A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

21/10/2016 15:00

Investigação aponta três falhas que ajudaram dupla a assaltar banco

Guilherme Henri
Um dos assaltantes no momento em que entrava na agência do Banco do Brasil (Foto: Reprodução)Um dos assaltantes no momento em que entrava na agência do Banco do Brasil (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil concluiu que houve três falhas que contribuíram para o assalto a maior agência do Banco do Brasil, localizada na avenida Afonso Pena, no centro de Campo Grande. Duas delas foram cometidas por agências que prestam serviço de segurança ao banco. As investigações continuam, mas até o momento ninguém foi preso.

Veja Mais
Polícia prorroga investigação sobre assalto no Banco do Brasil
Vídeo mostra ladrões engravatados entrando no Banco do Brasil

O assalto foi cometido por dois homens engravatados no dia 17 de maio deste ano. Eles estavam armados e renderam um segurança, alguns funcionários e se dirigiram até a tesouraria, quando anunciaram assalto e em seguida saíram pela porta da frente levando dois malotes recheados de dinheiro.

As informações são do delegado que está a cargo do caso, Edilson dos Santos, do Garras (Delegacia Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), que revelou que a polícia apura se as falhas detectadas pela polícia foram propositais, ou não. “Além das duas falhas cometidas por empresas de segurança, também encontramos uma cometida pela própria agência”, revela o delegado.

Delegado do Garras, Edilson dos Santos (Foto: Guilherme Henri)Delegado do Garras, Edilson dos Santos (Foto: Guilherme Henri)

Ainda segundo Edilson, ficou claro que os bandidos não são de fora do Estado, pois não se importaram em entrar de “cara limpa” para cometer o crime. “Com essa linha de investigação podemos achar que pode os ter ajudado e com isso encontrar o paradeiro deles”, explica.
Questionado, o delegado disse que a investigação está sob sigilo e que mais detalhes não serão revelados para que não prejudique o trabalho da polícia, como por exemplo, o valor que foi roubado pelos homens.

Assalto - quando a dupla entrou no local, teve a entrada liberada pelo segurança rendido. Em depoimento, na época, ao delegado Edilson dos Santos, o segurança relatou que a dupla possuía apenas uma arma.

Como o alarme não tocou na porta giratória, mesmo os bandidos portando uma arma, o delegado acredita que houve falha no sistema de segurança. Depois de render o segurança, a dupla amarrou alguns funcionários, colocou quatro malotes nas mochilas e fugiu.

Criminosos se passaram por funcionários do BB usando crachás, renderam segurança e fugiram com 4 malotes (Foto: Marcos Ermínio)Criminosos se passaram por funcionários do BB usando crachás, renderam segurança e fugiram com 4 malotes (Foto: Marcos Ermínio)

Momentos depois os funcionários conseguiram se desamarrar e acionaram a polícia que foi até o local realizar os levantamentos de praxe. As câmeras de circuito interno captaram todas as imagens do assalto.

Antes de fugirem, os bandidos chegaram perto de um cofre que possui sistema de temporizador e precisa de duas pessoas para ser aberto. Como não obtiveram êxito em abri-lo, fugiram levando também um revólver calibre 38 do segurança.

Informações – Na data, foi descartada a participação de funcionários do Banco do Brasil no assalto, no entanto o delegado chegou a dizer que os assaltantes tinham acesso a informações privilegiadas, já que entraram no local minutos após os funcionários da empresa de transporte de valores Protege deixarem malotes com dinheiro de contas jurídicas.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions