A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

05/11/2016 09:45

Em bairro onde família foi feita refém, vizinhos criaram grupo pela segurança

Luana Rodrigues e Julia Kaifanny
Além do adesivo de Vizinhos em alerta, maioria das casas no bairro tem cerca elétrica e câmera, como forma de garantir segurança. (Marina Pacheco)Além do adesivo de "Vizinhos em alerta", maioria das casas no bairro tem cerca elétrica e câmera, como forma de garantir segurança. (Marina Pacheco)

No bairro onde assaltantes fizeram uma família refém na noite desta sexta-feira (04), insegurança não é novidade para os moradores. Com medo da criminalidade e cansados de esperar pela segurança pública, vizinhos da Vila Planalto criaram um grupo de whatsapp para que um olhasse pela segurança do outro.

Veja Mais
Assaltantes fazem família refém e fogem com dinheiro, celulares e carro
Família procura por idoso que desapareceu há 4 dias na Vila Jacy

No “Vizinhos em alerta”, criado há cerca de um ano, os moradores trocam mensagens sempre que percebem alguma movimentação estranha no bairro e se o caso é realmente sério, acionam a polícia. “É um jeito de se sentir menos sozinho, mais seguro diante da violência na nossa cidade”, conta a dona de casa, Jucilene Tobias.

Além do grupo no aplicativo, os vizinhos também criaram uma plaquinha, que identifica as casas “vigiadas”. Para os moradores, isso também inibe a ação de criminosos. “Mas acaba que nós cuidamos da casa de todo mundo, até de quem não tem plaquinha”, diz Jucilene.

No caso de ontem, o grupo não impediu que o crime fosse executado, mas foi um vizinho que resgatou a família que estava presa no quarto.

“Estava em casa, mas no telefone, ouvi um barulho de conversa, mas como sabia que eles estavam com visita, não me atentei. Então o outro vizinho, do outro lado, chamou a polícia, mas eles não vieram. Nesse meio tempo, os bandidos foram embora com o carro, e o vizinho foi até a casa, quebrou a porta de trás e tirou as vítimas do quarto”, contou o comerciante Roberto Assad, 49 anos, que mora ao lado da família assaltada.

Agressivos – A família foi feita refém quando saía de casa. Uma das vítimas, de 38 anos, contou que estava saindo de casa com a irmã de 49 anos, a filha de 18, e o filho de apenas dois anos, quando foram abordados por dois criminosos, sendo que um deles estava armado com revólver, aparentemente calibre 38.

A dupla anunciou assalto e obrigou todos a entrarem na casa, mas a criança ficou no carro. Após a mãe implorar, eles desceram o menino e colocaram todos num quarto da casa, enquanto vasculhavam outros cômodos.

De acordo com o boletim de ocorrência, as vítimas contaram que os criminosos eram muito agressivos. A todo momento um deles os ameaçava, apontando a arma para a cabeça de cada uma das vítimas.

Segundo a vítima, por cerca de 20 minutos, os criminosos reviraram a casa. Após recolherem dinheiro e celulares, os bandidos pegaram o carro da vítima, um Sandero preto, e fugiram.




A culpa é do povo, pois instalaram um governo que, ao invés de investir nas necessidades básicas da sociedade, prefere investir em publicidade.
Vejam vocês: mais de 100.000.000,00 (milhões) para serem gastos em propaganda em seis meses.
96.000.000,00 (milhões) em segurança pública para serem gastos em TRÊS ANOS... isso mesmo TRÊS ANOS... e ainda acha que está fazendo o suficiente!
 
TOYOSHI SATO em 05/11/2016 16:10:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions