A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

22/11/2016 18:00

“Um dia de emoção”, diz descendente de libaneses sobre data comemorativa

Christiane Reis
As danças são apreciadas pelos campo-grandenses. (Foto: Divulgação) As danças são apreciadas pelos campo-grandenses. (Foto: Divulgação)

O dia 22 de novembro é lembrado pela independência do Líbano, no Brasil a data é de homenagem a esse povo alegre, receptivo e com talento para os negócios. Estima-se que no Brasil existam 10 milhões de libaneses e descendentes, Mato Grosso do Sul seria o 4º Estado com o maior número, conforme estimativa da Federação Nacional das Entidades Líbano-Brasileira em Mato Grosso do Sul.

Veja Mais
Artesãos representam MS em feira nacional realizada em Minas Gerais
Manifestações demonstram força da democracia, diz Palácio do Planalto

Em homenagem a esse povo, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul realiza nesta terça-feira (22), sessão solene em alusão ao Dia da Comunidade Libanesa. A sessão foi proposta pelo deputado Marcos Trad (PSD) e tem início às 19h30.

Instituída pela Lei Estadual 3.438/2007, a data é motivo de orgulho para quem veio do Líbano ou descende dos que aqui chegaram. “É emocionante recebermos essa homenagem, pois nos ajuda a fortalecer cada vez mais a nossa cultura”, diz o professor universitário e vice-presidente da Federação Nacional das Entidades Líbano-Brasileira em Mato Grosso do Sul, Munir Sayegh, 54 anos.

Ele conta que é campo-grandense e que os pais vieram para o Brasil na década de 50, morando primeiro no Estado do Paraná e vindo para Campo Grande já no final da década, estabelecendo-se com a família, criando os filhos e fixando raízes. “O que observamos é que os libaneses vieram sem muitos recursos, mas com vontade de trabalhar. Eles educaram os filhos no Brasil e o que conquista por aqui investe aqui mesmo. Esta é uma marca do povo libanês”, diz.

Na leitura de Munir Sayegh, a cultura libanesa é apreciada pelos campo-grandenses, sobretudo as danças e culinária. “As pessoas se interessam muito pela nossa cultura e isso nos traz satisfação”.

História – A comunidade libanesa que vive no Brasil, formada na maioria por descendentes, é maior do que a população do Líbano. Segundo a Agência Senado, em 2015 eram quase 10 milhões de libaneses e descendentes em território brasileiro, contra 3,5 milhões que viviam no Líbano.

Em 1880, veio a primeira grande leva de libaneses cristãos, sendo os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pará e Goiás os que mais receberam imigrantes libaneses.

 

Artesãos representam MS em feira nacional realizada em Minas Gerais
Entre a próxima quarta-feira (6) e domingo (11), Mato Grosso do Sul estará presente na 27ª edição da Feira Nacional de Artesanato, que acontece em Be...
Padrinhos só têm uma semana para pegar cartinhas de Natal nos Correios
Os interessados em apadrinhar as cartas de crianças carentes que são encaminhadas aos Correios tem até o próximo sábado (10) para pegar uma cartinha....
Tema da redação do segundo dia do Enem é sobre caminhos de combate ao racismo
O tema da redação da segunda aplicação do Enem 2016 é: “Caminhos para combater o racismo no Brasil”. A informação foi divulgada pelo Twitter do Inep ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions