A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

23/11/2016 18:32

Três meses após morte de fiscal e até prisão, caso volta à estaca zero

Adriano Fernandes
O crime ocorreu pela manhã e chocou os moradores do bairro Aero Rancho. (Foto: Julia Kaifanny)O crime ocorreu pela manhã e chocou os moradores do bairro Aero Rancho. (Foto: Julia Kaifanny)

Dois homens foram ouvidos e um chegou a ser preso pela polícia, mas em seguida foi liberado, suspeitos de envolvimento na morte do fiscal da vigilância sanitária Luiz Eduardo Lopes, de 45 anos, morto a tiros, na manhã do dia (16), na Rua Raquel de Queiroz, esquina com a Rua da Divisão, no Jardim Aero Rancho, em Campo Grande.

Veja Mais
Morto no Aero Rancho era advogado e atuava na Vigilância Sanitária
Testemunha diz que homem foi morto após perseguição no Aero Rancho

A polícia ainda trabalha nas investigações para resolver o caso. De acordo com o delegado João Reis Belo da 5ª DP (Delegacia de Polícia) um suspeito, de 39 anos, foi preso depois que uma testemunha teria o acusado de participação no crime. A prisão preventiva tinha sido decretada depois que a testemunha identificou o homem por meio de uma foto.

No entanto, durante reconhecimento pessoal na delegacia a testemunhas não quis manter a denúncia. “Ela disse que não sabia mais garantir se o homem teria mesmo participado da ação então o suspeito foi liberado, na última sexta-feira (18)”, comenta o delegado.

Ainda segundo o delegado João Reis, um segundo suspeito de ter sido comparsa no assassinato foi intimado, compareceu na delegacia com um advogado, mas negou a participação. 

“Esperávamos que o caso seria solucionado com a identificação destes suspeitos, mas tivemos de voltar ao início. Nós ainda não descartamos a participação deles, mas como não temos provas concretas da culpa vamos continuar investigando. Já colhemos algumas outras informações e estamos atrás de qualquer outra pista que possa os ajudar a resolver o caso”, conclui.

O crime - Luiz Eduardo Lopes, foi executado a tiros, na Rua Raquel de Queiroz, esquina com a Rua da Divisão, no Jardim Aero Rancho, em Campo Grande, na manhã do dia 16. Além de fiscal da vigilância sanitária ele também tinha formação em direito.

Segundo a polícia Luiz foi atingido por pelo menos seis disparos na cabeça, tórax e nas costas. Testemunhas relataram que o homem seguia em um veículo Gol, de cor preta, quando foi abordado por dois ocupantes em um veículo Palio, de cor prata.

Mesmo baleada, a vítima tentou sair do veículo, mas foi atingida com mais tiros. Depois do crime, os atiradores saíram acelerando e fugiram por uma rua sem asfalto.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions