A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

23/11/2016 17:14

Anunciadas para novembro pelo Exército, obras ainda não começaram

Ricardo Campos Jr.
Avenida Guinter Hans, uma das que serão recapeadas pelo Exército (Foto: Fernando Antunes)Avenida Guinter Hans, uma das que serão recapeadas pelo Exército (Foto: Fernando Antunes)

O Exército havia previsto iniciar em novembro as obras de recapeamento e drenagem das avenidas Bandeirantes, Marechal Deodoro (Gunter Hans) e das ruas Brilhantes e Guia Lopes, que formam o corredor sudoeste do transporte coletivo. Contudo, faltando apenas uma semana para o fim do mês, as intervenções ainda não começaram.

Veja Mais
Exército promete começar obra em avenidas da Capital em novembro
Na Central do Cidadão, 'jeitinho' faz parte das impressoras funcionar

Por meio da assessoria de imprensa, o Campo Grande News entrou em contato com o CMO (Comando Militar do Oeste) para saber o motivo do atraso. Porém, segundo a corporação, o único que poderia falar sobre o assunto é o coronel Marcelo Guedon, comandante do 3º Grupamento de Engenharia, que está viajando.

No dia 8 de setembro ele disse que a largada para as intervenções seria dada ainda naquele mês com o levantamento topográfico e garantiu que em novembro as vias começariam a ser interditadas para o início do recapeamento.

O Exército promete empenhar 240 homens, que trabalharão dia e noite para terminar as obras em dois anos, embora o acordado com a Prefeitura de Campo Grande seja o prazo de pouco mais de três anos – 468 dias.

Todo o asfalto das vias será arrancado e refeito. Além disso, o sistema de escoamento da água da chuva será revisado e a sinalização de trânsito revitalizada.

A obra custará R$ 23 milhões, sendo R$ 19,517 milhões do governo federal e o restante de contrapartida da Prefeitura de Campo Grande. O valor do quilômetro asfaltado será de R$ 1,611 milhão e o total que será asfaltado é de 12,11 km. O Exército fará as licitações necessárias.

O convênio entre a administração municipal e o CMO foi assinado no dia 25 de agosto, depois de um ano de negociação.

A Prefeitura de Campo Grande informou, por meio da assessoria de imprensa, que somente o Exército pode falar sobre prazos e início das obras.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions