A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

29/02/2016 20:05

Vagas na construção civil aumentam, mas outros setores ainda preocupam

Mariana Rodrigues
Desempenho de MS nas contratações para o setor foi melhor este ano. (Foto: Correio de Três Lagoas)Desempenho de MS nas contratações para o setor foi melhor este ano. (Foto: Correio de Três Lagoas)

Mesmo com saldos positivos na geração de empregos na área da construção civil em Mato Grosso do Sul no mês de janeiro, alguns setores estão enfrentando dificuldades na manutenção e geração de novas vagas, conforme divulgado hoje (29), pela Semade (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico).

Veja Mais
Construção Civil reage, mas MS termina janeiro com menos 163 vagas
Construção Civil de MS tem retração de 8% e expectativa zero para 2016

O desempenho do Estado na geração de empregos no primeiro mês do ano, foi superior ao resultado obtido no mesmo período de 2015 e o segundo melhor da região Centro-Oeste, impulsionado pelas contratações na construção civil, de acordo com dados divulgados pelo Caged- MTE (Cadastro Geral de Emprego e Desemprego do Ministério do Trabalho e Emprego).

Conforme a Carta de Conjuntura da Semade, divulgada nesta segunda-feira, Mato Grosso do Sul foi o único Estado do Centro-Oeste que apresentou crescimento nas contratações da construção civil. Em janeiro desta noa, o comércio varejista teve uma redução de 505 vagas, enquanto o comércio atacadista apresentou criação de 210 novas vagas.

O secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, acrescenta que o saldo positivo registrado em janeiro na construção civil foram impulsionados pelas obras de expansão da Fibria e da Eldorado em Três Lagoas, a 338 km de Campo Grande. "A situação em outros setores da economia, como o comércio, serviços e indústria é mais preocupante, pois eles não estão conseguindo equilibrar essa balança e têm apresentado saldo negativo na geração de empregos”, informa Verruck.

Verruck se reuniu, na semana passada, com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), e 60 empresários das áreas de comércio e serviços para estabelecer ações conjuntas e definir mecanismos que possibilitem a manutenção e geração de novos empregos no Estado. “Estamos fazendo esse mesmo diálogo e alinhamento com outras áreas do setor produtivo, como a indústria e o agronegócio. Manter e gerar novos empregos é uma pauta permanente e prioritária do governo do Estado".

Na indústria foram criados 157 novos postos de trabalho. Os subsetores que tiveram maior criação de empregos formais foram: construção civil (345 vagas a mais), indústria mecânica (109 novas vagas), indústria metalúrgica (41 novas vagas) e madeira e mobiliário (1 nova vaga).

O município de Três Lagoas apresentou melhor resultado com geração de 320 novos postos de trabalho, seguido por Chapadão do Sul com 106. O bom resultado de Três Lagoas foi devido a geração de novos postos de trabalho em todos os grandes setores de atividade com destaque para a Construção Civil (203 novas vagas) e Serviços (76 novas vagas). Já Chapadão do Sul o destaque foi na Agropecuária com geração de 47 novas vagas.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions