A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

07/11/2016 12:23

Aumento da passagem de ônibus é inevitável, diz presidente de consórcio

Durante reunião com vereadores João Rezende, representantes das empresas, deu argumentos para reajuste da tarifa

Anahi Zurutuza e Richelieu de Carlo
Passe custa R$ 3,25 (Foto: Arquivo)Passe custa R$ 3,25 (Foto: Arquivo)
João Rezende logo depois de sair da reunião (Foto: Richelieu de Carlo)João Rezende logo depois de sair da reunião (Foto: Richelieu de Carlo)

Em reunião nesta segunda-feira (7) na Câmara Municipal de Campo Grande para discutir o possível reajuste da passagem de ônibus, João Rezende, o presidente do Consórcio Guaicurus, que congrega as quatro empresas operadoras do transporte coletivo urbano da Capital, afirmou que o aumento da tarifa neste ano é inevitável.

Veja Mais
Passe sobe em novembro e aumento pode ser o maior em cinco anos
Com isenção, transporte coletivo deixa de pagar R$ 9,8 milhões em ISSQN em 2016

Sem dar números, ele argumentou que a cada mês cai a quantidade de usuários das linhas de ônibus e que isso por isso só justifica o aumento. “Mesmo que o preço do diesel fique congelado, que os salários dos motoristas e funcionários não aumentar, temos de reajustar as passagens”.

Em Campo Grande, cerca de 200 mil pessoas usam o transporte coletivo por mês.

Rezende afirmou ainda que as isenções tributárias contribuem para que o aumento não seja tão alto. O transporte coletivo de Campo Grande ainda está isento neste ano do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) por força da lei complementar municipal nº 270, em vigor até dezembro deste ano.

Mas, o presidente do consórcio afirma que é importante que o município se comprometa a abrir mão do tributo no próximo ano. Sem a isenção, segundo Rezende, a passagem sofrerá aumento de ao menos 5% - de R$ 3,25 para R$ 3,41.

O presidente do consórcio alegou que a isenção do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) do diesel também seria importante.

O vereador Chiquinho Telles (PSD), que convocou a reunião, cobrou mais investimentos por parte das empresas no transporte coletivo. “Empresários sempre reclamam, mas a culpa é deles, que não oferecem um serviço de qualidade”.

O parlamentar vai acompanhar o trabalho da Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos e Delegados) que está finalizando o trabalho de analise das planilhas de custos para calcular o reajuste da tarifa. O novo preço do passe de ônibus deve ser anunciado neste início de mês.

Transição – Também participaram da reunião os integrantes da equipe da transição do prefeito eleito Marquinhos Trad. Gilberto Cavalcante, Alexandre Ávalo Santana e Pedro Pedrossian Neto saíram do encontro com uma cópia do contrato de concessão e dados sobre o sistema de transporte coletivo. “Não temos como opinar nesta questão do aumento ainda. Viemos para coletar dados e ter acesso aos números”, declarou Pedrossian à imprensa.

Encontro entre representante das empresas do transporte coletivo, da prefeitura, vereadores e equipe de transição de Marquinhos (Foto: Richelieu de Carlo)Encontro entre representante das empresas do transporte coletivo, da prefeitura, vereadores e equipe de transição de Marquinhos (Foto: Richelieu de Carlo)



Também é "INEVITÁVEL" a melhorias dos ônibus, né senhor presidente?
 
papito em 07/11/2016 13:09:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions