A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

08/11/2016 20:51

Novo reitor da UFMS promete buscar parcerias e não cortar gastos

Nyelder Rodrigues e Anahi Zurutuza
Turine recebeu capelo branco das mãos da atual reitora e passou a presidir a sessão solene (Foto: Marcos Ermínio)Turine recebeu capelo branco das mãos da atual reitora e passou a presidir a sessão solene (Foto: Marcos Ermínio)

O novo reitor da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Marcelo Augusto Santos Turine, começou a gestão garantindo não realizar corte de gastos, apesar da crise nacional, e afirmando que vai buscar parcerias para que a universidade siga se desenvolvendo.

Veja Mais
Governador vai ao lançamento da Showtec e posse do novo reitor da UFMS hoje
Novo reitor da UFMS toma posse amanhã em Brasília e dia 8 em MS

A posse de Turine ocorre na noite desta terça-feira (8) no teatro Glauce Rocha - que fica no campus da instituição em Campo Grande. O evento conta com a participação de várias autoridades, entre elas o governador Reinaldo Azambuja.

"O fortalecimento do Estado depende de parcerias. Quero uma universidade parceira, porque é ela quem gera conhecimento para os governos e para as empresas", comenta o novo reitor, que antes era diretor-presidente do Fundect.

Questionado sobre corte de gastos por causa da crise, Turine diz que não haverá enxugamento, porém não será promovida a expansão da estrutura atual. "Não vamos aumentar quantidade de cursos e campi, mas vamos aumentar a qualidade buscando parcerias com iniciativa privada e governos também. temos vários projetos", frisa.

Entre os projetos apontados pelo reitor está a criação de uma pró-reitoria que funcionaria como uma ouvidoria, acompanhando as demandas dos alunos. "Por ser professor e ouvir diretamente eles [os alunos], surgiu essa ideia, uma pró-reitoria que abre diálogo direto com os alunos".

Reinaldo diz que vai procurar Turine para discutir sudo do Morenão pelo Governo do Estado (Foto: Marcos Ermínio)Reinaldo diz que vai procurar Turine para discutir sudo do Morenão pelo Governo do Estado (Foto: Marcos Ermínio)

Turine recebe a UFMS com o quarto maior orçamento entre instituições públicas de Mato Grosso do Sul, contando com R$ 677 milhões para 2017. Deste valor, 77% são usados em folha de pagamento. "Isso acontece justamente porque a universidade busca qualidade de quem vai ensinar", explica.

Atualmente, a UFMS conta com 11 campi no Estado, oferecendo 102 cursos de graduação e 50 de pós-graduação. "É uma responsabilidade muito grande, mas basta ter a questão da governança e olhar para as metas da universidade", diz Turine.

Já o governador Reinaldo Azambuja destaca que as expectativas para essa nova gestão na universidade são as melhores, sendo que a instituição tem contribuído muito com o Estado.

"Esperamos mais ainda. Já temos parcerias, e o que podemos fazer é reforçar isso para ajudar no desenvolvimento do Mato Grosso do Sul, principalmente nas áreas de ciência e tecnologia". Reinaldo também comentou sobre o interesse no Governo do Estado em usar o estádio Morenão.

"Nossa ideia é realmente transformar o Morenão em uma arena de esporte e cultura, discutindo e formatando um convênio maior para realização de shows e eventos culturais, além dos esportivos", disse o governador, completando. "Temos que formatar esse convenio direitinho, é uma das coisas que vamos conversar com o reitor".

Crescimento - De saída do reitoria, Célia Maria Silva Correa Oliveira, destacou que no período em que comando a universidade, foram construídos 60 mil m² de prédios para receber os alunos, além de 1 mil professores e 800 técnicos contratados. Mais 50 graduações e 33 pós-graduações foram incluídas, com 6 mil novas matrículas.

"Tudo isso só me faz ficar agradecida por tudo que conseguimos fazer. Agradeço a comunidade universitária e a minha equipe e desejo boa sorte ao novo reitor", comenta Célia, que ficou oito anos no cargo. Durante a gestão dela, a UFMS aderiu ao Sisu (Sistema de Seleção Unificada) do Governo Federal.

"Buscamos nos aproximar da comunidade, tanto é que criamos nossa rádio FM. Foram sete anos lutando para isso e conseguimos esse ano. A universidade saiu dos seus muros, temos vários projetos de extensão que mudaram vidas e acredito que isso terá continuidade", discursou Célia.

Além disso, ela afirmou que deseja a Turine que, quando encerrar o trabalho frente à reitoria da UFMS, saia tão feliz quanto ela está saindo hoje. Célia é professora originária do departamento de Química, mas ainda não sabe quando deve voltar ao setor, porém adianta que quer atuar na área de pesquisas.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions