A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

19/12/2011 23:31

Resguardo da história: inaugurada a revitalização da Estação Ferroviária

Paula Maciulevicius

Obra faz parte do principal corredor cultural do Plano de Revitalização do Centro e teve um orçamento superior a R$ 2 milhões

Prefeito inaugura Estação revitalizada e pede R$ 15 milhões para continuidade do projeto. (Foto: Simão Nogueira)Prefeito inaugura Estação revitalizada e pede R$ 15 milhões para continuidade do projeto. (Foto: Simão Nogueira)

Com as cores originais a Estação Ferroviária teve sua restauração inaugurada na noite desta segunda-feira. Na primeira etapa do projeto, além da revitalização foi feita também a adequação de espaço do Armazém Cultural, na Esplanada Ferroviária.

Todo processo de restauração contou com técnicas de prospecção que mantiveram o histórico dos trilhos da Noroeste. Na segunda fase, será implantado o Centro de Documentação e Referência da Estrada de Ferro Noroeste Brasil/RFFSA, com depoimentos, fotos e a memória dos ferroviários.

A partir de hoje o local já está aberto a visitação, incluindo um auditório para sediar eventos voltados à educação patrimonial.

A obra faz parte do principal corredor cultural do Plano de Revitalização do Centro e teve um orçamento superior a R$ 2 milhões. Trata-se de uma das iniciativas da reestruturação do Complexo Ferroviário, tombado em nível federal, estadual e municipal, com o objetivo de transformar a área em um espaço de lazer e cultura.

Segundo a diretora-presidente do Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano), Marta Martinez, os trilhos da Noroeste vão ligar a Orla Ferroviária à Orla Morena II, chegando ao Centro Belas Artes, e um trem bar vai fazer todo o trajeto.

Segunda etapa compõe implantação de centro histórico e Parque Esplanada. (Foto: Simão Nogueira)Segunda etapa compõe implantação de centro histórico e Parque Esplanada. (Foto: Simão Nogueira)

Dentre as diversas melhorias, na Estação Ferroviária, a revitalização contou com a troca de todas as telhas de fibrocimento por metálicas com isolamento termoacústico, tratamento de limpeza e pintura protetora com solução de silicone feitos nas telhas de cerâmica francesa, revisão do madeiramento e correção das juntas de dilatação do piso da plataforma.

O passo seguinte é a busca por recursos para implantar o Centro de Documentação e Referência da Estrada de Ferro Noroeste e o Parque da Esplanada, que irá concluir todo o conceito de valorização e proteção do patrimônio histórico.

Durante a cerimônia de inauguração, o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) destacou que a Estação é histórica para a cidade. “O progresso chegou por aqui e o desenvolvimento, então é algo de muito significativo”, colocou.

Ainda mostrando o projeto, Nelsinho disse que o fundo da Estação poderia ser o “lugar do samba, mas é um sonho, enquanto não vem recurso”, comentou.

O projeto de revitalização está completo desde 2010 e na inauguração desta primeira fase, o prefeito aproveitou para pleitear R$ 15 milhões para revitalizar todo o entorno.

Grupo de dança da colônia paraguaia lembrou das influências trazidas pelo trilho da Noroeste. (Foto: Simão Nogueira)Grupo de dança da colônia paraguaia lembrou das influências trazidas pelo trilho da Noroeste. (Foto: Simão Nogueira)

Na ocasião esteve presente o presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida. “Estabelecida como patrimônio cultural brasileiro a ideia de que o Centro-Oeste foi ocupado através da Estação mostra o quanto a ferrovia foi importante”, destaca.

Ex-ferroviário, “seo” José Dias da Silva, 56 anos, foi maquinista e há 17 anos ocupa uma das casas da vila. Hoje, não deixou de ver de perto a estação reinaugurada. “Estão resgatando um passado. O que está um pouco abandonado, aos poucos vai ser lembrado”, fala.

Apesar de historiadora Alisolete dos Santos Weingartner, comentou a visão pessoal da restauração. “A preservação desse patrimônio histórico é um documento, não é só a lembrança da minha memória, é a lembrança da memória da sociedade do meu tempo”, acrescenta.

Plano de Revitalização do Centro - O Plano de Revitalização do Centro foi desenvolvido pelo Planurb com verba do PAC das Cidades Históricas. O projeto abrange uma área de 257 hectares, orçamento estimado em R$ 270 milhões e mais de 90 ações previstas para serem desenvolvidas ao longo de 20 anos, onde os objetivos são proteger o patrimônio histórico e cultural, valorizar o espaço público e a economia da região, fomentar eventos e atividades de lazer.

A primeira etapa da Orla Morena e a Estação Ferroviária são as primeiras obras entregues desde a aprovação do plano, em julho do ano passado. Estão em andamento: Orla Morena 2, Orla Ferroviária, revitalização da Praça Ary Coelho, Centro de Belas Artes e o projeto de adequação de publicidade “Reviva o Centro”.




Parabéns prefeito por mais essa realização por nossa capital, cada dia que passa fico mais orgulhoso desta capital.
 
charles camargo em 20/12/2011 10:06:53
Parabéns às Famílias Ferroviárias, aos homens que através de seus trabalhos,trouxeram o progresso,a esperança,e acreditaram no nosso Estado, na nossa Cidade e num futuro melhor.Parabéns aos que ainda vivem para presenciar a História.Parabéns aos que hoje não estão mais conosco(IN-MEMORIAM)
Parabéns a toda sociedade Campograndense,e a Sulmatogrossense.
Cidade sem memória,cidade sem História!
 
José Romeu Dittmar Duarte em 20/12/2011 09:09:33
Tambem queria dizer parabens e espero que melhorias nao vao acontecer so antes de eleicao mas constantemente ....
 
Diego Silva em 20/12/2011 01:53:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions