A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 25 de Outubro de 2014

02/01/2012 17:30

Mulher encontrada com 90% do corpo queimados morre na Santa Casa

Ana Paula Carvalho e Viviane Oliveira
Mulher foi encontrada com corpo queimado. (Foto: João Garrigó)Mulher foi encontrada com corpo queimado. (Foto: João Garrigó)

Dolores de Souza Pinati, de 62 anos, encontrada com várias queimaduras pelo corpo na manhã desta segunda-feira em um matagal na rua José Barbosa Rodrigues, no Jardim Aeroporto, em Campo Grande, morreu na Santa Casa por volta das 16h30.

Veja Mais
Idosa é encontrada com 80% do corpo queimados em matagal na Capital
Bombeiros encontram menino de 4 anos que tinha desaparecido em fazenda

A professora de educação física Cleonice Maciel Perez Pinto, 43 anos, fazia caminhada com alunos quando ouviu um gemido e um pedido de socorro. Ela ligou para o Corpo de Bombeiros. Ela foi socorrida encaminhada ao posto de saúde da Vila Almeida e em seguida foi transferida para o hospital.

A princípio, a Polícia Militar levantou a possibilidade de ser roubo já que ela estava apenas com uma sacola de plástico com os documentos pessoais e uma carteira de controle de diabetes com o endereço da casa onde morava com o marido.

Vizinhos que pediram para não serem identificados relataram ao Campo Grande News que a idosa trabalhava como costureira e sofria de depressão.

Segundo eles, há alguns meses a doença se agravou e ela chegou a fugir de casa, ficando uma semana longe. Eles suspeitam que, em decorrência da doença, ela possa ter provocado o incêndio.

Rosangela Ajala, de 30 anos, viu quando Dolores saiu para ir ao posto de saúde, voltou, e saiu com a sacola de documentos.

Quando foi socorrida, a idosa chegou a dizer aos bombeiros que dois homens haviam ateado fogo no corpo dela. As informações preliminares apontavam que ela tinha tido 80% do corpo queimados, mas a Santa Casa confirmou que são 90%.



Acredito muito na eficiência dos profissionais do Corpo de Bombeiro de nossa Capital. Questão de rapidez no atendimento e também na avaliação "in loco" de uma situação de emergência. Só não sei por quê eles não podem levar direto ao Pronto Socorro de um Hospital, mesmo que em casos graves, sem antes passar pela avaliação de um Posto de Saúde Municipal.
 
Ezio Jose em 03/01/2012 02:03:21
Vai ter dó de bandido!!! Cadê os direitos humanos agora??
Se prende a justiça solta!
 
Paulo Souza em 02/01/2012 05:57:21
imagem transparente

Desenvolvido por Idalus Internet Solutions