A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

17/08/2015 08:31

Morar em casa com vitral no coração comercial da Capital é "bom demais"

Juliana Brum
Morar em casa com vitral no coração comercial da Capital é bom demais
Moradora do centro diz que progresso não prejudicou em nada a moradia ( Foto - Marcos Ermínio)Moradora do centro diz que progresso não prejudicou em nada a moradia ( Foto - Marcos Ermínio)

O Centro de Campo Grande é muito movimentado e na hora do almoço é possível ver as pessoas caminhando aceleradas para não perder tempo, as faixas de pedestres lotadas de gente querendo atravessar e nesta correria se vê inúmeras lojas abertas, mas o que ninguém espera é ver alguém pedindo permissão para estacionar na frente de uma residência particular que fica no meio de pontos comerciais.

Veja Mais
Regional acumula lixo,apesar de liminares e ter contratado coletadora
Após quase três horas, desfile cívico de aniversário termina na 14 de julho

Nunciata Sarubi, 64 anos, sabe bem o que é morar no coração central de campo grande, porque está ali desde que nasceu. A casa que foi de seus pais está localizada na Rua 13 de Maio, quase esquina com a Barão do Rio Branco, um ponto bem movimentado durante o dia, mas, segundo a moradora, uma calmaria durante a noite após às 20h.

A casa tem quatro quartos, uma cozinha, sala e um banheiro. Lá a ex-educadora de escola prisional conta que vive atualmente com mais dois irmãos, após o falecimento de sua mãe. A casa mantém o mesmo projeto arquitetônico, inclusive o vitral na entrada da residência feito em 1915 pelo seu tio que era serralheiro. Devido fortes chuvas, alguns vidros foram trocados, mas a base de ferro é a mesmo há 100 anos.

Nunciata conta saudosa como era a vida pacata do centro ( Foto - Marcos Ermínio)Nunciata conta saudosa como era a vida pacata do centro ( Foto - Marcos Ermínio)

Ela acompanhou todo o crescimento daquela região, mesmo sendo muito pequena ela lembra que as ruas eram de terra, passava carro de boi. Era da época em que o leiteiro e o padeiro entregavam o leite e o pão, respectivamente, na porta das casas. Até mato havia no Centro.

Nunciata ama morar ali e diz que nada melhor do que a comodidade de atravessar a rua e ter o banco, a farmácia, tudo ali, pertinho, a poucos metros de casa. O barulho infernal do trânsito diurno quase nem escuta dentro de casa. O único ruido que atrapalha é o ar condicionado do Hotel Jandaia, que à noite, é bem alto.

Contou que a arquitetura mudou na região e que sente muito por isto. "A 1º igreja Batista tinha um prédio muito bonito com uma arquitetura especial, mas daí derrubaram e construíram outro prédio bem diferente. Uma pena porque deveria ter sido tombado o primeiro prédio. Aqui em Campo Grande há poucos edifícios tombados, o que fez muito do Centro perder o seu charme" justificou.

Existe há 100 anos o vitral que cobre a entrada da casa (Foto - Marcos Ermínio)Existe há 100 anos o vitral que cobre a entrada da casa (Foto - Marcos Ermínio)

Ela afirma que o barulho diurno e as pessoas que estacionam em frente de sua casa, não chegam a ser um problema. Nunciata procura não se estressar, porque garante que a modernidade não atrapalhou na qualidade de vida dos moradores antigos.

Perto dali, no edifício "Palácio do Comercio", situado na Rua 15 de Novembro, em frente a Praça Ary Coelho, Maria Abidu Ahad, 60 anos, afirma que não troca o Centro da Capital por nenhum bairro de classe alta.

Sempre morou no Centro. Quando criança, morava em uma casa que não existe mais na Rua Barão de Melgaço. Aos 18 anos, resolveu se mudar para o Rio de Janeiro, porque achava Campo Grande muito parada, sem ensino de qualidade. No entanto, na sua opinião, hoje, não há lugar melhor para viver.

Segundo Maria, o crescimento veio após a divisão do Estado, que tornou Campo Grande uma Capital moderna e progressista. "Eu nunca fui assaltada morando no Centro. Dizem que o centro é perigoso, mas eu mesma desconheço" declarou Ahad.

Maria Abidu Ahad não troca o centro por nenhum outro bairro (Foto - Juliana Brum)Maria Abidu Ahad não troca o centro por nenhum outro bairro (Foto - Juliana Brum)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions