A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

06/11/2016 12:30

Jovens levam tereré para acompanhar chegada de atrasados no Enem

Priscilla Peres e Richelieu de Carlo
Adolescentes saíram de casa no domingo para acompanhar atrasados. (Foto: Marcos Ermínio)Adolescentes saíram de casa no domingo para acompanhar atrasados. (Foto: Marcos Ermínio)
Portões fecharam ao meio-dia. (Foto: Marcos Ermínio)Portões fecharam ao meio-dia. (Foto: Marcos Ermínio)

O atraso de candidatos na chegada do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) virou entretenimento para quem não faz a prova. Hoje, três jovens foram até a Uniderp, na avenida Ceará, para acompanhar e “incentivar” a chegada de inscritos em cima da hora. Os portões fecharam ao meio dia e a duração é de 5 horas e meia.

Veja Mais
Seminário discute engenharia e desenvolvimento sexta-feira no Crea
"Nunca passei por isso", diz grávida que teve assento negado em ônibus

Para tristeza deles, apenas uma moça chegou atrasada. Ela correu por alguns metros mas não conseguiu entrar na universidade para fazer a prova. Chateada e sem querer se identificar, contou que teve problemas com a motocicleta no caminho do Aero Rancho até a avenida Ceará.

A garota desceu do moto taxi, que teve que pegar para completar o caminho, na rotatória da avenida Joaquim Murtinho e ia andando para a Uniderp quando ouviu os gritos das pessoas avisando que faltava pouco para fechar o portão. Ela correu, correu, mas encontrou o portão fechado.

Diferente de ontem, hoje poucas pessoas se atrasaram. Mas quem chegou em cima da hora, contou com a pressão de três adolescentes, parados ao lado do portão principal da universidade. Com tereré e disposição para sair de casa no domingo, eles gritavam “corre, corre”, para quem chegava minutos antes do meio-dia.

Matheus Abdala, 18 anos, cursa engenharia da produção na UFMS e conta que viu pessoas fazendo isso no ano passado, por isso hoje, ele e os amigos decidiram ir até a Uniderp. Ele afirma que não foi só pra rir, mas sim para “curtir o inevitável”, já que “vai ter atrasado, com a gente aqui ou não”.

Lucas Antônio, 18, estudante de engenharia civil na UCDB e Pedro Dourado, 19, também foram até lá. “A gente veio só pra ver os atrasados”, mas saíram decepcionados, já que a correria foi bem menor hoje.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions