A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

05/11/2016 21:48

Campo Grande News conquista 2º lugar em prêmio de jornalismo ambiental

Guilherme Henri e Priscilla Peres
Jornalista Chloé Pinheiro recebendo o prêmio na noite deste sábado (Foto: Priscilla Peres)Jornalista Chloé Pinheiro recebendo o prêmio na noite deste sábado (Foto: Priscilla Peres)

O Campo Grande News conquistou o segundo colocado na 7ª edição do Prêmio Águas Guariroba de Jornalismo Ambiental. Na categoria webjornalismo, com a reportagem “Saneamento ajuda, mas não é suficiente para salvar córregos de Campo Grande” as jornalistas Luana Rodrigues e Chloé Pinheiro faturaram R$ 3 mil, na premiação que foi entregue, na noite deste sábado (5), no Yotedy.

Veja Mais
Saneamento ajuda, mas não é suficiente para salvar córregos de Campo Grande
Grupos culturais da UCDB realizam 'Cantata de Natal' no domingo

Nesta edição foram mais de 80 inscritos. O primeiro colocado na categoria webjornalismo foi o jornalista Anderson Viegas, do G1 MS, com a reportagem “Campo Grande tem 3ª maior evolução entre Capitais em cobertura de esgoto, que levou para casa R$ 7 mil.

No total foram distribuídos R$ 50 mil em prêmios aos primeiros e segundos colocados das categorias: fotojornalismo, jornal impresso, webjornalismo, telejornalismo e radiojornalismo. Além da premiação em dinheiro, todos os ganhadores receberam troféus.

O objetivo do prêmio, conforme a Águas Guariroba, é incentivar a produção de reportagens sobre saneamento básico e valorizar e reconhecer a importância do trabalho do profissional de imprensa na difusão de conhecimento em busca da sustentabilidade.

Jornalista do Campo Grande News, Chloé Pinheiro (Foto: Priscilla Peres)Jornalista do Campo Grande News, Chloé Pinheiro (Foto: Priscilla Peres)

Reportagem – Na matéria vencedora o Campo Grande News mostrou que a Águas Guariroba é responsável pela execução do Sanear Morena, programa que tem como meta levar a rede de esgoto a 100% das casas da cidade até 2025. O trabalho completa dez anos esse ano e fez a cobertura da rede saltar de 20% para 80%.

Em 2010, no quarto ano do Sanear e o segundo do Córrego Limpo, programa da prefeitura que analisa a qualidade das águas da capital, essa taxa era de 13%. No segundo trimestre deste ano, o índice de cursos d’águas considerados “ruins”, poluídos, era de 6%.

A queda é representativa, mas ainda há pontos críticos, como o Anhanduí. A questão me pegou pelo nariz e pelos olhos em uma das matérias que fiz por lá. Havia lixo, erosão e a reclamação mais constante: as enchentes.

Em todas as coletas feitas pelo Córrego Limpo esse ano, nenhum ponto do rio teve a água considerada “boa”. A questão é que boa parte da culpa pela poluição é também do nosso comportamento.

Porém, apesar das tubulações de esgoto não chegarem a 20% das casas, 100% dos dejetos recolhidos são tratados antes de voltarem à natureza. E Campo Grande é a única capital do país a contar com um sistema capaz de devolver a água ainda mais pura do que a do rio.

Grupos culturais da UCDB realizam 'Cantata de Natal' no domingo
Será realizado no domingo (11) em Campo Grande a Cantata de Natal da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), que reúne o coral da universidade, os gr...
Projeto é homenageado e forma novos 'doutores palhaços' na Assembleia
O projeto Doutores Palhaço formou 43 voluntários ontem (8) em solenidade na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, que contou também com homen...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions