atendimento em posto da Capital (Foto: Fernando Antunes)Manifestantes lembraram morte de homem com problemas cardíacos, horas depois de atendimento em posto da Capital (Foto: Fernando Antunes)

Cerca de 20 pessoas fizeram protesto reclamando da situação da saúde em Campo Grande. Os manifestantes invadiram o desfile, que começou as 8h30 com público de 20 mil pessoas, para chamar a atenção do prefeito Alcides Bernal (PP), que retornou ao cargo ontem (25), depois de um ano e cinco meses afastado.

Veja Mais
"Vamos buscar um pacto por Campo Grande", diz Bernal como prefeito
Sem alvorada festiva, corrida do facho abre festa de aniversário da Capital

Já em meio aos 6 mil participantes do desfile, as pessoas que protestavam foram contidas pela Polícia Militar. Com faixas e cartazes, eles ficaram aglomerados em um local determinado pelos policiais até serem atendidos pelo prefeito.

Bernal falou com os líderes do grupo e pegou os contatos para marcar uma reunião com o presidente da Associação das Vítimas de Erros Médicos de Mato Grosso do Sul, Valdemar Moraes de Souza, e as famílias que alegam ter perdido parentes por conta de atendimento precário nos postos de saúde da cidade. “Meu compromisso é com as coisas corretas. Vou conversar com eles e buscar soluções”, disse o prefeito. Em seguida, Bernal continuou acompanhando o desfile.

Segundo Valdemar, o grupo está confiante de que o prefeito cumprirá o prometido. “A saúde está precária, estamos buscando justiça. Acredito que o Bernal vai dar uma atenção especial para essa questão”, disse.

O protesto lembrou, em especial, a morte de um homem de 29 anos. “Ele morreu de infrato em casa, depois de ser atendido no posto da Vila Almeida. O rapaz morreu por conta do atendimento precário”, destacou. A família de Laudelino de Souza Mamedes, acionou a polícia depois da morte, há quase uma semana. Parentes afirmam que o médico que atendeu o paciente não esperou o resultado do exame para liberar o rapaz. Os exames confirmaram problemas cardíacos e o fato levantou a suspeita de negligência.

Greve dos médicos - Há 12 dias, os médicos da rede municipal fazem greve tentando, sem sucesso, negociar a normalidade no pagamento dos salários com o ex-prefeito Gilmar Olarte (PP).

Ontem (25), Bernal disse que fará um apelo à categoria para integrar uma força-tarefa e “salvar Campo Grande”. Os médicos exigem o pagamento dos salários em dia e a definição da data para a concessão do reajuste salarial. Essa é a terceira greve deste ano feita pelos médicos.

Manifestantes conseguiram falar com prefeito depois de contidos pela Polícia Militar (Foto: Fernando Antunes)Manifestantes conseguiram falar com prefeito depois de contidos pela Polícia Militar (Foto: Fernando Antunes)



Embora pequeno esse grupo de manifestante eles expressaram o pensamento de milhares de campo-grandenses, o caos que se instalou na saúde na gestão de Gilmar Olarte é uma vergonha para Campo Grande, tiro minhas conclusões por experiência própria, solicitei uma consulta com um oftalmologista na data de 06/07/2015, marcaram para o dia 25/08/2015 as 17:00 horas no CEM, lá comparecendo fui informado que não tinha medico por motivo de greve, achei um descaso da central de regulação, pois acho que nestes casos o mínimo que deveriam fazer era ligar avisando os pacientes que não seriam atendidos e que suas consultas seriam remarcadas.
 
juvenil marques do vale em 26/08/2015 12:49:42
Vocês tem que protestar é nas urnas eletrônicas, mas quando chega a hora de votar vocês vendem o voto!!!
 
wild em 26/08/2015 10:58:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions