A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 31 de Março de 2015

02/06/2010 15:28

Dono de escola diz que vítimas deveriam ser mais atentas

Redação

O proprietário da escola Paulistec, que emitia diplomas falsos na Capital, está prestando depoimento na Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes contra as Relações de Consumo) desde às 15 horas desta quarta-feira. Mauro de Napoli chegou acompanhado do advogado e declarou que as vítimas deveriam ter sido mais atentas.

Segundo policiais da delegacia, o proprietário chegou a dizer, em tom irônico, que "as pessoas se acham muito espertas para tirarem o ensino médio em 60 dias", dando a entender que os ex-alunos estavam cientes de que como funcionava a escola.

O delegado titular, Adriano Garcia Geraldo, explicou que Mauro será indiciado por estelionato e crime contra a relação de consumo. A pena para os crimes contra o consumidor deve ser proporcional ao número de vítimas. "Estimamos que ao menos 1.000 pessoas foram lesadas pela Paulistec com diplomas falsos", disse Adriano.

A Paulistec possui 24 unidades no Brasil e possui uma sede em Campo Grande. Os diplomas dos alunos de Mato Grosso do Sul eram emitidos por três escolas do Rio de Janeiro (Futura, Etec, Cebred) e uma de Santa Catarina (Ceja Brasil). A empresa funcionou por 3 anos em Campo Grande, sendo que nos últimos 18 meses os certificados foram emitidos principalmente pela Ceja Brasil.

O advogado da escola catarinense informou que os alunos com certificado da escola serão ressarcidos. De acordo com o delegado da Decon, o ressarcimento das vítimas é uma maneira de não perder o credenciamento junto ao MEC (Ministério da Educação).

Todas as empresas Paulistec pertencentes a Mauro de Napoli não estão no nome dele. As firmas foram abertas no nome de funcionários, citados pelo proprietário como sócios, mas que podem ser laranjas no esquema de falsificação de diplomas. A escola deveria funcionar como um curso preparatório antes de enviar alunos para o Rio de Janeiro para freqüentarem aulas e realizarem provas.

Tranquilidade

Veja Também
Aprovação da admissibilidade da PEC da Maioridade preocupa governo
A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Ideli Salvatti, manifestou preocupação com a aprovação da admissibilidade d...
CCJ da Câmara aprova admissibilidade da PEC que reduz maioridade penal
Após duas semanas de intensos debates a respeito da redução da maioridade penal, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados a...
Universal lamenta condenação e diz que contraria garantias a religiões
A Igreja Universal lamentou a decisão que judicial que obriga ao pagamento de R$ 3,7 milhões em contribuições ao Secraso-MS (Sindicato das Entidades ...
imagem transparente

Desenvolvido por Idalus Internet Solutions